Laboratórios

 
Conheça os laboratórios de nossa unidade:

Apresentação

O Laboratório de Agrometeorologia (LA) tem a finalidade de desenvolver atividades de pesquisa e desenvolvimento relacionadas com o Recurso Clima em si e com os produtos e agroecossistemas de maior importância para a Embrapa Clima Temperado.

Até dezembro de 2002, o Laboratório de Agrometeorologia estava localizado na Estação Agroclimatológica, situada na Estação Experimental de Terras Baixas, mantida através do convênio Embrapa/UFPel. A partir de janeiro de 2003 o LA funciona na Sede da Embrapa Clima Temperado.

 

Equipe técnica

Silvio Steinmetz (Gestor)
Carlos Reisser Júnior
Ivan Rodrigues de Almeida
Santiago Vianna Cuadra (Embrapa Informática Agropecuária)
Denise Duarte dos Santos
Edson Kaster
Lino Omar Fonseca da Luz
 
Contato

Telefone: (53) 3275-8270
E-mail: cpact.lab.agrometeorologia@embrapa.br

Apresentação

 

O Laboratório Oficial de Análise de Sementes (LASO) da Embrapa Clima Temperado está localizado na Estação Experimental Terras Baixas, em Capão do Leão, RS. O laboratório é credenciado junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e iniciou suas atividades em janeiro de 1960, sendo o mais antigo do Rio Grande do Sul.

O laboratório realiza análises de pureza, germinação, verificação de outras cultivares, determinação de outras sementes por número, determinação do grau de umidade, peso volumétrico e peso de 1.000 sementes e testes de vigor em sementes de diversas espécies de hortaliças, grandes culturas, forrageiras, condimentares e ornamentais. As metodologias utilizadas têm como referência as Regras para Análise de Sementes (RAS), que se fundamentam na uniformidade dos procedimentos e especificam padrões para os diferentes métodos de análise empregados. As RAS são atualizadas periodicamente, incorporando, em cada nova edição, a experiência e os avanços em análise de sementes. Estima-se que nestes mais de 50 anos de atividade, o laboratório tenha realizado mais de dois milhões de análises nas mais diversas espécies de sementes.

Em 2007, o Laboratório de Sementes assumiu o compromisso de implementação do Sistema de Qualidade respaldado nos requisitos da Norma NBR ISO/IEC, desenvolvendo trabalhos que assegurem a qualidade, com base nas Regras para Análise de Sementes e demais padrões e legislações determinadas pelo MAPA.

Equipe técnica

Daniel Fernandez Franco (Gestor)
Caroline Jácome Costa
 
Contato

Telefone: (53) 3275-8437
E-mail: cpact.lab.sementes@embrapa.br

Apresentação

Instalada em 2001 na Estação Experimental Cascata, a unidade operacional denominada Biofábrica tornou-se referência na produção e validação de insumos alternativos, especialmente no que tange à proteção fitossanitária dos cultivos. A proposta inicial de resgatar as sistemáticas de controle fitossanitário alternativo em uso no sul do Brasil; disponibilizar fórmulas e treinamento a profissionais e produtores e priorizar a pesquisa de espécies medicinais nativas (RELATÓRIO DO PROJETO RS RURAL, 2005) foi expandida, a partir de 2007, por meio da permanente evolução do corpo técnico e gerencial. A adequação aos requisitos da norma NBR ISO/IEC 17025, com o objetivo de implementar, divulgar e manter o sistema de gestão da qualidade e garantir a excelência dos resultados técnicos e a manutenção da competitividade na geração de tecnologias, teve início no ano de 2009. A estrutura laboratorial desta Unidade Operacional sofreu, nos últimos anos, uma reorganização e adequação em decorrência dos novos desafios impostos pelo avanço alcançado nas áreas de atuação ali compartilhadas, química de produtos naturais e controle biológico de pragas, cujo foco é a produção sustentável de cultivos de alta qualidade, com prioridade para métodos que utilizem elementos da biodiversidade funcional (predadores, parasitóides, antagonistas, plantas bioativas, minhocas) para regular as populações de organismos nocivos em sistemas de transição ou garantir a estabilidade dos agroecossistemas. Buscam-se desenvolver formatos tecnológicos específicos de acordo com as condições sócio-econômicas de cada região, respeitando a heterogeneidade de cada lugar e as necessidades e desejos dos agricultores que participam do processo de investigação e implementação do manejo ecológico de pragas.

 

Serviços Prestados

A unidade operacional em questão atende a diversos projetos de pesquisa e desenvolvimento e ao treinamento de estagiários e pós-graduandos. Na execução destes projetos, as atividades laboratoriais são complementadas por atividades realizadas em casa-de-vegetação, telados e campos experimentais. A equipe ali atuante desenvolve atividades de pesquisa vinculadas a duas áreas de atuação, química de produtos naturais e controle biológico de pragas.

 

Linhas de pesquisa:

  • Biodiversidade – atividades voltadas ao isolamento e identificação, conservação, ecologia e avaliação de micro-organismos com potencial para uso no controle biológico de pragas agrícolas, notoriamente as espécies invasoras nativas e exóticas e doenças de plantas. O laboratório mantém uma coleção de trabalho de micro-organismos de interesse ao controle biológico de pragas (CMIBIO) e interage com a Rede Microbiana da Embrapa visando a identificação, preservação e disponibilização destes organismos como suporte aos programas de controle biológico de plantas invasoras e doenças de plantas.
  • Desenvolvimento de produtos e processos a partir de substâncias bioativas oriundas do metabolismo secundário de micro-organismos e plantas.
  • Bioherbicidas – espécies invasoras exóticas de difícil controle
  • Desenvolvimento de produtos e processos a partir de resíduos orgânicos disponíveis nos sistemas agrícolas e agroindustriais regionais
  • Potencial de compostos e vermicompostos na supressão a pragas.
  • Controle biológico de fitopatógenos habitantes do solo – Sclerotium rolfsii e Sclerotinia sclerotiorum.
  • Desenvolvimento de bioprodutos para sistemas de produção agrícola de base ecológica, com foco em doenças de solo e de fruteiras.
  • Conservação de inimigos naturais como estratégia de controle biológico.
  • Avaliação de risco de agentes potenciais de biocontrole, com foco em organismos não-alvo.
  • Manipulação da comunidade microbiana do solo como incremento ao controle biológico de pragas.

