Efeito da adição de antioxidantes na qualidade do sêmen criopreservado de bovinos

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

O armazenamento do sêmen bovino é extremamente importante para o melhoramento genético animal quando este material é utilizado pela inseminação artificial ou outra biotécnica de reprodução. No entanto, o processo de criopreservação nos bovinos atingiu seu platô, com a sobrevivência média de 50% dos espermatozóides por dose. Avanços no processo de criopreservação do sêmen bovino passam necessariamente pelo estudo de mecanismos de controle do estresse oxidativo durante a criopreservação. A criopreservação induz a formação de espécies reativas ao oxigênio (EROs) que diminuem a performance espermática. As células espermáticas são sensíveis às lesões peroxidativas devido à grande quantidade de ácidos graxos poli-insaturados em sua membrana. Os efeitos da reação da peroxidação lipídica incluem a perda de motilidade de forma irreversível, inibição de respiração espermática, lesões no DNA espermático e perda de enzimas intracelulares, interferindo na capacidade de fecundação do espermatozóide. Desta forma, este projeto tem como objetivo buscar soluções para melhorar a viabilidade espermática pós-criopreservação, estudando a utilização de antioxidantes exógenos no combate às espécies reativas de oxigênio.

Ecossistema: Região dos Cerrados

Situação: concluído Data de Início: 04/2008 Data de Finalização: 03/2010

Unidade Lider: Embrapa Cerrados

Líder de projeto: Carlos Frederico Martins

Contato: carlos.martins@embrapa.br