História

O Centro de Pesquisa Agropecuária de Cocais e Planícies Inundáveis – CPACP (Embrapa Cocais) foi criado pela Resolução do Conselho de Administração Empesa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa n° 87, de 14 de dezembro de 2009. Até meados da década de 1990 a Pesquisa Agropecuária no Estado do Maranhão era feita e liderada pela Empresa Maranhense de Pesquisa Agropecuária – EMAPA, até meados da década de 1990. Ao tempo em que a EMAPA estava sendo extinta, verificava-se uma crescente demanda por respostas tecnológicas para o agronegócio regional, o que levou a Embrapa a repensar sua forma de atuação, vindo a criar o Centro de Pesquisa Agropecuária do Meio-Norte - Embrapa Meio-Norte, objetivando contribuir para o desenvolvimento sustentado da região. A Embrapa Meio-Norte cumpria com uma agenda de pesquisa e transferência de tecnologias em parceria com outras Unidades da Embrapa e alguns setores do Estado do Maranhão. No entanto, devido a grande demanda por tecnologias agropecuárias os representantes do setor produtivo, políticos e governo estadual solicitavam frequentemente, ao Governo Federal, a criação de uma unidade de pesquisa da Embrapa no Estado, como uma forma de impulsionar o desenvolvimento tecnológico da agricultura e, consequentemente do Estado. Com a previsão de se aumentar e diversificar significativamente as atividades em P&D e TT no estado, dada pela crescente demanda por tecnologia e pela pressão das forças do setor produtivo de políticos locais, além do incipiente núcleo de P&D e TT naquele momento, a Presidência da Republica sinalizou a criação de novas unidades da Embrapa para serem instaladas nos Estados onde ainda não existia e sugeriu a criação de três novas Unidades de Pesquisa. Assim, o conselho de Administração da Embrapa aprovou a criação de uma Unidade da Embrapa no Estado do Maranhão.