 

As atividades de pesquisa e rotina incluem:

  1. Preparo de extratos a partir de plantas bioativas por meio de infusão, decocção, alcoolatura e tinturas;
  2. Hidrodestilação de óleo essencial de plantas bioativas;
  3. Avaliação in vitro da eficiência biológica de produtos naturais no controle de pragas;
  4. Avaliação da eficiência agronômica de produtos naturais em casa-de-vegetação e a campo;
  5. Identificação taxonômica e citogenética de oligoquetas terrestes;
  6. Análise de macrofauna;
  7. Prospecção de inimigos naturais de espécies alvo;
  8. Isolamento e identificação taxonômica de agentes potenciais de biocontrole de espécies invasoras alvo;
  9. Seleção de agentes potenciais de biocontrole com base no impacto (avaliação do nível de dano e da especificidade/abrangência de hospedeiros) causado pelos inimigos naturais à espécie alvo;
  10. Avaliação da variabilidade genética em populações de espécies de agentes potenciais de interesse ao controle biológico de plantas invasoras alvo;
  11. Avaliação da influência dos fatores do ambiente sobre os agentes potenciais de biocontrole e sobre a interação patógeno/hospedeiro;
  12. Produção massal de agentes de biocontrole;
  13. Avaliação da vida de prateleira/infectividade do inóculo;
  14. Avaliação da eficiência agronômica de agentes potenciais de biocontrole;
  15. Monitoramento a campo de agentes de biocontrole;
  16. Análise de macrofauna;
  17. Preservação de agentes de biocontrole;
  18. Capacitação de agricultores, técnicos e estudantes.

 

Interação com outros laboratórios da UD:

  1. Central Analítica
  • Extração, fracionamento, isolamento, quantificação e identificação de compostos químicos naturais - equipamentos de alta performance, entre os quais rotaevaporadores, cromatógrafos gasoso (GC-FID) e líquido (LC-MS/MS).
  • Estimativa da atividade microbiana total em compostos, vermicompostos e solo – cromatógrafo gasoso (CG-Greenhouse).
  • Análise química de macro e micronutrientes a partir de solo, compostos e vermicompostos – espectrômetro de absorção atômica.
  1. Laboratório de Biologia molecular
  • Caracterização molecular de espécies vegetais e de micro-organismos, de forma a atender demandas de pesquisas que requeiram a identificação ou a avaliação da variabilidade genética de populações de plantas e de micro-organismos.
  1. Laboratório de Imunologia e Microscopia eletrônica
  • Análise ultra-estrutural de estruturas microbianas e da interação hospedeiro-agente de biocontrole – microscópio de varredura e transmissão.
  1. Laboratório de fisiologia vegetal
  • Enzimas envolvidas na atividade microbiana

 

Equipamentos

A Unidade Operacional dispõe de equipamentos básicos para a execução de trabalhos de rotina associados a ambas as áreas de atuação. Citam-se estufa de esterilização por calor seco, estufa de secagem de vidrarias, microscópio ótico, microscópio estereoscópico, dois pHmetros, dois condutivímetros, capela de exaustão, câmara de fluxo laminar, cinco BODs, três geladeiras, mantas aquecedoras, centrífuga, liquidificador industrial, cutter industrial, micro-ondas e balanças analíticas, autoclave vertical, destilador de água tipo Pilsen, leitor de absorbância em microplacas, extratores de Clevenger (bateria de cinco unidades em funcionamento)

 

Equipe Técnica


A equipe técnica é composta de quatro empregados da Embrapa Clima Temperado, lotados na Estação Experimental Cascata. Dois pesquisadores desempenham as funções de responsável técnico (RT) e RT substituto, respectivamente Glaucia de Figueiredo Nachtigal e Gustavo Schiedeck, e dois assistentes, somados ao quadro em 2010, atuam em nível de apoio à pesquisa. O laboratório conta com um contínuo fluxo de estudantes de iniciação científica, aperfeiçoamento e pós-graduação, aceitos como estagiários/bolsistas.

Glaucia de Figueiredo Nachtigal – Doutora em Agronomia, Área de Concentração Produção Vegetal

Área de Atuação: Pesquisadora Sanidade Vegetal/Controle Biológico de Plantas Invasoras e Doenças de Plantas

Responsável Técnica

glaucia.nachtigal@embrapa.br

 

Gustavo Schiedeck – Doutor em Ciências, Área de Concentração Produção Vegetal

Área de Atuação: Pesquisador Plantas Bioativas/Minhocultura

gustavo.schiedeck@embrapa.br

 

Daniel Lopes de Lima – Mestre em Fitossanidade, Área de Concentração Fitopatologia

Área de Atuação: Assistente de Pesquisa

daniel.lima@embrapa.br

 

Neuza Silveira Dannenberg

Área de Atuação: Assistente de Pesquisa

 

Contrato

(53) 3271-8605 / 3277-5144

cpact.lab.biofabrica@embrapa.br

Apresentação

O Laboratório de Eletroforese foi criado em dezembro de 1979, sob a coordenação da Drª. Eliane Augustin e do Dr. Bonifácio Nakasu. Nesta época, contava com um laboratorista e dispunha de uma área de 30m², ampliada em 1987, para aproximadamente 140m². Desde então, o laboratório desenvolve atividades de suporte às pesquisas realizadas na Embrapa Clima Temperado. Em 2004, teve seu nome alterado para Laboratório de Biologia Molecular. Tem por objetivo, fornecer suporte aos projetos de pesquisa ou prestação de serviços usando marcadores bioquímicos (proteínas e isoenzimas) e moleculares na avaliação da variabilidade genética de amostras e na seleção assistida de programas de melhoramento genético.
 

Serviços prestados

Marcadores bioquímicos;
Marcadores moleculares (RAPD, SSR, AFLP, Análises em Real Time-PCR e por HRM);
Análise de materiais (plantas, fungos, insetos e nematóides).

 

Equipe técnica

Natércia Lobato Pinheiro (Gestora)
Caroline Marques de Castro
Daniela Lopes Leite
Rosa Lia Barbieri
Sérgio Delmar dos Anjos e Silva
Sandro Bonow
 
Contato
Telefone: (53) 3275-8163
E-mail: cpact.lab.molecular@embrapa.br

Apresentação

O Laboratório de Bromatologia e Nutrição Animal é utilizado como apoio para os trabalhos de pesquisa da Embrapa Clima Temperado, nas áreas de nutrição e alimentação animal, manejo alimentar das criações nas suas diferentes fases produtivas, apoiar técnicos de campo em suas decisões, com base na composição química de alimentos utilizados na produção animal, apoiar o trabalhos de melhoramento, produção e manejo de forrageiras e pastagens. O LabNutri realiza análises de composição química e valor nutritivo em amostras de grãos, rações, pastagens, forrageiras, coprodutos agroindustriais e quaisquer outros produtos que tenham potencial de serem utilizados na alimentação animal.

