Web Content Display

Normas Gramaticais

Emprego correto de expressões

À custa de

À custa de equivale às locuções a expensas de e com o emprego de.

Exemplos:

O país cresceu à custa de empréstimos internacionais.

Realizei meu sonho à custa de muito suor.

Observação 1. A palavra custas não forma locução. Por isso, evite a expressão no plural (às custas de).

Observação 2: A palavra custas (no plural) indica despesas de um processo criminal ou cível.

Exemplo:

As custas processuais foram calculadas sobre o valor do acordo.


A expensas de

A expensas de equivale à locução à custa de.

Exemplo:

Desempregado, vive a expensas do pai.

Observação: Prefira usar a expensas de (e não às expensas de).


Acerca de / A cerca de / Cerca de / Há cerca de

Acerca de equivale a sobre, a respeito de.

Exemplo:

Falou acerca da produção do algodão colorido.

A cerca de / cerca de são locuções que equivalem a perto de, aproximadamente.

Exemplos:

As mudas devem ser plantadas a cerca de 30 cm umas das outras.

Cerca de 50 espécies de cultivares foram cadastradas.

Há cerca de é locução que equivale a faz aproximadamente.

Exemplo:

Eles saíram há cerca de 40 minutos.


À medida que / Na medida em que

À medida que significa à proporção que, conforme.

Exemplo:

Os salários aumentaram à medida que os argumentos do sindicato se fortaleceram.

Na medida em que corresponde a tendo em vista que, uma vez que, porque, já que.

Exemplo:

O projeto foi esquecido, na medida em que faltou investimento.


Ao invés de / Em vez de

No sentido de oposição, podem ser usadas as expressões ao invés de e em vez de.

Exemplos:

Em vez de [ou ao invés de] ajudar, atrapalhou.

Em vez de [ou ao invés de] entrar, saiu.

No sentido de substituição, só se usa em vez de.

Exemplos:

Em vez de plantar soja, plantou sorgo. (CERTO)

Ao invés de plantar soja, plantou sorgo. (ERRADO)

Em vez de comprar bananas, comprou laranjas. (CERTO)

Ao invés de comprar bananas, comprou laranjas. (ERRADO)

Observação: A locução de vez que não existe em português. Deve ser substituída por uma vez que, pois, porque.

Exemplo:

Foi advertido, uma vez que se portou mal. (CERTO)

Foi advertido, de vez que se portou mal. (ERRADO)


Aonde / Onde

Aonde é advérbio que se usa com verbo de movimento (principalmente chegar, ir, voltar, levar, retornar, dirigir-se, que são construídos com a preposição a); equivale sempre a para onde.

Exemplo:

Não sei aonde você vai.

Onde indica permanência/localização.

Exemplo:

Não sei onde ele está.


Ao nível de / Em nível (de) / A nível (de)

Ao nível de é locução que tem o sentido exclusivo e literal de à mesma altura de.

Exemplo:

O Rio de Janeiro está ao nível do mar.

Em nível (de) e a nível (de) são locuções que devem ser evitadas por ser um modismo desnecessário. Na maioria das vezes, essas locuções são dispensáveis ou podem ser substituídas por: com relação a, no que se refere a, como, no plano, no âmbito.

Exemplos:

Foi avaliado como presidente da associação. (CERTO)

Foi avaliado em nível de presidente da associação. (ERRADO)


Em relação à educação, o país vai mal. (CERTO)
A nível de educação, o país vai mal. (ERRADO)

 

Foi um resultado excepcional no âmbito nacional. (CERTO)
Foi um resultado excepcional a nível nacional. (ERRADO)
Foi um resultado excepcional em nível nacional. (ERRADO)


A princípio / Em princípio / Por princípio

A princípio significa no início.

Exemplo:

A princípio, pensou em abandonar o projeto.

Em princípio significa de modo geral, em tese.

Exemplo:

Todos, em princípio, têm os mesmos direitos.

Por princípio equivale a por convicção.

Exemplo:

A instituição tem por princípio cuidar do menor abandonado.


Até à / Até a

A crase após a preposição até é facultativa.

Exemplos:

Caminhamos até a [ou à] praia.

Fomos até [a]o cais do porto.


Através de

Através de é locução que equivale a por dentro de, de um lado a outro, ao longo de.

