Web Content Display

 

O jiló é um fruto originário provavelmente da Ásia ou da África, introduzido no Brasil no início do século XVII com os escravos que vieram cultivar cana em Pernambuco. O jiló pertence à família Solanácea, a mesma família do tomate, da berinjela e do pimentão.O jiló é fonte de vitaminas (A, C e do complexo B) e sais minerais, como magnésio, cálcio e ferro e possui poucas calorias. O sabor amargo é característico do jiló e está presente em todos as variedades. É ao mesmo tempo a característica que atrai seus admiradores e afasta seus detratores.

Os frutos podem ser compridos e de coloração verde-claro ou quase redondos e de cor verde-escuro. Os frutos redondos são mais amargos que os compridos. Há também variedades de forma oblonga, com casca verde-escuro, mas estes raramente são encontrados no mercado. Todos os tipos apresentam a polpa macia, porosa e com pequenas sementes tenras e brancas. Os frutos de jiló devem ser colhidos quando ainda imaturos, pois quando amadurecem tornam-se impróprios para o consumo devido ao sabor e textura desagradáveis. Durante o amadurecimento, a casca torna-se amarela ou laranja-avermelhada e as sementes endurecem.

Não é preciso apertar os frutos para selecionar os melhores. O manuseio descuidado resulta em menor durabilidade, pois os frutos amadurecem e murcham mais rapidamente e quando machucados são mais susceptíveis à podridão. Escolha os frutos de casca verde, com aparência lisa e brilhante, sem sinais de ferimentos e sem pontos escuros. As sépalas (a parte verde perto do cabinho que se assemelha à folha) devem estar com aspecto fresco, indicando que o jiló foi colhido recentemente.

Após a colheita, o jiló se conserva no ambiente por poucos dias pois perde água, murchando rapidamente, além de amadurecer. Compre somente o que será consumido no prazo de 2 a 3 dias.

Quando amadurecem, os frutos tornam-se impróprios para o consumo devido ao sabor e textura desagradáveis. Durante o amadurecimento, a casca torna-se amarela ou laranja-avermelhada e as sementes endurecem.

Se necessário, o jiló pode ser conservado em geladeira por até cinco dias, desde que embalado em saco de plástico próprio para alimentos e mantido nas prateleiras mais baixas, longe do congelador. Quando mantido em geladeira por período superior a este, formam-se pontos deprimidos e escuros na casca, além de escurecimento interno da polpa e da semente do fruto. Antes de acondicionar em geladeira, lave os frutos em água corrente, e seque-os com pano limpo ou papel toalha.

O jiló não é consumido cru. Não é preciso descascar nem remover as sementes. A forma tradicional de preparo é o refogado. Para preservar a textura e o sabor, refogue o jiló picado, em óleo ou azeite, com o tempero de sua preferência. Mexa delicadamente para misturar o tempero, tampe a panela, e deixe cozinhar por poucos minutos sem mexer, até que o jiló fique cozido mas ainda firme. Se necessário, adicione um pouco de água, mas somente o necessário para evitar que ele grude na panela.


Receitas

Jiló marinado com tomate
Nível: fácil

Delícia de carne com jiló
Nível: fácil

Fafora de jiló
Nível: médio