O LabNutri participa desde 2010 do EPLNA (Ensaio de Proficiência para Laboratórios de Nutrição Animal), que tem entre seus objetivos principais a redução da variabilidade entre os resultados fornecidos por diferentes laboratórios, assegurando a uniformidade e comparabilidade das medições.
 

Serviços prestados

O Labnutri dá suporte a projetos de pesquisa e, atualmente, também presta serviços a clientes externos.
 

Análises realizadas

O labnutri realiza análises de composição química dos alimentos tais como: matéria seca, matéria orgânica, matéria mineral, proteína bruta, fibra em detergente neutro, fibra em detergente ácido, lignina, gordura bruta (extrato etéreo), pH de silagens e outros alimentos conservados, estimativas de digestibilidade e valor energético de alimentos para ruminantes, recomendações de uso de alimentos para ruminantes com base na composição química e valor nutritivo. Recentemente foram adquiridos para o laboratório, equipamentos para determinação in vitro de digestibilidade e produção de gás.
 

Equipamentos

Destilador de Nitrogênio
Determinador de fibra
Determinador de gordura
Incubadora "in vitro" para digestibilidade
Sistema de avaliação da produção de gás "in vitro"
Estufa com circulação de ar forçado
pHmetro
Moínhos
Balanças analíticas
Blocos digestores
 

Equipe técnica

 
Contato

Telefone: (53) 3275-8430 ou (53)3275-8419
E-mail: cpact.lab.bromatologia@embrapa.br

Apresentação

A Central Analítica surgiu no contexto de qualificar a estrutura de pesquisa, passando de laboratórios disciplinares para laboratórios com maior nível de sofisticação, automação e produtividade, capazes de atender a fins múltiplos de estudo, com maior sensibilidade analítica e precisão. Em 2005, começou a reforma do prédio e a aquisição de equipamentos. Em 2008, foram instalados o Analisador Elementar CHN-S e o Espectrômetro de Absorção Atômica, que funciona nos modos chama, forno de grafite e gerador de hidretos, bem como contratadas as primeiras funcionárias. Em 2010, o micro-ondas para digestão de amostras e o espectrômetro de infravermelho próximo (NIR) e, em 2012, um cromatógrafo gasoso com detector FID (GC-FID) e outro com detector para análise de gases do efeito estufa (GC-Greenhouse).

A Central Analítica tem por objetivo dar suporte às ações de PD&I desenvolvidas na Embrapa Clima Temperado. É um laboratório multiusuário e multifuncional, o que possibilita o atendimento simultâneo de várias linhas de pesquisa, com qualidade, confiabilidade e rapidez na geração de dados e otimiza a utilização deinfraestrutura, equipamentos e recursos humanos.
 

Serviços prestados

Na Central Analítica são realizadas técnicas de análise química instrumental para as mais diversas matrizes: água, solos, rochas, tecido vegetal, fertilizantes minerais e orgânicos, entre outros. Os serviços prestados também incluem a quantificação de elementos nutrientes, bem como análises qualitativas e quantitativas por cromatografia gasosa.
 

Equipamentos

Analisador elementar por combustão CHN-S
Balanças analíticas
Blocos digestores
Cromatógrafos gasosos (GC-FID e GC-Greenhouse)
Destilador de nitrogênio
Espectrofotômetro UV/VIS
Espectrômetro de absorção atômica
Espectrômetro de infravermelho próximo (NIR)
Estufa para secagem e esterilização de material
Micro-ondas para digestão de amostras
 

Equipe técnica

Daiane Placido (Gestora)
Ana Paula Camargo de Freitas
Danielle Alves Porto Lucas
 
Contato
Telefone: (53) 3275-8182 ou (53) 3275-8191
E-mail: cpact.central.analitica@embrapa.br

Apresentação

O Laboratório de Ciência e Tecnologia de Alimentos da Embrapa Clima Temperado, anteriormente chamado de Laboratório de Tecnologia de Alimentos, foi criado em 1983, um ano após a construção da Sede do Centro Nacional de Pesquisa de Fruteiras de Clima Temperado da Unidade, funcionando junto à Fábrica de Conservas e sendo nele realizado o controle da qualidade dos produtos processados. Atualmente, em sua estrutura física são desenvolvidas atividades cujo objetivo é dar suporte à pesquisa desenvolvida na Embrapa Clima Temperado na área de Ciência e Tecnologia de Alimentos, com trabalhos em frutas e hortaliças, arroz e leite. especialmente para frutas e hortaliças.
 

Serviços prestados

Determinações de pH, acidez, Brix, amilose, temperatura de gelatinização, enzimas peroxidase e polifenoloxidase, gordura, umidade, açúcares, vitamina C, fenóis, atividade antioxidante, carotenóides e antocianinas;
Testes de cozimento para arroz e feijão e análise sensorial.
 
Equipe técnica
Ana Cristina Richter Krolow
Márcia Vizzotto
Nubia Marilin Lettnin Ferri
 
Contato

Telefone: (53) 3275-8187
E-mail: cpact.lab.cta@embrapa.br

 

Email do Laboratório Clinica Fitossanitária: cpact.lab.clinicafito@embrapa.br

Fone: (53) 3275 8442

 

 

Responsável: Engº Agrº Dr. Cley Donizeti Martins Nunes

Email: cley.nunes@embrapa.br

 

 

O laboratório de Clinica Fitossanitária da Embrapa Clima Temperado localizado na Estação de Terras Baixas, no município do Capão do Leão, possui uma estrutura física e organizacional, o qual participa na execução de atividades de pesquisa nas áreas temáticas de melhoramento genético para reação de resistência das plantas às doenças, controle biológico, químico e manejo cultural das culturas de arroz irrigado, soja, milho, sorgo, trigo, feijão e forrageiras.  Atende as atividades de prestação de serviços de apoio aos órgãos governamentais, produtores e entidades privadas do setor produtivo, industrial e ensino. Entre estás atividades estão relacionadas à defesa vegetal (informações de ocorrência epidemias como a Ferrugem Asiática da Soja na região, diagnose de doenças e analise de sanidade das sementes, treinamentos e cursos para agrônomos, técnicos agrícolas e graduação), principalmente nos agroecossistemas, onde a atuação é mais direta visando ao desenvolvimento de sistemas sustentáveis e produção.

No agroecossistema de terras baixas predomina o sistema produtivo baseado na integração lavoura-pecuária. A parte agrícola basicamente corresponde à cultura do arroz irrigado por inundação (arroz irrigado: > 1 milhão ha) ou à rotação dessa cultura com a da soja (± 0,3 milhão ha), pastagem (azevém e trevos), sorgo, milho e trigo, que são praticadas por grandes e pequenos produtores. 