Exemplos:

Viajou através de todo o país.

Maria olhava a chuva através da janela.

A locução através de não deve ser utilizada quando o sentido for por meio de, por intermédio de ou por. Nesses casos, deve ser substituída por essas expressões.

Exemplos:

A notícia chegou por intermédio do ministro da Fazenda. (CERTO)

A notícia chegou através do ministro da Fazenda. (ERRADO)


O assunto foi resolvido por meio de decreto. (CERTO)

O assunto foi resolvido através de decreto. (ERRADO)


Cessão / Sessão / Seção (ou Secção)

Cessão significa o ato de ceder, de dar.

Exemplo:

O pesquisador fez a cessão de sua patente.

Sessão significa intervalo de tempo que dura uma reunião, assembleia, trabalho, espetáculo.

Exemplo:

A Diretoria reuniu-se em sessão extraordinária.

Seção (ou secção) significa parte de um todo, subdivisão, segmento.

Exemplos:

Compramos as revistas na seção [ou secção] de literatura.

Ele foi indicado para ser chefe da seção [ou secção].

Observação: A palavra secção corresponde também a corte, amputação, ato de cortar.

Exemplo:

O cirurgião fez a secção do osso.


Como sendo

Como sendo é expressão desnecessária e evitável.

Exemplo:

Julgaram-no o melhor funcionário do ano. (CERTO)

Julgaram-no como sendo o melhor funcionário do ano. (ERRADO)


De... a  / Entre... e

Para indicação de variação entre dois limites (valor, quantidade, percentual, etc.), podem-se usar:

De... a (a preposição que se correlaciona com a preposição de é a).

Exemplos:

A idade das crianças varia de 5 a 8 anos. (CERTO)

A idade das crianças varia de 5 e 8 anos. (ERRADO)


O aumento da gasolina será de 2% a 5%. (CERTO)

O aumento da gasolina será de 2% e 5%. (ERRADO)

Entre... e (a conjunção que se correlaciona com a preposição entre é e).

Exemplos:

Foram vacinadas todas as crianças entre 1 e 3 anos. (CERTO)

Foram vacinadas todas as crianças entre 1 a 3 anos. (ERRADO)


Participaram da capacitação entre 15 e 20 pessoas. (CERTO)

Participaram da capacitação entre 15 a 20 pessoas. (ERRADO)


De forma a / De modo a / De maneira a

Para expressar ideia de finalidade, podem-se usar as construções de forma (a) que + verbo flexionado ou de forma a + verbo no infinitivo.

Proceda do mesmo modo com de maneira a, de modo a e expressões semelhantes.

Exemplos:

Ele examinou o mapa, de forma [a] que tivesse uma noção exata do local.

Ele examinou o mapa, de forma a ter uma noção exata do local.


Fez o trabalho de maneira [a] que agradasse ao chefe.

Fez o trabalho de maneira a agradar ao chefe.

Construíram altos muros, de modo [a] que os presos fossem impedidos de fugir.

Construíram altos muros, de modo a impedir a fuga dos presos.


Desde... até

Desde... até ou desde... a são formas usadas apenas quando há uma gradação.

Exemplos:

Respeitava desde o mais humilde até o mais destacado funcionário da empresa.

O governo deveria garantir às crianças instrução desde a escola até a universidade.

Observação: Por ser preposição, desde é palavra que não pode vir seguida de outra preposição.

Exemplo:

Eles trabalharam desde a manhã até a noite. (CERTO)

Eles trabalharam desde de manhã até de noite. (ERRADO)


Devido a

Quando usada na forma passiva ou como simples particípio no sentido de causado por, em decorrência de, a locução devido a deve concordar em gênero e número com o nome (substantivo ou adjetivo) a que se refere.

Exemplos:

A inflação e o desemprego eram devidos à má administração pública. (Forma passiva)

A queda devida à instabilidade da Bolsa agravou-se há alguns dias. (Particípio)

Quando usada como equivalente de por causa de, em razão de, graças a, desde que, a locução devido a mantém-se invariável (portanto, não deve ser flexionada).

Exemplos:

O empate não provocou surpresa, devido à igualdade entre os dois jogadores.

A informação não estava disponível, devido a problemas de comunicação.

Observação 1: Essa locução não deve ser usada sem preposição.

