Fixação Biológica de Nitrogênio em Soja

Enter multiple e-mails separated by comma.

*Content only available in Portuguese

Depois da fotossíntese – processo realizado pelas plantas para a produção de energia necessária para a sua sobrevivência, a fixação biológica de nitrogênio (FBN) é considerada o mais importante processo biológico do planeta. Isso porque alguns gêneros de bactérias são capazes de captar o nitrogênio (N2) presente no ar (78% dos gases da atmosfera) e transformá-lo em N assimilável pelas plantas. Trata-se de uma verdadeira "fábrica biológica”, capaz de suprir as necessidades de várias leguminosas como a soja, dispensando a adubação química nitrogenada. Esse é um processo que viabiliza a produção dessa cultura nos trópicos e também é de grande importância na agricultura de baixa emissão de carbono.

Para produzir uma tonelada de grãos de soja são necessários cerca de 80 kg de nitrogênio. Esse nutriente é o mais requerido pela cultura e pode ser obtido gratuitamente na natureza, por meio de algumas bactérias do gênero Bradyrhizobium (rizóbios). Elas capazes de capturar o N2 da atmosfera e transformá-lo em uma forma assimilável pelas plantas. Quatro estirpes de Bradyrhizobium estão disponíveis no mercado para soja.

O uso de inoculantes é a maneira ambiental e economicamente mais eficiente para fornecer nitrogênio para a soja. Estudos confirmam que a reinoculação anual da soja proporciona um incremento médio no rendimento de grãos de 8,4% em relação às áreas que não são inoculadas anualmente.

Quem ganha com isso

Produtores de soja

Abrangência geográfica

Todos os Estados produtores de soja

Benefícios econômicos e ambientais

A FBN com bactérias do gênero Bradyrhizobium beneficia todas as áreas cultivadas com a soja no País – cerca de 33 milhões de hectares – e resulta em uma economia anual em torno de US$ 8 bilhões para o Brasil pela não utilização de fertilizantes nitrogenados nas lavouras.

A tecnologia também facilita o sequestro de carbono, isto é, em situações onde o balanço de N é positivo, a formação e a manutenção da matéria orgânica são estimuladas, levando à incorporação de carbono ao solo e diminuindo seu retorno para a atmosfera. A utilização da tecnologia contribui também para minimizar outros problemas ambientais associados aos fertilizantes nitrogenados.

As plantas aproveitam pouco os fertilizantes nitrogenados que recebem, raramente ultrapassa 50%. Isso significa que, ao aplicar 100 kg de N, pelo menos 50 kg são perdidos por diferentes processos que ocorrem no solo. Tratando-se de FBN, o aporte de N não excede as necessidades dos agroecossistemas. Além das implicações econômicas, o fertilizante perdido representa uma grave fonte de poluição ambiental, contaminando rios, lagos, lençóis freáticos e a atmosfera com gases de efeito estufa, incluindo o óxido nítrico e o óxido nitroso, que são os de maior impacto à camada de ozônio.

Parceiros

Universidades e instituições de pesquisa estaduais e federais.

Agricultural practice: Para manejo da adubação e fertilidade do solo Launch year: 1964

Unidade Responsável: Embrapa Soybean

Participating Units: Embrapa Agrobiology

Where to find:
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa Soja
Equipe Técnica BIOTECNOLOGIA DO SOLO
Rod. Carlos João Strass, s/nº, acesso Orlando Amaral
Caixa Postal 231, CEP 86001-970, Distrito de Warta, Londrina/PR
Telefone: (43) 3371 6000
http://www.embrapa.br/soja