Esses sistemas produtivos apresentam graves problemas principalmente com as doenças devido principalmente quando estão implantadas em grandes áreas, que provocam adaptação dos fitopatógenos as plantas, tornando-as suscetíveis, o que leva o uso de agrotóxicos na maioria dos casos, que se constituem no único método factível de controle e de difícil substituição. Esta condição propulsiona o uso grande volume de agrotóxicos. Atualmente é estimado que 95% da área cultivada é tratada anualmente com fungicidas, aplicado nos diferentes tipos de cultivos. A pesquisa procura maximizar segurança ambiental, econômica e qualidade final desses produtos. Essa situação tem demandado um grande esforço visando à racionalização do uso de agrotóxicos.

 

 

1) Serviços prestados

Espécies analisadas: Arroz, soja, feijão, trigo, sorgo, milho, azevém, cebola e alho.

 

 

 

Diagnose de doenças de plantas

Espécies analisadas: Arroz, soja, feijão, trigo, sorgo, milho, azevém, capim lanudo, trevos, aveia, cevada e outras culturas envolvidas no sistema de produção regional que participa da integração lavoura e pecuária.

 

Envio de amostra de plantas

Coletar a planta inteira;

Acondicione a planta com as raízes, em papel jornal umedecido, envolta com saco plástico. A parte aérea deve ficar livre para não sofrer decomposição;

Evite encaminhar somente folhas, pois, muitas vezes, sintomas na parte aérea são reflexos de problemas no sistema radicular.

Acomode as plantas em caixa de papelão e procure enviar no mesmo dia em que for coletada;

Informe sobre o local da coleta, município, cultivar, produtos aplicados, quantidade e data de semeadura, adubação de cobertura e de aplicação de produtos químicos

O encaminhamento deve ser preferencialmente, nos primeiros dias da semana, para evitar que o material permaneça nos correios no sábado e no domingo, sob condições inadequadas;

Faça a amostra chegar ao Laboratório tão rápido quanto possível, utilizando os serviços do correio (sedex).

 

 

 

2) Equipe Técnica

Pesquisador responsável

Cley Donizeti Martins Nunes - Engº Agrº Dr. Fitopatologia, pesquisador de manejo integrado de doença.

 

Apoio

Ernande Ferreira - Biólogo / Analista B

Francisco Carlos Lopes de Lima – Assistente B

 

Estagiários

 

 

Equipe do Laboratório da Clinica Fitossanitária da Estação de Terras Baixas. Esquerda para direita, Ernande Ferreira, Cley Donizeti Martins Nunes e Francisco Carlos Lopes de Lima.

 

 

3) Informações

 

Endereço:

Estação de Terras Baixas / Laboratório de Clinica Fitossanitária

Embrapa Clima Temperado

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

BR 392, KM 78, Cx. Postal: 403

CEP. 96001-970 – Pelotas, RS.

 

Histórico

O Laboratório de Clinica Fitossanitário passou por diferentes instituições ao longo da sua história na pesquisa agrícola e com atuação de vários pesquisadores de renome nacional e internacional, o qual esta sediado na Estação de Terras Baixas, que completa 70 anos de trabalhos contínuos em 2013. 

A consequencia do estabelecimento do laboratório surgiu da necessidade de aumentar a produtividade e estabilidade da produção agrícola, procurando uma padronização de qualidade sanitária dos produtos, para atender a demanda dos consumidores e dos mercados externos.

Para alavancar a produção através do manejo das culturas (melhoramento de plantas, adubação, rotação de cultura, controle de pragas e irrigação das lavouras), associada às novas cultivares, em meados de 1943 e por iniciativa federal, teve início da sua existência a criação neste local o Instituto Agronômico do Sul (IAS), através do Decreto-Lei 6155, de 30 de dezembro daquele ano.

Esta instituição era encarregada da execução da pesquisa agropecuária no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Paraná. Por volta de 1959, para atender as pesquisas de sanidade de plantas foi montado o Laboratório de Fitopatologia que corresponde hoje o Laboratório de Clinica Fitossanitário.

Posteriormente, fez parte do IPEAS (Instituto de Pesquisas e Experimentação Agropecuárias do Sul), vinculado ao Departamento Nacional de Pesquisa Agrícola- DNPEA, do Ministério da Agricultura, quando o IAS foi extinto. O instituto se transferiu para Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com sua criação em 1973. Em março de 1975 surge a UEPAE de Pelotas, criada pela Deliberação 15/75. Nessa época, a partir da assinatura de um convênio entre a Embrapa e a Universidade Federal de Pelotas, começam as atividades de parceria entre pesquisa e ensino. Em março de 1985, passou ser parte Centro de Pesquisas Agropecuárias de Terras Baixas (CPATB), pela Deliberação nº 007/85. Em março de 1993, dois Centros de Pesquisas (CPATB e CNPFT – Centro Nacional de Pesquisa de Fruteiras de Clima Temperado) com atuações diferenciadas, coexistindo na mesma região geográfica, passam a se constituir no Centro de Pesquisa Agropecuária de Clima Temperado (CPACT), através da Deliberação 008/93 da Diretoria da Embrapa. A fusão ocorre por questões de racionalização de recursos materiais e humanos. As linhas de pesquisas, as áreas de abrangência e os produtos são diferentes, mas os serviços administrativos e de infra-estrutura poderiam ser comuns.

 

 

4) Contato com o laboratório

 

Fone: (53) 3275 8442

Email do Laboratório de Clinica Fitossanitária: cpact.lab.clinicafito@embrapa.br

Apresentação

O Laboratório de Cultura de Tecidos (LCT), localizado na Sede da Embrapa Clima Temperado, realiza atividades relacionadas à micropropagação vegetal e ao cultivo de tecidos vegetais in vitro. O LCT foi criado em 1979, sendo o primeiro laboratório de cultura de tecidos da Embrapa na região Sul, e o segundo no Brasil (criação simultânea ao laboratório do Cenargen). No laboratório são estabelecidas espécies, cultivares e seleções a partir de tecidos ou órgãos de plantas. As culturas estabelecidas são mantidas para a conservação da variabilidade vegetal ou micropropagadas, visando a multiplicação. Demandas internas quanto à produção de mudas de batata e amora, por exemplo, são atendidas pelo laboratório.

