Imagens

Sobre

O nome da Ordem refere-se à presença de escamas nas asas (do grego lepis = escamas, e pteron = asas). Popularmente conhecidas como mariposas e borboletas, são insetos holometábolos (com metamorfose completa), de asas membranosas, corpo e apêndices cobertos por escamas.

Os adultos são sugadores, podendo se alimentar de néctar, pólen, líquidos de frutos fermentados, excretas, resinas vegetais. Alguns são hematófagos (se alimentam de sangue) e ocorrem apenas no velho mundo. No entanto, certos adultos não se alimentam e consomem reservas acumuladas no estágio larval (CAMARGO et al., 2015). As larvas possuem aparelho bucal mastigador e são herbívoras (DUARTE et al., 2012).

Não se sabe ao certo o número exato de espécies no mundo. No entanto, GASTON (1991) estimou em aproximadamente 500 mil. No Brasil, são conhecidas cerca de 26 mil espécies (HEPPNER, 1991), mas estimativas mais recentes apontam entre 60 e 80 mil espécies para o País (DUARTE et al., 2012).

 

Texto: Amabilio J. A. de Camargo

 

Bibliografia citada

CAMARGO, A. J. A. de; OLIVEIRA, C. M.; FRIZZAS, M. R., SONODA, K. C., CORREA, D. C. V. COLEÇÕES ENTOMOLÓGICAS: Legislação Brasileira, coleta, Curadoria e Taxonomia para as principais Ordens. Planaltina: Embrapa Cerrados, (E-Book). 2015. 117p.

DUARTE, M.; MARCONATO, G.; SPECHT, A.; CASAGRANDE, M. M. Lepidoptera Linnaeus, 1758. In: RAFAEL, J. A.; MELO, G. A. R.; CARVALHO, C. J. B. de; CASARI, S. A.; CONSTANTINO, R. (Ed.). Insetos do Brasil: diversidade e taxonomia. Ribeirão Preto: Holos Editora, 2012. p. 625-682.

GASTON, K. J. The magnitude of global insects species richness. Conservation Biology, v. 5, p. 283-296, 1991.

HEPPNER, J. B. Faunal regional and the diversity of Lepidoptera. Tropical Lepidoptera, v. 2, Suppl 1, p. 1-85, 1991.