Exemplo:

Devido ao mau tempo, a equipe não velejou. (CERTO)

Devido o mau tempo, a equipe não velejou. (ERRADO)

Observação 2: A locução devido a não deve ser usada antes de infinitivo.

Exemplos:

O acidente só ocorreu devido ao óleo que havia na pista. (CERTO)

O acidente só ocorreu devido a haver óleo na pista. (ERRADO)


Não entramos na água devido à grande agitação do mar. (CERTO)

Não entramos na água porque o mar estava muito agitado. (CERTO)

Não entramos na água devido ao mar estar muito agitado. (ERRADO)


Em função de

Em função de é locução que só deve ser empregada com a ideia de finalidade, dependência ou quando o texto se referir à relação matemática de função.

Exemplos:

A mulher vivia em função da família.

Na Figura 2, observa-se a produtividade de grãos de milho em função de doses de nitrogênio mineral aplicadas no estádio de quatro folhas ou de oito folhas.

Nos demais casos, devem-se usar outras expressões, como: em virtude de, por causa de, em consequência de, em razão de, por.

Exemplos:

O paciente piorou por causa do tratamento. (CERTO)

O paciente piorou em função do tratamento. (ERRADO)


O experimento II produziu mais, em razão do material utilizado. (CERTO)

O experimento II produziu mais, em função do material utilizado. (ERRADO)


Enquanto

Enquanto é conjunção que indica tempo concomitante. Ao empregá-la, mantenha a correlação entre os tempos verbais.

Exemplos:

Enquanto o professor elaborava [pretérito imperfeito] as questões, os alunos divertiam-se [pretérito imperfeito].

Enquanto eu tiver [futuro do subjuntivo] forças, trabalharei [futuro do presente].

Observação: Não existe a forma enquanto que.

Exemplos:

Uns trabalham enquanto outros se divertem. (CERTO)

Uns trabalham enquanto que outros se divertem. (ERRADO)


Face a

Face a é locução que deve ser substituída por em face de, ante, diante de, por causa de e expressões semelhantes.

Exemplos:

Em face da recusa de Maria, João chorou. (CERTO)

Face à recusa de Maria, João chorou. (ERRADO)

Por causa da escassez de recursos, o projeto foi arquivado. (CERTO)

Face à escassez de recursos, o projeto foi arquivado. (ERRADO)


Frente a

Frente a é locução que deve ser substituída por diante de, ante, perante, defronte de, em face de e expressões semelhantes.

Exemplos:

O réu apresentou-se diante do juiz. (CERTO)

O réu apresentou-se frente ao juiz. (ERRADO)

     

Ele não sabe como agir diante de situações imprevistas. (CERTO)

Ele não sabe como agir frente a situações imprevistas. (ERRADO)


O dólar teve nova desvalorização ante o real. (CERTO)

O dólar teve nova desvalorização frente ao real. (ERRADO)

Observação: A expressão fazer frente a (que significa defrontar, enfrentar) é correta. Vem sempre acompanhada da preposição a.

Exemplo:
Ela sempre fez frente às decisões da chefia.


Grosso modo

Grosso modo significa de modo genérico, sem entrar em pormenores. Use grosso modo sem preposição alguma (portanto, não use a grosso modo, em grosso modo, de grosso modo, etc.).

Exemplo:

Explicou, grosso modo, como funcionava o mecanismo.


Há / A

indica tempo passado, decorrido (equivale a faz).

Exemplo:

meses que ele não aparece.

Para informações sobre a concordância com o verbo haver, consulte a aba Concordância Verbal.

A indica distanciamento no tempo (= tempo futuro) e no espaço.

Exemplos:

Ela voltará daqui a pouco.

Chegou atrasado em virtude de um acidente, ocorrido a 10 km do seu local de trabalho.


Haja vista

Haja vista é expressão invariável que significa a julgar por, considerando-se.

Exemplos:

Haja vista a(s) denúncia(s) de fraude, o juiz mandou suspender o contrato.

Haja vista meu(s) amor(es) de juventude, escrevi este poema singelo.


Independente / Independentemente

Independente é adjetivo.

Exemplo:

Ele é uma pessoa independente.

Independentemente é advérbio (usado sempre que puder ser substituído por sem levar em conta, sem contar com, à parte).

Exemplo:

A moça agiu independentemente da (= sem levar em conta a) orientação do professor.


