Tolerância à Deficiência Hídrica

Coordenadores:
Alexandre Bryan Heinemann
Luis Fernando Stone

Estresses, causados por deficiência hídrica, podem reduzir significativamente os rendimentos das lavouras e restringir as regiões e os solos onde espécies comercialmente importantes podem ser cultivadas. As implicações desse cenário sobrecaem não só na produção, mas também afetam boa parte da sociedade.

Atento a essa questão, o centro de pesquisa atua na geração de cultivares mais tolerantes aos veranicos (estiagens durante a estação chuvosa), assim como no desenvolvimento de tecnologias que auxiliem as plantas a suportar períodos prolongados sem chuva.

Com essa perspectiva, os esforços de investigação científica se concentram em três frentes de atuação. A primeira delas é a caracterização dos ambientes de produção de arroz de terras altas e de feijão quanto à deficiência hídrica. Isso é feito com o mapeamento de risco climático para as culturas, conforme a época de cultivo no ano, classe de solo e o sistema de produção adotado.

Em segundo lugar, está o descobrimento, sequenciamento e mapeamento de regiões genômicas relacionadas à produtividade e às características fisiológicas de plantas de arroz e de feijão em condições de deficiência hídrica. O objetivo final é o lançamento de cultivares mais tolerantes à seca.

Por fim, há a condução de experimentos e o uso de sistemas de modelagem para a identificação de práticas agronômicas que minimizem o efeito da deficiência hídrica em ambas culturas, por meio do manejo do solo para aumentar a sua disponibilidade de água.