Quem quer saúde vai a feira


Hipertensão, usualmente chamada de pressão alta, é assim diagnosticada quando a pressão arterial, sistematicamente, costuma ser igual ou maior que 14 por 9. A elevação da pressão deve-se a vários motivos, mas é causada principalmente pela contração dos vasos nos quais o sangue circula.
Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão, a pressão alta ataca os vasos, o coração, os rins e o cérebro. Os vasos são recobertos internamente por uma camada muito fina e delicada, que é lesionada quando o sangue está circulando com pressão elevada. Com isso, os vasos se tornam endurecidos e estreitados podendo, com o passar dos anos, entupir ou romper.
Quando o entupimento de um vaso ocorre no coração, provoca a angina que pode levar ao infarto. No cérebro, o entupimento ou rompimento de um vaso, leva ao "derrame cerebral" ou AVC. Nos rins, podem ocorrer alterações na filtração e evoluir para a paralisação dos órgãos. Todas essas situações são muito graves e podem ser evitadas com o tratamento e acompanhamento médico adequados.

A alimentação equilibrada e saudável é de grande importância para prevenir e controlar a hipertensão. O principal cuidado que o hipertenso deve ter com sua alimentação é reduzir o consumo de sódio, principal ingrediente do sal de cozinha. Apesar de constituir-se num nutriente essencial para o ser humano, ele deve ser consumido com moderação. O consumo excessivo de sódio, inclusive, está relacionado às mais importantes causas da hipertensão arterial e do acidente vascular cerebral.
De acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira, o consumo de sódio por pessoas saudáveis não deve ultrapassar 1,7g por dia, o que equivale aproximadamente a 5 g de sal ou a 1 colher de chá de sal por dia. Pessoas hipertensas devem reduzir o consumo diário de sal para no máximo 3g, equivalente a cerca de ½ colher de chá de sal por dia.
Igualmente importante é ter uma alimentação rica em frutas e hortaliças. A Sociedade Brasileira de Hipertensão recomenda um consumo de 8 a 10 porções (igual a uma concha média) diárias desse grupo alimentar.

Pessoas com níveis elevados de colesterol total, de colesterol "ruim" ou de triglicerídeos podem consumir todas as hortaliças sem restrição. As hortaliças possuem teores de gorduras muito baixos, inferiores a 1%, sem a presença de colesterol, presente apenas em alimentos de origem animal.

As hortaliças também são ricas em fibras. As fibras são carboidratos complexos e classificados, de acordo com sua solubilidade, em solúveis e insolúveis. As fibras solúveis são capazes de reduzir a absorção de colesterol, e as fibras insolúveis aumentam a saciedade, portanto, podem auxiliar no controle de peso.

Pessoas com níveis baixos do colesterol "bom" também devem ter uma alimentação rica em hortaliças, para equilibrar a alimentação e consumir a quantidade recomendada de fibras, vitaminas e sais minerais.

Veja o teor de fibras presente em algumas hortaliças

HORTALIÇA TEOR DE FIBRAS EM 100G
Abóbora cozida 2,5g
Almeirão cru 2,6g
Almeirão refogado 3,4g
Berinjela 2,9g
Beterraba cozida 1,9g
Beterraba crua 3,4g
Brócolis cozido 3,4g
Cenoura crua 3,2g
Cenoura cozida 2,6g
Couve manteiga cozida 5,7g
Couve manteiga crua 3,1g
Ervilha, em vagem 9,7g
Espinafre refogado 2,5g