Infectado / Infestado

Infectado é adjetivo relativo à presença de microrganismos patogênicos (como bactérias, fungos e vírus) no interior de um órgão ou corpo, de modo a afetar a funcionalidade de suas células.

Exemplos:

O cão está infectado com o vírus da cólera.

As sementes de tomate estavam infectadas com a bactéria Xanthomonas perforans.

Infestado é adjetivo relativo à instalação de parasitas microscópicos (como fungos e bactérias) ou macroscópicos (como piolhos, ácaros, etc.) na superfície de um órgão ou corpo.

Exemplo:

O cão está infestado de piolhos.

As sementes de ervilha estavam infestadas de micélio do fungo Sclerotinia sclerotiorum.


Ir ao encontro de / Ir de encontro a

Ir ao encontro de é empregado para indicar aproximação, concordância, situação favorável.

Exemplos:

Pedro foi ao encontro de Maria. [= Pedro e Maria concordam]

A opinião de Pedro foi ao encontro da de Maria.

A conclusão da pesquisa foi ao encontro dos achados anteriores. [= a conclusão foi convergente com os achados anteriores]

Ir de encontro a é empregado para indicar choque, oposição, ideias opostas.

Exemplos:

O ônibus foi de encontro ao muro.

A opinião de Pedro foi de encontro à de Maria. (= Pedro e Maria discordam)

A conclusão da pesquisa foi de encontro aos achados anteriores. [= a conclusão divergiu dos achados anteriores]


Junto a

Junto a significa perto de, ao lado de ou adido a.

Exemplos:

O edifício foi construído junto à estação.

Estavam junto à sala de reuniões.

Foi designado embaixador junto ao Vaticano.

Não se deve usar junto a em construções em que a expressão entra no lugar de simples preposições.

Exemplos:

Entrou com recurso no TSE. (CERTO)

Entrou com recurso junto ao TSE. (ERRADO)


Solicitou providências ao Conselho. (CERTO)

Solicitou providências junto ao Conselho. (ERRADO)

O sindicato mantém as negociações com a diretoria. (CERTO)
O sindicato mantém as negociações junto à diretoria. (ERRADO)


Mau / Mal

Mau é adjetivo (antônimo de bom).

Exemplos:

Escolheu um mau momento.

Ele era um mau aluno.

Observação: Por tratar-se de um adjetivo, mau pode ser flexionado.

Exemplos:

Ela era uma aluna.

Ela passou por maus momentos em sua vida.


Mal pode ser usado como:

  • Advérbio de modo (antônimo de bem).

Exemplo:

O funcionário executou mal o trabalho.

  • Conjunção temporal (equivale a assim que).

Exemplo:

Mal a professora chegou, os alunos ficaram de pé.

  • Substantivo (quando precedido de artigo ou de outro determinante).

Exemplos:

O mal não tem remédio.

Evite este mal.


Melhor/Mais bem

  • Antes de particípio, use as formas mais bem e mais mal, em vez de melhor e pior.

Exemplos:

Esta reunião foi a mais bem organizada. (CERTO)

Esta reunião foi a melhor organizada. (ERRADO)


O atleta mais bem preparado conquistou a medalha de ouro. (CERTO)

O atleta melhor preparado conquistou a medalha de ouro. (ERRADO)


Esses eram os textos mais mal escritos da revista. (CERTO)

Esses eram os textos pior escritos da revista. (ERRADO)

Observação: A mesma regra se aplica aos casos em que os advérbios bem e mal se unem ao particípio por meio de hífen.

Exemplos:

Não há crítica mais bem-feita do que esta.

Pessoas emocionalmente inteligentes são mais bem-sucedidas.

Ela é a pessoa mais mal-humorada que conheço.

  • Use melhor e pior nos demais casos.

Exemplos:

Mesmo que quisesse, não faria melhor o trabalho.

Eles agora escrevem melhor.

Jogamos pior do que eles.

Observação: Nos casos acima, melhor e pior funcionam como advérbios. Por isso, não devem ser flexionados.

Situação diferente ocorre quando funcionam como adjetivos.

Exemplo:

Estudamos para nos tornarmos melhores.

A maneira mais prática de verificar se melhor funciona como advérbio ou como adjetivo é trocá-lo por bem (advérbio) ou bom (adjetivo).

