·         Nome cientifico: Manilkara huberi

  • Nome popular: Maçaranduba ; maçaranduba-balata (MA), maçaranduba-da-terra-firme (AM), maçaranduba-mansa
  • Ciclo de vida: longo
  • Classificação cientifica

o   Classe: Dicotiledônea

o   Família: Sapotaceae

o   Gênero:

  • Ocorrência: Região Amazônica, principalmente na mata pluvial de terra firme. Também no sul da Venezuela e Guianas. Planta Perenefólias, Ciófita até Heliófita, seletiva Xerófita, clímax, característica e exclusiva da mata pluvial Amazônica de terra firme e mais raramente na mata de várzea pouco inundável. Sua frequência é elevada, porém com padrão de dispersão descontínua e ir­regular ao longo de sua vasta área de distribuição. Ocorre na mata primária alta onde ocupa o dossel superior. Produz anualmente moderada quantidade de sementes viáveis, prontamente disseminadas pela avifauna.
  • Texto geral da espécie:  Árvore lactescente de 30-50 m de altura, dotada de copa arredondada e aberta, facilmente reconhecida na mata pela coloração amarelada-pálida da parte inferior de sua folhagem. Tronco ereto e cilíndrico, de 1-3 m de diâmetro, com raízes tabulares (sapopemas) e casca profundamente fissurada. Folhas simples, concentradas na extremidade dos ramos, coriáceas, distintamente discolores, glabras na face superior e densa e minutamente pubérula com pelos pálido- amarelados formando uma película na face inferior, de 12-25 cm de comprimento por 5-9 cm de largura, sobre pecíolo glabro de 35-65 mm, com a nervura principal impressa na face superior e saliente na inferior, com 30-35 pares de nervuras secundárias. Inflorescências em fascículos axilares, com 10-15 flores, sobre pedicelos de 2-4 cm. Fruto bagaglobosa, glabra, com polpa carnosa e adocicada, contendo 1-4 sementes Muito pesada (densidade 1,04 g/cm3), dura, racha com facilidade, textura média, uniforme, grã direita, muito resistente e durável.
  • Utilidade: Os frutos são comestíveis e muito procurados por aves. O látex dá uma balata de inferior qualidade.
  • Período de florescimento: Floresce geralmente durante mais de uma época do ano, com um pico nos meses de abril-junho e o outro de outubro a novembro. Os frutos amadurecem em setembro-outubro e janeiro-fevereiro.

·         Sementes e mudas

  • Obtenção de sementes: Colher os frutos diretamente da árvore quando iniciarem a queda espontânea ou recolhê-los no chão sob a planta-mãe logo após a queda. Em seguida deixá-los amontoados em saco plástico ate a decomposição parcial da polpa para facilitar a remoção das sementes através da lavagem em água corrente. Um kg de sementes contém aproximadamente 2.800 unidades.
  • Produção de mudas: Colocar as sementes para germinação logo que colhidas em canteiros semi-sombreados contendo substrato organo- arenoso. Em seguida cobri-las com uma fina camada do substrato peneirado e irrigar duas vezes ao dia. A emergência ocorre em 4-8 semanas e a taxa de germinação geralmente é baixa
  •