Web Content Display

Para facilitar o estudo da concentração espacial e da dinâmica (movimento da produção no espaço e no tempo), as unidades territoriais têm sido agrupadas, para cada produto, em cada ano, em quartéis (ou quartos) de volume. Neste contexto, o termo "volume" refere-se ao efetivo, no caso dos animais, e à quantidade produzida, nos demais produtos. Especificamente, em cada ano, aplica-se o seguinte algoritmo:

  • ordenam-se os territórios com registro do produto de acordo com o volume;
  • acumula-se o volume seguindo essa ordem;
  • denotando com PCTAC(m) a porcentagem do total do volume acumulado até o território $m$, tem-se:
    • se PCTAC(m) <= 25, m vai para o quartel Q1;
    • caso contrário, se PCTAC(m) <= 50, m vai para o quartel Q2;
    • caso contrário, se PCTAC(m) <= 75, m vai para o quartel Q3;
    • caso contrário, m vai para o quartel Q4.

Desse modo, garante-se que, mesmo na situação teórica de empate em algum quartel, a porcentagem do total do volume se comporta do seguinte modo: os territórios em Q4 reúnem, pelo menos, 25%; adicionando as do Q3, reúne-se pelo menos 50%; com mais as do Q2 se perfaz pelo menos 75%; adicionando as do Q1 que, em geral, acumulam algo menos de 25%, chega-se aos 100%. Corresponde mencionar o seguinte:

  • Enquanto os quartis são três, os quartéis (ou quartos) são quatro. Pelo algoritmo usado, salvo no caso de algum empate, o terceiro quartil foi alocado como primeiro território em Q4; o segundo (geralmente chamado de mediana) foi alocado em Q3 e o primeiro em Q2;
  • Em geral, a distribuição resultante desse algoritmo é ligeiramente diferente da obtida com outros métodos. Nesses outros métodos, que se orientam pelo balanceamento da massa (no caso, o volume) que se aloca em cada quartel, é possível, por exemplo, que o Q4 reúna uma massa inferior a 25%. No método usado no trabalho aqui apresentado, garante-se que foram identificados conjuntos de territórios que, em número mínimo, são suficientes para reunir ao menos 25, 50 ou 75% do total;
  • As distribuições nos quartéis de territórios têm sido usadas para definir certos conjuntos, denominados "grupos". Em particular, eles são usados para estudar a dinâmica da produção. O grupo 25 (G25) coincide com o quartel superior (Q4); o grupo 50 (G50), formado pela união de Q4 e Q3, é suficiente para reunir 50% do volume; de grande importância, por reunir uma porção substancial do volume, é o grupo 75 (G75), formado pela união dos três quartéis superiores, e suficiente para perfazer 75% do total; finalmente, o grupo 100 (G100), que tem sido usado com pouca frequência nos estudos de dinâmica, reúne todos os territórios que tiveram registro do produto no ano considerado.