Programação visual e projeto gráfico

Programação visual e projeto gráfico

A programação visual corresponde ao projeto gráfico das publicações. Não existe uma forma mais ou menos correta de compor uma peça gráfica nem regras fixas, apenas princípios baseados na tradição de séculos de tipografia, e também uma série de fatores de ordem conjuntural que devem ser considerados na hora de produzi-la. Para isso, devem ser analisados todos os dados do problema.

O projeto gráfico contém todas as indicações de uma publicação, quer seja um livro, quer seja um simples fôlder. É necessário adequar a forma ao conteúdo, ao tipo de usuário e ao uso que este fará dela.

Cabem, portanto, algumas perguntas e o uso do bom senso para que o produto final seja adequado e atinja seus propósitos.

Algumas perguntas que devem ser feitas na hora de analisar o problema:

  • A que público será direcionada a publicação, isto é, faixa etária, nível de instrução, etc.?
  • Qual o objetivo da publicação? Como vai ser manuseada e como a informação está organizada, quer dizer, é material didático, de consulta ou de leitura?
  • Quais são os recursos financeiros disponíveis para executar o trabalho?
  • O trabalho deve ter soluções gráficas simples ou pode ser mais sofisticado?
  • O trabalho será impresso em policromia?
  • Qual o caráter ou o estilo – imagem desejada – da publicação?

Exemplo:

O relatório anual de uma empresa não pode ser formalizado como um romance. No primeiro, é necessário levar em consideração a imagem institucional da empresa em questão; enquanto, no segundo, é necessário pensar no conteúdo, na história.

  • Qual o número provável de páginas, isto é, o conteúdo é vasto, como uma enciclopédia, ou limitado, como um relatório de pesquisa?
  • Qual a durabilidade? Vai ser usado por muito ou por pouco tempo?
  • Qual a flexibilidade exigida? É necessário atualizar ou acrescentar páginas?

Para quem ocupa a posição de gerenciamento, as respostas a tais perguntas vão constituir o conjunto de diretrizes que nortearão todo o planejamento editorial.

Elementos do projeto gráfico

Os elementos básicos, descritos a seguir, são definidos para a capa e o miolo, componentes de uma publicação que interessam ao projeto gráfico.

Diagramação

São duas as relações que estão presentes no objeto impresso: uma, do impresso com o público que vai manuseá-lo; e outra, dos elementos do projeto gráfico entre si, os quais constituem um conjunto – a diagramação.

A diagramação é a relação harmônica de quatro elementos essenciais: espaço da página, mancha gráfica, tipologia e ilustrações.

A diagramação define os critérios para o uso do espaço disponível, criando linhas imaginárias que relacionam geometricamente todos os elementos que fazem parte do trabalho. Dimensiona e especifica a tipologia de títulos e textos, bem como os entrelinhamentos e o espacejamento entre letras. Por fim, posiciona as ilustrações e os outros elementos gráficos, como fios, vinhetas, etc.

Títulos, subtítulos e subsubtítulos, assim como legendas, notas de rodapé e referências bibliográficas são classificados segundo o seu valor no texto, por meio da distinção de tipologia e da disposição no texto e na página. Assim, um título terá corpo e variante diferentes dos empregados para um subtítulo; uma nota de rodapé ou uma legenda serão inscritas num lugar específico e com um corpo apropriado; as referências bibliográficas constarão no final de cada capítulo ou no final da publicação.

Um bom exemplo dessa definição de critérios é a capa de um livro, que tem grande importância comercial: é o primeiro contato do público com o produto. Sua diagramação tem de ser coerente com a diagramação do miolo, além de representar o conteúdo.

Tipologia

Tipologia é a coleção de caracteres tipográficos utilizados num projeto gráfico.

Na escolha da tipologia, deve-se considerar o objetivo da publicação, o tipo e a escolaridade do usuário, o formato da publicação, além do caráter que se quer enfatizar e que é extraído do conjunto da obra.

Se a tipologia escolhida é atraente e convidativa, condizente com a proposta, o propósito de ler tornar-se-á uma tarefa prazerosa. O objetivo, afinal, é este: a tipologia deve facilitar a concentração do leitor nos aspectos essenciais do conteúdo.

Ilustrações

As ilustrações, como fotos, desenhos, gráficos e tabelas, enriquecem visualmente uma composição ou esclarecem conceitos do texto. Elas devem ser consideradas na diagramação e estar relacionadas com o desenho da página.

As decisões quanto a ilustrar, ou não, o trabalho também vão influenciar a produção gráfica, porque será necessário verificar como as ilustrações vão interferir no processo de reprodução escolhido e vice-versa.

A produção de qualquer peça gráfica envolve um grande número de profissionais de diferentes formações, e é fundamental que, durante todo o processo de trabalho, se faça avaliação constante e acompanhamento rigoroso dos resultados, para preservar a qualidade.

Formato

A escolha do formato da publicação depende de algumas premissas básicas:

  • A página impressa, desde o documento mais simples até o mais complexo, tem construção similar, é feita sobre as mesmas bases.
  • Deve-se considerar que o formato selecionado vai determinar a forma como o objeto impresso será lido. Vai afetar também a disposição dos elementos gráficos – texto e ilustrações – que compõem a publicação.

Existem alguns formatos padronizados do sistema métrico internacional, os quais formam a Série A.

  • Série A:
    Formato BB
    Formato AA
    Formato DIN

Essa série é a mais usada internacionalmente e no Brasil. O formato padronizado foi estabelecido para incentivar o uso racional do papel e foi calculado para que a folha tenha sempre a mesma proporção, não importa quantas vezes for dobrada. Diz respeito ao trabalho pronto, e não ao tamanho dos papéis fabricados, que obedecem a outras proporções, igualmente padronizadas. É importante a escolha do formato ideal de uma publicação para melhor aproveitamento do papel.

     A seguir, medidas de folhas e formatos mais utilizados.

Formato BB (folha inteira 66 cm x 96 cm)

Formato                Medida

1                  65,6 cm x 95,6 cm

2                  65,5 cm x 47,7 cm

3                  65,5 cm x 32,8 cm

4                  47,7 cm x 32,8 cm

6                  32,8 cm x 31,8 cm

8                  23,8 cm x 32,8 cm

16               16,3 cm x 23,8 cm

32               12,0 cm x 16,3 cm

 

Formato AA (folha inteira 76 cm x 112 cm)

Formato                 Medida

1                  75,6 cm x 111,6 cm

2                  55,8 cm x 75,6 cm

3                  37,8 cm x 75,8 cm

4                  37,9 cm x 55,8 cm

6                  27,8 cm x 37,9 cm

8                  27,6 cm x 37,6 cm

16                27,6 cm x 18,8 cm

32                13,8 cm x 18,8 cm

No formato final da obra, considera-se a medida sem a área para sangria (área que extrapola um formato gráfico) e sem o refile (corte). Por exemplo: para o formato 16, significa que serão obtidos 16 pedaços de papel refilados na folha inteira.

Formato DIN (folha inteira 84,1 cm x 118,9 cm)

Formato              Medida

A0              84,1 cm x 118,9 cm

A1              59,4 cm X 84,1 cm

A2              42,0 cm X 59,4 cm

A3              29,7 cm X 42,0 cm

A4              21,0 cm X 29,7 cm

A5              14,8 cm X 21,0 cm

A6              10,5 cm X 14,8 cm

 

Página anterior Próxima página