O LCT mantém um Banco Ativo de Germoplasma (BAG) de batata, com mais de 500 acessos. Algumas variedades de amora e framboesa, mantidas para conservação, encontram-se em cultivo no LCT desde a década de 80. O LCT tem trabalhado com a micropropagação de morangueiro desde 1979, e chegou a produzir até 80.000 mudas por ano. Atualmente, o objetivo é a produção de material básico para atender aos programas de melhoramento genético de batata, de espécies frutíferas e de espécies agroenergéticas.
 

Serviços prestados

Produção de material pré-básico e básico para os programas de melhoramento genético;
Produção de material de elevado padrão genético e fitossanitário (limpeza viral);
Conservação de material;
Apoio à plataforma de recursos genéticos;
Apoio a programas de graduação e pós-graduação.
 

Equipe técnica

Juliana Hey Coradin (Gestora)
Leonardo Ferreira Dutra
Antônio Fernando Pacheco Nino
Francisco Carlos Budjiarck Vieira
 
Contato

Telefone: (53) 3275–8159 ou (53)3275-8259
E-mail: cpact.lab.culturatecidos@embrapa.br

Apresentação

O laboratório de Entomologia possui uma área construída de 300m2, onde são realizados estudos relacionados à bioecologia e controle biológico de insetos-praga, com ênfase a mosca-das-frutas. Neste laboratório também é mantida uma coleção de cerca de 2.500 espécies de insetos catalogadas, coletadas na região Sul do Rio Grande do Sul. Neste laboratório há salas de crescimento de insetos, climatizadas, salas para experimentos relacionados ao comportamento de insetos, biologia, ecologia e controle.

O laboratório tem a missão de disponibilizar técnicas de controle que possam ser utilizadas no Manejo Integrado de Pragas nos sistema agrícolas de frutíferas, olerícolas e culturas destinadas a produção de bicombustível.

Serviços prestados

Avaliação de produtos biológicos
Emissão de laudos sobre a presença de insetos-praga em programas de mitigação
Laudos técnicos sobre a ocorrência de insetos-praga
Assessoramento aos programas de monitoramento de pragas quarentenárias do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Agronegócio (SEAPA)
 

Equipamentos

Câmaras climatizadas e microscópios estereoscópicos com sistema de captação de imagens.
 

Equipe técnica

Mirtes Melo (Gestora)
Dori Edson Nava
Gilmar Barros dos Santos
 
Contato

Telefone: (53)3275-8196
E-mail: cpact.lab.entomologia@embrapa.br

Apresentação

Oficialmente criado em 2004, o Laboratório de Fertilidade do Solo tem por objetivo desenvolver e apoiar as atividades de pesquisa em química e fertilidade do solo e a prestação de serviços ao setor produtivo, realizando análises químicas de solo. Atualmente realiza cerca de 5.000 análises de solo por ano, utilizando-se de diferentes métodos, com vistas ao atendimento de demandas específicas dos projetos de pesquisa da Embrapa Clima Temperado e instituições parceiras, bem como do setor produtivo.

O Laboratório de Fertilidade do Solo participa do Sistema de Controle de Qualidade da ROLAS (Rede Oficial de Laboratórios de Análise de Solo e de Tecido Vegetal dos Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina), tendo a exatidão dos dados analíticos gerados avaliada mensalmente. Além disso, para garantir qualidade a todas as análises realizadas, o Laboratório utiliza padrões internos e externos de controle.

A partir de 2010, o Laboratório de Fertilidade do Solo passou a utilizar um sistema informatizado para processar as informações analíticas e emitir os laudos de análise química de solo. Além disto, o sistema armazena e gerencia o banco de dados do laboratório.
 

Análise de solo

A análise química de solo é a principal ferramenta de diagnóstico da fertilidade do solo, indicando a presença e magnitude dos principais nutrientes essencias e tóxicos ao desenvolvimento das plantas. Possibilita o estabelecimento de recomendações corretas e econômicas de correção do solo e adubação para as culturas.

A adequação das recomendações de correção do solo e adubação depende, além da qualidade do processo analítico e da correta interpretação dos resultados obtidos, da representatividade da amostra de solo. O procedimento para a obtenção de amostras de solo representativas é simples, porém requer alguns cuidados, conforme pode ser verificado aqui.
 
No momento, o laboratório não está recebendo amostras para análise de solo.
 

Equipe técnica

  • Cristina Moreira da Silveira
  • Paulo Abreu Grala
  • Santo Denoir da Costa
  • Walkyria Bueno Scivittaro (Gestora)
     
 
Contato

Telefone: (53)3275-8231
E-mail: cpact.lab.fertilidade@embrapa.br

Apresentação

 

O Laboratório de Física do Solo da Embrapa Clima Temperado foi estruturado visando dar suporte às linhas de pesquisa relativas ao uso sustentável dos recursos naturais, ordenamento territorial e desenvolvimento de sistemas conservacionistas de manejo do solo e da água. As atividades de pesquisa mais frequentes envolvem o manejo e a conservação do solo e da água, incluindo a quantificação de atributos voltados à avaliação da qualidade do solo em curto, médio e longo prazo. Recentemente, destacam-se as pesquisas relacionadas ao desenvolvimento e avaliação dos efeitos de novos insumos para a agricultura sobre os atributos do solo e da água, incluindo os condicionadores de solos, substratos para plantas, compostos orgânicos, resíduos de atividades agrícolas e de processos agroindustriais, lodos de estações de tratamento de água e de esgoto, entre outros. 

Serviços prestados

No laboratório são realizadas as seguintes análises:

Solo:

  • Granulometria do solo e classificação textural
  • Argila dispersa em água (argila natural), grau de floculação e grau de dispersão
  • Densidade do solo
  • Porosidade total, macro e microporosidade do solo
  • Distribuição e Estabilidade dos agregados
  • Umidade gravimétrica do solo
  • Densidade de partículas
  • Fracionamento físico densimétrico da matéria orgânica
  • Fracionamento físico granulométrico da matéria orgânica
  • Carbono da biomassa microbiana
  • Curva de retenção de água do solo 
Substratos:
  • Densidade úmida
  • Densidade seca
  • Matéria seca
  • Porosidade total e espaço de aeração
  • Água facilmente disponível, água tamponante e água remanescente
  • Curva de retenção de água em substratos (1, 5 e 10 kPa)
  • pH e Condutividade Elétrica
  • Granulometria 
 

Equipamentos

  • Ultrassom
  • Bomba de vácuo
  • Balanças analíticas
  • Phmetro
  • Centrífuga
  • Condutivímetro
  • Estufas para secagem de amostras
  • Câmaras de Richards
  • Agitador horizontal
  • Mesas de tensão
  • WP4c - medidor do potencial de água no solo
  • Dessecadores
  • Aparelho de oscilação vertical Yoder
  • Coqueteleira
  • Lupa
  • Chapa metálica
  • Agitador
  • Microondas
 

