Busca de Notícias Busca de Notícias

09/04/18 |

Sistema de Produção Sustentável de Galinhas Caipiras é tema do Prosa Rural

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Este mês, o Sistema de Produção Sustentável de Galinhas Caipiras – Procap é tema do programa de rádio da Embrapa, o Prosa Rural. A tecnologia da Embrapa foi adaptada para o estado do Maranhão com resultados positivos em vários municípios maranhenses, como Chapadinha, Buriti Bravo, Codó e Urbano Santos. Esta edição do Prosa Rural vai abordar a produção realizada no município de Paço do Lumiar-MA. Para escutar o programa, acesse https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/32857974/prosa-rural---sistema-alternativo-de-criacao-de-galinhas-caipiras.

 

Trata-se de um sistema de criação que busca “organizar o quintal”, transformando a atividade em um sistema semi-intensivo a partir da utilização de recursos locais e materiais rústicos existentes na própria propriedade. Nesse sistema, as aves são separadas por lotes, segundo suas fases. Assim, tem-se a fase de cria (1 a 30 dias), em separado do galinheiro; as duas fases de recria: uma de 30 a 60 dias e a segunda de 60 a 90 dias, e as terminações I e II, de 90 a 120 e de 120 a 150 dias, respectivamente. Além disso, há manejos alimentar, sanitário, produtivo e reprodutivo diferenciados.

 

Segundo explica o analista da Embrapa e médico veterinário, Talmir Quinzeiro, entre os detalhes desse sistema estão a oferta regular de alimento, balanceado e elaborado segundo a necessidade das aves. “Essa forma de ofertar o alimento e de separação das aves por fases repercute em muitos aspectos: minimiza a ocorrência de doenças e encurta em mais da metade o tempo necessário para se obter um ave caipira pronta para o abate: em torno de cinco a seis meses. Além disso, o Procap alavanca a produção de ovos, podendo, inclusive, se tornar carro-chefe da atividade. Destaca-se também como ponto positivo da tecnologia a valorização do recurso genético local, pois emprega as galinhas caipiras naturalizadas, que são mais rústicas e adaptadas ao sistema de criação e possuem valor agregado”, pontua.

 

Diferencia-se em vários aspectos dos sistemas extrativo e intensivo de criação: o galinheiro, nesse sistema, é coberto de palha de babaçu, utiliza madeiras roliças disponíveis na própria propriedade, talos de coco babaçu e barro, e também equipamentos alternativos, como substituição viável de comedouros e bebedouros comerciais, barateando o custo da instalação. A criação torna-se produção organizada de galinhas com as subdivisões internas e o manejo segundo as fases. No quesito sanidade, é comum uso de vacinas de modo preventivo, quando possível; separação dos lotes e mais cuidados com as crias. A reprodução passa a ter relação de um galo para doze galinhas e inclui manejo adequado dos ovos fertilizados.

 

Segundo o chefe de transferência de tecnologia, Carlos Vitoriano, o processo de multiplicação da tecnologia é realizado por meio de Unidades Demonstrativas (UDs), nas quais ocorrem as capacitações para implantação e funcionamento do sistema. “A nossa equipe enumera algumas vantagens do Sistema de Produção Sustentável de Galinhas Caipiras: segurança alimentar, graças à produção de carne e ovos; ocupação de mão de obra rural; geração de renda por meio dos excedentes de produção; melhoria da qualidade de vida do produtor; e fortalecimento da agricultura familiar no estado, entre outros”, completa.  

Flávia Bessa (MTb 4469/DF)
Embrapa Cocais

Contatos para a imprensa

Telefone: 98 3878-2222

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/