Web Content Display

O Porto de Maceió ou também Porto de Jaraguá localiza-se no município de Maceió, capital do estado de Alagoas, às margens do oceano Atlântico, entre as praias de Pajuçara e Jaraguá. O porto é gerido pela Administração do Porto de Maceió (APMC), que é vinculada à Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN). Suas coordenadas geográficas são: Latitude: 09°41’00’’ S e Longitude: 35o43’00’’ O.

O ancoradouro da cidade de Maceió tinha previsão de receber melhorias já em 1875. Em 1940 ocorreu a inauguração do cais, porém as operações começaram oficialmente em 1942, quando houve o primeiro embarque de açúcar. Em 1990, a PORTOBRAS então gestora do porto foi extinta a e o Porto de Maceió passou para a CODERN.

O Porto de Maceió possui 05 armazéns sendo 4 externos com 1.600 m² de área e capacidade útil de 12.000m³ cada, e 01 interno no Cais Comercial com 6.000m² de área e capacidade estática de 15.000 m³ de cereais. Pátio pavimentado com área de 26.000m² para movimentação e estocagem de contêineres. Berço com profundidade de 08,50m, preparado para operar navios das frotas mais modernas do mundo, tipo Panamax (12,04 m de calado).
Segundo o Plano Mestre do Porto de Maceió elaborado em 2015 a dragagem é urgente.

As principais rodovias que conectam o Porto de Maceió com sua hinterlândia são a AL-101, BR-316, BR-104 e BR-101. O acesso ferroviário é servido por uma linha entre Lourenco Albuquerque e Jaraguá, da concessionária Transnordestina Logística (TNL). Esse ramal de conexão à capital alagoana tem aproximadamente 34,5 quilômetros de extensão em bitola métrica, onde atualmente não há transporte de carga, uma vez que a linha está desativada pela concessionária.
De acordo com dados fornecidos pela Administração do Porto de Maceió, que é vinculada à CODERN, no ano de 2014 o porto movimentou 2.758.556 toneladas de carga, sendo 1.897.779 t de granéis sólidos, 815.810 t de granéis líquidos e 44.967 t de carga geral. Não há registro de movimentações de contêineres desde 2011. As movimentações de açúcar a granel constituem mais da metade das movimentações de granéis sólidos, as quais são realizadas no Berço 6 do Terminal Açucareiro. As outras movimentações mais expressivas dessa natureza de carga são de fertilizantes e coque de petróleo. As movimentações de granéis líquidos, que consistem em petróleo e derivados, são realizadas no Berço 7, utilizado pela Transpetro, e correspondem a 29% do total movimentado no porto em 2014. As movimentações de carga geral solta são pouco expressivas em relação às demais. Dessa natureza de carga são movimentados, principalmente, açúcar ensacado e máquinas e equipamentos. Ao longo dos últimos dez anos a movimentação no porto diminuiu 1,1% ao ano. A movimentação oscilou no decorrer desses anos; houve recessão nos últimos quatro anos, com alguma recuperação em 2014.

Acesse o site do gestor do porto aqui.