Equipe técnica

  • Adilson Luís Bamberg – Pesquisador A
  • Clenio Nailto Pillon - Pesquisador A
  • Cristina Moreira da Silveira - Analista A
  • Paulo Roberto da Silva Ferreira – Assistente C
  • Rosane Martinazzo - Pesquisador A

 

Equipe técnica - estudantes

  • Lizete Stumpf - Bolsista de Pós-Doutorado
  • Alex Becker Monteiro – Bolsista de Doutorado
  • Cristiane Mariliz Stöcker – Bolsista de Doutorado
  • Pablo Lacerda Ribeiro – Bolsista de Mestrado

 

Contato

Telefone: (53) 3275-8232
E-mail: cpact.lab.fisica@embrapa.br

Equipe técnica

Ângela Diniz Campos (Gestor)
 
Contato

Telefone: (53)3275-8222
E-mail: cpact.lab.fisiologia@embrapa.br

Apresentação

Desde a criação do Laboratório de Fitopatologia, em 1983, são desenvolvidas nesse espaço, pesquisas científicas envolvendo estudos de caracterização genética de fitopatógenos fúngicos, bacterianos e fitonematoides, além de trabalhos de epidemiologia e manejo integrado de doenças envolvendo diferentes estratégias, quer seja pelo uso de métodos alternativos, químicos, biológicos ou voltados a seleção de cultivares e ou variedades resistentes a doenças em diferentes programas de melhoramento de diferentes e culturas anuais e espécies frutíferas de clima temperado. Um dos objetivos do laboratório também é a formação de recursos humanos em parceria com diferentes universidades e Programas de Pós-Graduação do País relacionados à área.
 

Serviços prestados

No laboratório de Fitopatologia, a Embrapa Clima Temperado e a Emater-RS, mantém uma Clínica Fitossanitária voltada ao diagnóstico problemas fitossanitários e à recomendação de medidas de controle especialmente para fruteiras e hortaliças, cujos serviços estão disponíveis à produtores, extensionistas e demais interessados. O laboratório também presta serviços relacionados a identificação de fitonematoides em culturas diversas mediante contato prévio com o responsável técnico.
 

Equipe técnica

  • Cesar Bauer Gomes - Dr. Pesquisador Nematologia/Fitopatologia - Responsável Laboratório
  • Bernardo Ueno - Dr. Pesquisador Bacteriologia/Micologia
  • Claudiomar Barbosa do Amaral - Técnico - A
  • Gelson Renato Krolow - Técnico - A
  • Renata Moccellin - Bolsista Pós-doc Fitopatologia
  • Cristiano Bellé - Bolsista Doutorado em Fitossanidade/Nematologia - Faem/Ufpel
  • Margareth Divers - Bolsista Mestrado em Fitossanidade/Nematologia - Faem/Ufpel
  • Eduardo Heller - Bolsista Iniciação Científica, aluno Faem Ufpel- Nematologia
  • Danrley Roza Pacheco - Bolsista Iniciação Científica, aluno Faem Ufpel- Nematologia
  • Patrícia da Silva Grinberg - Eng. Agrônomo, Clnica Fitossanitária EMATER/Embrapa Clima Temperado
 
Contato

Telefone: (53)3275-8161
E-mail: cpact.lab.fitopatologia@embrapa.br

Equipe técnica

Luiz Antônio Suita de Castro (Gestor)
 
Contato

Telefone: (53)3275-8162
E-mail: cpact.lab.microscopia@embrapa.br

Apresentação

O Laboratório de Melhoramento Genético serve como base de apoio aos trabalhos de melhoramento genético da Unidade. São realizados testes de viabilidade de pólen in vitro e in vivo; avaliações de frutas e caracterização (peso, peso médio, diâmetro, forma, cor, teor de sólidos solúveis, firmeza, acidez), extração e germinação de sementes, embriocultura de frutas de caroço e caracterização de algumas olerícolas.
 

Equipe técnica

Maria do Carmo Bassols Raseira (Gestora)
Caroline Marques Castro
Rosa Lia Barbieri
 
Contato

Telefone: (53)3275-8231
E-mail: cpact.lab.fertilidade@embrapa.br

Equipe técnica

Maria Laura Turino Mattos (Gestora)
 
Contato

Telefone: (53)3275-8233
E-mail: cpact.lab.microbiologia@embrapa.br

Apresentação

O laboratório de Nutrição Vegetal tem por objetivo apoiar os trabalhos de pesquisa da Embrapa Clima Temperado nas áreas de manejo da adubação e nutrição de plantas. Realiza determinações de N, P, K, Ca, Mg, S, B, Cu, Fe, Mn e Zn em tecido vegetal.

O laboratório participa do Programa Interlaboratorial de Análise de Tecido Vegetal (PIA-TV), da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, que avalia a exatidão dos dados analíticos gerados ao longo do ano. Além disso, para garantir qualidade a todas as análises realizadas, o Laboratório utiliza rotineiramente padrões internos e externos de controle de qualidade.
 

Análise foliar

O laboratório realiza análises de tecido de qualquer espécie vegetal. Adicionalmente, interpreta os resultados de análise foliar para as principais fruteiras cultivadas no Sul do Brasil. Para estas, os resultados de análise são apresentados em termos de concentração de nutrientes e, por meio de um sistema informatizado, os teores de nutrientes são interpretados graficamente em cinco faixas nutricionais. Isto possibilita que os produtores verifiquem o estado nutricional das plantas. No laudo de análise, são incluídas, ainda, as recomendações de adubação, com base nos teores foliares de nutrientes determinados.

Para obter a metodologia de coleta de amostras foliares das principais frutíferas, basta clicar aqui. Especificamente para citros, macieira e pessegueiro dispõem-se, também, de folders contendo descrição detalhada dos procedimentos de coleta de amostras foliares, os quais poderão ser obtidos gratuitamente no laboratório ou solicitados por e-mail no seguinte endereço eletrônico: cpact.lab.nutricao@embrapa.br.
 

No momento, o laboratório não está recebendo amostras de tecido vegetal para análise.

 

Equipe técnica

  • Carlos Adão Machado de Souza
  • Cristina Moreira da Silveira
  • Walkyria Bueno Scivittaro (Gestora)
     
 
Contato
Telefone: (53) 3275-8231
E-mail: cpact.lab.nutricao@embrapa.br

Objetivos

Aplicação, desenvolvimento e execução de geotecnologias visando o monitoramento e planejamento ambiental das fazendas e dos projetos de pesquisa vinculados à Embrapa, com ênfase na Região de Clima Temperado.

