Apresentação Apresentação

A caprinocultura e a ovinocultura são atividades difundidas em todo territorial nacional, mas com uma concentração, em especial do rebanho caprino, na região do Semiárido brasileiro. A rusticidade dos caprinos e dos ovinos frente às adversidades climáticas é secular, pelo processo de adaptação, seleção natural e também por influência do homem. No Brasil, cerca de 90% dos rebanhos caprinos e de 60% dos rebanhos ovinos estão localizados na região Nordeste, que abriga 92,5% da área semiárida do país.

A região Sul, até o início da década de 80, destacava-se com o maior rebanho de ovinos. Com a crise da lã, os produtores modificaram a aptidão dos rebanhos especializados de lã para corte, e os efetivos atualmente representam apenas 24% do rebanho ovino do país. Os rebanhos caprinos do Nordeste apresentam aptidão mista (carne e leite) e os ovinos desta região têm mantido historicamente sua aptidão para corte, visto que são deslanados.

A caprinocultura e a ovinocultura possuem um grande potencial para ampliação da produção de carne, leite e seus derivados, além de incremento do setor industrial no segmento de calçados e vestuários que valorizam produtos regionalizados, com matéria-prima oriundas das peles dos animais. Todos esses produtos podem ser disponibilizados de forma a suprir as demandas do mercado interno e, dependendo do grau de organização da produção, gerar excedentes exportáveis para mercados mais exigentes. 

A tradição da exploração de caprinos e ovinos, no Semiárido brasileiro, e na região Sul do país, com ovinos para produção de lã, aliada à expansão das fronteiras agrícolas nas regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte do país, deve propiciar custos de produção competitivos, favorecendo a comercialização dos produtos em nichos de mercados promissores, como as boutiques de produtos regionais; “exóticos”; da agricultura familiar; probióticos, nutracêuticos e com baixos teores de gorduras; vestuários com matéria-prima natural; entre outros. Cabe destacar as oportunidades de inserção dos produtos nos programas governamentais de aquisição de alimentos para merenda escolar. 

Entretanto, os sistemas de produção vigentes, em quase a sua totalidade, ainda apresentam baixos níveis de organização e, consequentemente, alta informalidade da cadeia produtiva, com reflexos nos índices de produtividade, na qualidade dos produtos, na falta de regularidade da oferta e principalmente na informalidade da comercialização da produção. Assim, a ovinocultura e a caprinocultura, frente a outras cadeias produtivas mais organizadas, ainda têm espaço para melhorar substancialmente a competitividade no setor de produção de proteína animal.

Mas, quais são exatamente os fatores que limitam a produtividade? Quais as deficiências nas relações do produtor e mercado, que elevam a informalidade da comercialização? Quais estratégias deverão ser implementadas no sistema de produção para melhorar a regularidade da oferta? Quais são os gargalos para implantação de unidades de abates especializados em caprinos e ovinos? O que deve ser feito para aumentar o consumo de produtos de origem caprina e ovina? Como recuperar a competitividade da lã no mercado atual?

Para responder a essas questões, a Embrapa Caprinos e Ovinos, com o Grupo de Inteligência Territorial Estratégica (Gite) da Embrapa Territorial, o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA-Esalq), Confederação Nacional da Agricultura (CNA), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e outras instituições públicas e do setor privado, implantou o Centro de Inteligência e Mercados de Caprinos e Ovinos (CIM) baseado em um sistema de inteligência territorial estratégica que reúne e permite cruzar milhares de informações sobre volume e local de produção de pequenos ruminantes no Brasil e no Mundo, estimativa da produção de carne, leite e lã, estabelecimentos rurais e unidades agroindustriais (abatedouros, frigoríficos e laticínios), e volumes de exportação e importação. Tudo georreferenciado!

O que se apresenta aqui não é um estudo, mas um sistema que permite gerar centenas deles. É objetivo do CIM mantê-lo atualizado como ferramenta para dar suporte às demandas do setor produtivo e dos agentes formuladores de políticas públicas, tendo em vista a melhoria na organização da cadeia produtiva com foco na inteligência territorial. As informações obtidas deverão identificar desafios tecnológicos, tendências do mercado e prioridades de investimentos no setor.

Apesar deste cenário ainda pouco organizado do sistema agroindustrial da caprinocultura/ovinocultura, vale destacar que as oportunidades e potencialidades, quando devidamente trabalhadas, podem melhorar a competitividade do setor. Neste sentindo, o Centro de Inteligência e Mercado de Caprinos e Ovinos, em parceria com instituições públicas e privadas e demais agentes das cadeias produtivas de caprinos e ovinos, propõe a se consolidar com uma referência para elaboração de planejamentos estratégicos, estudos de mercado, estudos de inteligência territorial competitiva e incentivador para a inovação tecnológica.

 

Que informações estão no CIM Caprinos e Ovinos?

  • Efetivo do rebanho mundial, produção de carne, leite e lã, detalhados por país.
  • Volumes de exportações e importações de carne, leite e lã, detalhados por país.
  • Efetivo do rebanho nacional, produção de carne, leite e lã, detalhado por grande região, estado e município.
  • Número de estabelecimentos rurais com caprinos e ovinos.
  • Localização de unidades agroindustriais tais como abatedouros, frigoríficos e laticínios.
  • Cotações, atualizadas mensalmente, do preço da carne e do leite de cabra pago ao produtor.
  • Custos de produção, atualizados mensalmente, nos principais polos de produção.
  • Ferramentas de software (planilhas e aplicativos) para cálculo de custos de produção.
  • Boletim técnico com periodicidade bimestral sobre análises de mercado e inovações tecnológicas.
  • Publicações técnicas do sistema de produção.
  • Todos estes indicadores disponíveis em tabelas, gráficos e mapas geográficos.

 

Para quais produtos?

  1. Carne
  2. Leite
  3. Couros e peles

 

Quais as fontes dos dados?

 

O que o usuário pode obter?

Este sistema de acesso público ao CIM Caprinos e Ovinos permite aos agentes das cadeias produtivas de caprinos e ovinos consultar, de forma simplificada, dados oficiais de efetivo do rebanho, produção de carne, leite e lã, exportações e importações, cotações de produtos, custos de produção, número de estabelecimentos rurais, frigoríficos, abatedouros e laticínios, categorizados por recortes territoriais. Além do acesso a aplicativos de custos de produção, evolução do rebanho e planilhas de gerenciamento de custos da propriedade, bem como  a boletins técnicos com análises da equipe do CIM sobre a evolução dos rebanhos, mercados e tendências tecnológicas. Com o cruzamento dessas informações, o usuário poderá ainda elaborar estudos customizados para suas necessidades.

Demandas mais específicas ou análises mais detalhadas podem ser solicitadas à Embrapa Caprinos e Ovinos, que poderão ser atendidas mediante acordos de parceria com instituições públicas ou privadas. Entre em contato pelo e-mail cnpc.cim@embrapa.br.