Notas Técnicas

A Embrapa Clima Temperado informa, de forma detalhada, neste espaço a posição da empresa a respeito de temas relevantes e complexos para os diversos atores envolvidos nas cadeias produtivas e temas estratégicos em sua região de atuação.

 

Produção de Sementes do Bioma Pampa

Produção de propágulos para suporte à adequação de áreas campestres do bioma Pampa à lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012 (Lei de Proteção da Vegetação Nativa)

O Bioma Pampa abrange um território próximo à 700 mil km², dividido entre o Uruguai, Argentina e Brasil, onde se encontra restrito ao estado do Rio Grande do Sul, ocupando 63% da área estadual. Em desarmonia com a grande diversidade de espécies vegetais, o avanço de diferentes culturas e a expansão de espécies invasoras exóticas como o capim-annoni, inclusive em áreas de Reserva Legal e Área de Preservação Permanente, representam desafios à restauração ecológica e à preservação de serviços ecossistêmicos importantes, como a manutenção da biodiversidade regional. Com o objetivo de discutir os diferentes gargalos da restauração ecológica neste Bioma, a Embrapa em parceria com a Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul (FZB) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), realizaram em Porto Alegre durante os dias 03 e 04 de dezembro/2015 a oficina Diálogos sobre a restauração ecológica do bioma Pampa: definição de espécies e estratégias para restauração ecológica, que dentre os diferentes encaminhamentos, propôs-se a identificação de alternativas para que o processo de coleta de sementes seja simplificado, reduzindo a necessidade de controle rígido de lote, pureza, vigor, entre outros.  Atualmente o Brasil se comprometeu a restaurar nos próximos cinco anos 12,5 milhões de hectares de vegetação nativa, porém no Bioma Pampa, devido a diferentes motivos, existe uma carência crônica de propágulos para suporte à adequação de áreas campestres à lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012 (Lei de Proteção da Vegetação Nativa, designação atual do Código Florestal), sendo urgente a resolução destas questões, pois se corre o risco deste Bioma não participar concretamente das metas de restauração traçadas por este plano para o Brasil. Diante do quadro exposto nesta nota técnica, solicita-se a apreciação da problemática descrita por parte dos órgãos públicos competentes ao tema.