Nesse sentido, se definem as geotecnologias como informações, aplicativos e equipamentos relativos à agricultura de precisão, bancos de dados digitais, sistemas de posicionamento por satélite, imagens de sensoriamento remoto e sistemas de informação geográfica – SIG.

 

Equipamentos

Servidor, 12 microcomputadores, receptores GPS de navegação/ topográfico e accessórios, 3 impressoras (A0, A3 e A4).

 

Aplicativos

ArcGIS, Data Geosis, ERDAS, ER-Mapper, Idrisi...

 

Recursos Humanos

 

Relativos ao Laboratório

  • José Maria Filippini Alba (DSc., Monitoramento Ambiental), pesquisador responsável.
  • Fábia Amorim da Costa (MSc., Geoprocessamento), analista.
  • Oscar Castro (Graduado, Gestão), analista.

 

Pesquisadores associados (Embrapa Clima Temperado):

  • Adalberto Koiti Miura (DSc., Sensoriamento Remoto).
  • Carlos A. Flores (MSc., Pedologia).
  • César Bauer (DSc., Fitopatologia).
  • Clenio N. Pillon (DSc., Sistemas produtivos).
  • Dori E. Nava (DSc., Controle Biológico).
  • Enio Egon Sosinski Jr. (DSc., Ecologia de ecosistemas).
  • Joel H. Cardoso (DSc., Sistemas agroflorestais).
  • Lilian T. W. Sosinski (DSc., Ecologia de Ecossistemas).
  • Newton Alex Mayer (DSc., Sistemas de produção sustentáveis).
  • Noel Cunha Gomes (MSc., Pedologia).
  • Rosa Lia Barbieri (DSc., Recursos genéticos).
  • Sérgio Delmar dos Anjos e Silva (DSc., Melhoramento Genético Vegetal).

 

Área de Atuação

São desenvolvidos projetos em escala regional, municipal e detalhada através de informações digitais levantadas in situ, da mídia digital, de material analógico ou via processamento digital de imagens orbitais de sensores temáticos (Landsat, CBERS...), de alta resolução (GEOEYE, IKONOS, QUICK-BIRD...) ou levantamentos aéreos, que são processadas e integrados em ambiente SIG, focando monitoramentos, mapeamento digital de solos, zoneamentos ou simulação de cenários futuros.

Participação em Projetos

1. Agricultura de precisão II (MP1, Embrapa Instrumentação Agropecuária).
2. Apoio ao PROAF (MP6, Embrapa Clima Temperado) ENCERRADO
3. Atlas Ambiental de Bagé (MI/Prefeitura Municipal, Embrapa Clima Temperado)
4. Base de dados dos recursos naturais dos Biomas Brasileiros (MP2, Embrapa Informática Agropecuária)
5. Cadeia Produtiva do Carvão Vegetal (MP2, Embrapa Clima Temperado) ENCERRADO
6. Capacitação de agricultores familiares para a produção de agroenergia (Convênio MDA/FAPEG, Embrapa Clima Temperado) ENCERRADO
7. Conservação, Uso e Manejo do Butiá no Bioma Pampa (PROBIO2, Embrapa).
8. Desenvolvimento da cultura de cana-de-açúcar no RS (FINEP, Embrapa Clima Temperado).
9. Ecologização da pecuária familiar no Alto Camaquã (MP6, Embrapa Pecuária Sul) ENCERRADO.
10. Estudos ambientais na região da Lagoa Caiubá (FAPERGS, FURG) ENCERRADO.

11. Gestão Ambiental nas Unidades da Embrapa (MP5, Embrapa).
12. Rede de pesquisa participativa (MP6, Embrapa Clima Temperado).
13. Recuperação de áreas degradadas (CNPq, Embrapa Agrobiologia).
14. Serviços ambientais (MP2, Embrapa Clima Temperado).
15. Desenvolvimento de tecnologias para a seleção e propagação de porta-enxertos para Prunóideas (MP2, Embrapa Clima Temperado).
16. Desenvolvimento da região de plantio do arroz "Cachinho" (MP6, Embrapa Clima Temperado).
17. Atlas ambiental da Zona Sul - RS (Demanda externa, Embrapa Clima Temperado)
18. Levantamento de Solos na Bacia do rio Santa Maria (Demanda externa, Embrapa Clima Temperado).
19. Vitrines tecnológicas (MP4, Embrapa Clima Temperado).

20. Monitoramento de Capim Annoni (MP2, Embrapa Pecuária Sul).

 

SERVIÇOS/PRODUTOS

  • Bancos de dados
  • Composições coloridas e mosaicos (imagens)
  • Levantamentos de campo (fazendas)
  • Mapas temáticos
  • Mapas de seleção de alvos (deteção de conflitos)
  • Uso da terra
  • Monitoramentos/Zoneamentos
  • Mapas digitais de solos

 

DOWNLOADS DE ZONEMENTOS

Zoneamento Edafoclimático da Pereira para o RS
  Manual de Uso

Zoneamento da Apicultura para o Bioma Pampa
   Manual de Uso

Zonemanto Edáfico do Sorgo para o RS
   Manual de Uso

Apresentação

O Laboratório de Fisiologia e Tecnologia Pós-Colheita da Embrapa Clima Temperado foi criado por volta de 1988. Tem por objetivo desenvolver e/ou aprimorar técnicas que deem suporte à pesquisa, visando melhorar a qualidade das frutas e hortaliças in natura, por meio de estudos do ponto de colheita, armazenamento refrigerado, atmosfera controlada e atmosfera dinâmica, identificação e controle de alterações fisiológicas, transporte e comercialização das diferentes espécies de frutas de clima temperado. Também são realizados estudos de qualidade e conservação de frutas minimamente processadas de clima temperado.
 

