Imagem de topo de transferência de tecnologia florestal- tema sistema silvipastoril

Sobre o Sistema Silvipastoril

    Foto: Vanderley Porfírio-da-Silva
Foto de um Sistema SilvipstorilO sistema silvipastoril é uma opção tecnológica de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) que consiste na combinação intencional de árvores, pastagens e gado numa mesma área e ao mesmo tempo. A aprovação da Lei 708/07 (02/04/2013), que institui a Política Nacional de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF) no Brasil, reforça o crescente interesse na utilização de sistemas de produção sustentáveis. A ILPF está sendo proposta como uma estratégia de produção que inclui, em seus conceitos referenciais, os principais elementos da sustentabilidade, ou seja, o econômico, o social e o ambiental. Com a crescente preocupação sobre a relação meio ambiente e pecuária, surge o desafio de estabelecer sistemas de produção em bases sustentáveis e os sistemas silvipastoris se encaixam como uma prática capaz de atender estes elementos.

Em relação ao gado, o benefício direto é o bem-estar e conforto térmico animal. A presença de árvores (adequadamente dispostas na pastagem) pode proteger os animais contra as adversidades climáticas com reflexo positivo sobre a produtividade e saúde dos animais. E animais produtivos e saudáveis é o que se espera da pecuária ambientalmente adequada. Com isso, o produtor tem a melhoria da imagem do negócio pecuário, o que é uma excelente oportunidade de marketing da forma de produção, do produto e de seus derivados, atendendo a uma tendência mundial: a dos produtos ambientalmente adequados, socialmente benéficos e economicamente viáveis.

No entanto, se as espécies arbóreas forem adequadamente escolhidas, o produtor terá a oportunidade de aumentar sua carteira de negócios. Isto é, passará também a ser produtor de madeira, por exemplo.

 

Os solos também são grandes beneficiários deste sistema:

  • manutenção ou incremento da matéria orgânica do solo através da fixação de carbono pela fotossíntese e pela transferência decorrente da queda de folhas/ramos e apodrecimento de raízes velhas
  • fixação de nitrogênio por árvores leguminosas e também por algumas árvores não leguminosas (p.e.: Casuarinas).
  • elevação do teor de nutrientes extraídos de rochas intemperizadas nas camadas profundas do solo, devido às raízes que induzem um grau de intemperismo, especialmente nas camadas mais profundas do solo (horizontes B e C, acessando "novos" nutrientes).
  • criando condições favoráveis para ganhos/entradas de nutrientes pela chuva e poeira, inclusive via chuva interna (gotejamento) e fluxo de caule

 

Reduzindo perdas do solo:

  • pela proteção do solo contra erosão, viabilizando a redução das perdas de matéria orgânica e nutrientes.
  • pela recuperação dos nutrientes, fixando e reciclando nutrientes que poderiam ser de outra maneira perdidos.
  • pela menor taxa de mineralização da matéria orgânica decorrente da existência da sombra.

 

Atuando nas condições físicas e químicas do solo:

  • pela manutenção ou melhoria das propriedades físicas do solo (porosidade, estrutura, infiltração e capacidade de retenção de umidade) através de uma combinação dos efeitos da matéria orgânica e das raízes.
  • pelas raízes das árvores que fragmentam as camadas compactadas do solo.
  • pela diminuição da amplitude de temperaturas do solo mediante a combinação do sombreamento pelas copas e cobertura do solo por resíduos ( folhas, ramos).

Publicações | ver mais


 

Soluções Tecnológicas | ver mais


 

Vídeos | ver mais