Transferência de Tecnologia

Ao longo da sua história, a Embrapa Cerrados tem gerado soluções tecnológicas importantes para o desenvolvimento sustentável do Bioma Cerrado. Para que uma solução tecnológica seja utilizada de forma prática e se torne uma inovação, as ações de comunicação e transferência de tecnologia são fundamentais. Para isso, a Embrapa Cerrados tem utilizado diferentes estratégias e ações, as quais são realizadas de forma participativa, colaborativa e organizada, envolvendo os produtores, governo, órgãos ambientais, comunidades locais, utilizando critérios técnicos e ações bem planejadas e estruturadas com o intuito de gerar benefícios sociais, econômicos e ambientais.

Para operacionalizar tais ações, a Embrapa Cerrados conta com uma Chefia-Adjunta de Transferência de Tecnologia, a qual possui dois setores operacionais: Setor de Prospecção e Avaliação de Tecnologias (SPAT) e Setor de Implementação da Programação de Transferência de Tecnologia (SIPT). As ações e estratégias de comunicação e transferência de tecnologia da Embrapa Cerrados são realizadas em alinhamento com o Plano de Trabalho da Chefia Geral, com o Plano Diretor da Embrapa (PDE), com a agenda de pesquisa e desenvolvimento e com as demandas reais da sociedade. Estas demandas vêm do setor produtivo, de instituições públicas e privadas voltadas à assistência técnica e à extensão rural, cooperativas e associações de produtores,  programas e políticas governamentais e dos programas de cooperação nacional e internacional da Embrapa.

Um grande desafio considerando as ações de Transferência de Tecnologia no Cerrado é o tamanho e a complexidade do Bioma, tanto nos aspectos relacionados ao meio ambiente quanto à diversidade socioeconômica. O Bioma Cerrado apresenta mais de 200 milhões de hectares e uma área cultivável de aproximadamente 139 milhões de hectares. Para minimizar a dificuldade relacionada ao tamanho e complexidade do Bioma Cerrado, têm sido realizadas ações para aumentar a capilaridade dos eventos de TT por meio do uso da internet e plataformas digitais corporativas (home-page de eventos, registro de memória, disponibilização online de materiais didáticos) e dos diferentes veículos de comunicação impressa, de rádio e de televisão, além do aumento da capacitação de multiplicadores em parceria com as Ematers, Sebrae, empresas estaduais de pesquisa e extensão rural, cooperativas e associações de produtores, além da iniciativa privada com ações de transferência de tecnologia. Uma atenção especial também tem sido dada aos sistemas corporativos da Embrapa, merecendo destaque a melhoria dos indicadores de qualidade do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC), aumento da quantidade e qualidade das publicações técnico-científicas disponíveis para download gratuito e das soluções tecnológicas disponibilizadas no portal da Embrapa.  

Atribuições da Chefia-Adjunta de Transferência de Tecnologia

a) coordenar a prospecção de problemas e demandas tecnológicas a serem consideradas na programação de desenvolvimento e transferência tecnológica da Unidade; 
b) propor a agenda de demandas tecnológicas a serem atendidas pela área de P&D, com foco na inovação; 
c) propor a agenda de demandas tecnológicas a serem atendidas pela área de TT; 
d) coordenar a prospecção de problemas e demandas tecnológicas a serem consideradas na programação de desenvolvimento e transferência tecnológica da Unidade; 
e) apoiar a avaliação ex-ante das tecnologias, produtos e serviços propostos nos projetos de P&D; 
f) coordenar o processo de avaliação da adoção das tecnologias, produtos e serviços gerados pela Unidade - dimensão da eficácia e seus respectivos resultados - dimensão da efetividade -, tendo como foco a opinião e vivência de clientes; 
g) participar da negociação da Unidade com foco no estabelecimento de parcerias para a execução de projetos de pesquisa, desenvolvimento, transferência de tecnologia e/ou inovação; 
h) coordenar a negociação e o planejamento dos planos de TT necessários ao cumprimento dos contratos, convênios e demais acordos firmados pela Unidade; 
i) viabilizar a transferência de tecnologias, produtos e serviços para o setor produtivo aplicando as políticas de comunicação empresarial, negócios tecnológicos e informação da Embrapa; 
j) viabilizar fóruns internos de discussão sobre temas relativos à TT; 
k) coordenar comitês e congêneres de acordo com as políticas e normas da Embrapa; 
l) apoiar as iniciativas para implementação de políticas e programas governamentais relacionados à missão da Unidade. 

Chefe-Adjunto de Transferência de Tecnologia: Fábio Gelape Faleiro
Assessor e Chefe-Adjunto Substituto de Transferência de Tecnologia: Renato Fernando Amabile