Serviços prestados

Determinações de acidez total titulável, sólidos solúveis totais (ºBrix), pH, cor (L*,a*,b*,croma ºHue), peso, peso médio, diâmetro, firmeza (penetração e compressão), enzimas peroxidase, polifenoloxidase e fenilalanina amônia-liase, vitamina C, taxa respiratória, açúcares redutores, açúcares não redutores, açúcares  totais, compostos fenólicos totais, atividade antioxidante, flavonoides totais, perda de eletrólitos, etileno, acetaldeído, etanol, antocianinas totais e avaliação sensorial do produto. São realizados testes das condições ideais de conservação dos produtos utilizando os sistemas de armazenamento refrigerado, atmosfera controlada e atmosfera dinâmica monitorando, mediante um sistema automatizado (software), a temperatura, a umidade relativa do ar, as concentrações de gases (O2 e CO2) das câmaras frias e cabines de atmosfera controlada e dinâmica, visando estimar os períodos máximos de conservação dos produtos em estudo. O sistema é conectado via internet, sendo possível monitorar e alterar as condições de funcionamento das câmaras frias e cabines de qualquer lugar do mundo onde exista conexão de internet. Também são realizados testes de comercialização simulada, estudando a qualidade e a vida útil dos produtos vegetais analisados. Até o presente momento, as atividades têm sido desenvolvidas para atender as pesquisas da área de fisiologia e tecnologia pós-colheita e apoio aos outros programas de pesquisa da Unidade.
 

Equipamentos

• Conjunto de 05 câmaras frias

• 12 cabines de atmosfera controlada

• 06 cabines de atmosfera dinâmica

• Analisador de gases Isolcell

• Unidade de gases (N2, CO2, O2)

• Analisador de textura TA-XT

• Colorímetro Minolta

• Estufas

• pHmetro

• Moinho de Bolas

• Balanças analíticas

• Refratômetro com controle automático de temperatura

• Espectrofotômetro UV/VIS

• Agitador Vortex

• Condutivímetro        

 

• Desumidificadores

• Geladeiras e Freezer

• Medidor portátil de temperatura, umidade relativa e luminosidade

• Anemômetro

• Psicrômetro

• Analisador de gases portátil Oxybaby

• Radiômetro

• Paquímetro

• Banho Maria

• Absorvedor de dióxido de carbono Isolcell

• Sensor de fluorescência

• RobotCoupe CL50

• Gerador de Ozônio

•Termo-Higrômetros com Data Logger

 

 

 

Equipe técnica

Rufino Fernando Flores Cantillano (Gestor)

Conta com o apoio da analista do Núcleo de Alimentos Nubia Marilin Lettnin Ferri. As atividades são realizadas por estudantes de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado.

 
Contato

Telefone: (53) 3275-8189 ou (53) 3275-8185
E-mail: cpact.lab.poscolheita@embrapa.br

 

Apresentação

O Laboratório de Recursos Genéticos tem como objetivo viabilizar as atividades de conservação e caracterização de acessos dos bancos ativos de germoplasma (ex situ e in situ) da Embrapa Clima Temperado. Desde sua implantação, em 2008, tem sido realizadas ações de pesquisa com batata, cebola, cenoura, cucurbitáceas, pimentas, butiá, plantas ornamentais nativas do pampa e espinheira-santa.

 

Equipamentos

Balanças
Câmara fria para conservação de sementes
Desumificadores
Estufa de secagem de sementes
Freezer
Medidor de área foliar
Microscópio estereoscópico
 

Equipe técnica

O Laboratório de Recursos Genéticos não possui funcionário responsável. As atividades são realizadas por estudantes de iniciação científica, mestrado, doutorado e pós-doutorado.
 
Contato

Telefone: (53) 3275-8104

Apresentação

A pecuária de leite é uma importante e crescente atividade econômica no Rio Grande do Sul, que industrializa 5 milhões de litros/dia, e possui forte impacto social. O Sistema de Pesquisa e Desenvolvimento em Pecuária Leiteira (Sispel) da Embrapa Clima Temperado foi criado em 1996, para atender as necessidades de pesquisa dos produtores de leite da Região Sul do Brasil. Conta com um rebanho experimental de 150 animais, uma estrutura completa de produção e laboratórios. As pesquisas são desenvolvidos por seis pesquisadores, nas áreas de forrageiras, nutrição, reprodução, manejo, qualidade do leite e economia.

O Laboratório de Qualidade do Leite vem completar esta proposta. Tem capacidade para analisar 30 mil amostras mensais e sua importância para o Rio Grande do Sul, especialmente para a metade sul, está no apoio ao controle dos rebanhos, o que irá permitir uma melhoria significativa no padrão de qualidade do produto, conforme exigências do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e da sociedade.

O Laboratório possui Analisador da Composição Físico-Química do Leite e Contador de Células Somáticas, adquirido em projeto aprovado pelo Conselho Regional de Desenvolvimento da Região Sul (Corede Sul) em referendo popular, e Contador de Bactérias adquirido com recursos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Embrapa. Está habilitado a fazer análises de gordura, proteína, lactose, sólidos totais, contagem de células somáticas e contagem bacteriana.
 
Equipe técnica
Rosângela Silveira Barbosa - Responsável técnica
Luciane da Rocha Alves - Responsável técnica substituta
Pedro Renato Britto Dalbann
Paulo Roberto Candia
 
Contato

Telefones: (53) 3275-8440 e (53) 3275-8481
E-mail: cpact.lab.leite@embrapa.br

Apresentação

O laboratório de Reprodução Animal, inaugurado em 06 de novembro de 1998, realiza trabalhos de pesquisa relacionados ao estudo das tecnologias de reprodução assistida em bovinos e ovinos. Também é importante estrutura de apoio aos trabalhos de pesquisa e desenvolvimento em pecuária da região. Suas instalações estão localizadas na Estação Experimental Terras Baixas da Embrapa Clima Temperado. As ações de pesquisa e desenvolvimento são desenvolvidas em parceria com a Emater/RS-Ascar e Universidade Federal de Pelotas, e estão inseridas na Rede de Inovação em Reprodução Animal.

Tecnologias disponíveis

Produção in vivo e in vitro de embriões bovinos para maximizar a eficiência reprodutiva dos rebanhos
Identificação do sexo dos embriões (sexagem) através da reação de Polimerase em cadeia – PCR
Criopreservação de gametas e embriões

Metodologias e tecnologias em desenvolvimento

Avaliação de métodos de criopreservação que propiciem a máxima viabilidade após o descongelamento para embriões bovinos através da análise ultraestrutural por microscopia eletrônica.
Otimização do sistema de produção in vitro de embriões bovinos e ovinos através de metodologias que favoreçam o maior rendimento e viabilidade dos produtos. Redução do desvio da proporção macho:fêmea dos produtos através de diferentes metodologias de preparação espermática.
Estudo de criotolerância segundo a raça de embriões bovinos
Criopreservação de embriões ovinos
 

Equipe técnica

Lígia Margareth Cantarelli Pegoraro (Gestora)
Mara Helena Saalfeld (Convênio Emater/Embrapa)
Maria Gabriela Tavares Rheingantz (Professora Adjunta Histologia - UFPel)
 
Contato

Telefone: (53) 3275-8492
E-mail: cpact.lab.reproducao@embrapa.br