Veja a substituição no exemplo acima:

Exemplo:

Estudamos para nos tornarmos bons.

e não

Estudamos para nos tornarmos bens.

Isso mostra que melhor aí é adjetivo e, por isso, deve ir para o plural.

 

Mesmo

Mesmo pode ser:

  • Pronome demonstrativo, no sentido de idêntico; em pessoa.

Exemplos:

O laboratório tem o mesmo tamanho que a sala de reuniões.

Ela mesma arrumou o arquivo.

  • Substantivo, no sentido de a mesma coisa.

Exemplo:

O professor atualizou seu currículo Lattes e recomendou que seus alunos fizessem o mesmo.

  • Advérbio, com o sentido de exatamente, justamente, até, ainda, realmente, verdadeiramente.

Exemplo:

O livro foi muito vendido mesmo.

Observação: É incorreto empregar o demonstrativo mesmo no lugar de um substantivo ou de um pronome pessoal. Nesses casos, substitua-o por ele/ela ou por palavras sinônimas à que se quer referir.

Exemplos:

O ministro não assinou o decreto, pois ele precisava analisar melhor a questão. (CERTO)

O ministro não assinou o decreto, pois o mesmo precisava analisar melhor a questão. (ERRADO)


Antes de entrar no elevador, verifique se ele encontra-se neste andar. (CERTO)

Antes de entrar no elevador, verifique se o mesmo encontra-se neste andar. (ERRADO)


Embora tenha sido utilizado esse teste, é importante alertar para sua complexidade. (CERTO)

Embora tenha sido utilizado esse teste, é importante alertar para a complexidade do mesmo. (ERRADO)


Os meios mecânicos de corte variam de acordo com o equipamento disponível na propriedade e com as adaptações e regulagens a que foi submetido. (CERTO)

Os meios mecânicos de corte variam de acordo com o equipamento disponível na propriedade e com as adaptações e regulagens efetuadas no mesmo. (ERRADO)


Microrganismo / Micro-organismo

Ambas as formas são corretas; porém, por uma questão de padronização em suas publicações, a Embrapa optou pela forma microrganismo.

 

No sentido de

No sentido de é expressão que, usada para indicar finalidade, é um modismo a ser evitado. Pode ser substituída pela preposição para ou pelas locuções a fim de, com o fim de, no intuito de.

Exemplo:

Dirigiu-se à sala do chefe para ajudá-lo a terminar o trabalho. (CERTO)

Dirigiu-se à sala do chefe no sentido de ajudá-lo a terminar o trabalho. (ERRADO)

No entanto, para indicar significados ou acepções de uma palavra ou locução, a expressão no sentido de está correta.

Exemplo:

O verbo “pesar”, no sentido de causar tristeza, está arrolado nessa gramática.


Onde / Em que

Onde usa-se como sinônimo de em que apenas quando a referência é a lugar físico.

Exemplo:

A pesquisa foi feita na fazenda, onde os pesquisadores acompanham o crescimento dos animais.

Nas demais situações, deve ser substituído por em que, no(a) qual.

Exemplo 1:

Vivemos numa época em que [ou na qual] a televisão não é mais o principal meio de comunicação. (CERTO)

Vivemos numa época onde a televisão não é mais o principal meio de comunicação. (ERRADO)

 

Exemplo 2:

A quantidade de adubo a ser aplicado por metro de linha pode ser calculada da seguinte maneira:


q = (Q x E)/10


em que

q = quantidade de adubo em gramas por metro.

Q = quilogramas de adubo por hectare.

E = espaçamento em metros.


Porcentagem

Quando for necessário usar as palavras porcentagem/percentagem e porcentual/percentual, pode-se optar pela grafia com per- ou com por-, já que ambas as formas estão registradas no Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa. Portanto, todas são aceitas nas publicações da Embrapa. No entanto, é preciso manter a consistência: uma vez escolhida uma forma (com o prefixo per- ou por-), ela deve ser mantida até o fim do texto.


Por que / por quê / porquê / porque

Escreve-se por que (separado):

  • Quando equivale a pelo qual e flexões.

Exemplos:

Este é o caminho por que [= pelo qual] passo todos os dias.

Estes são os direitos por que [= pelos quais] estamos lutando.

Eis as causas por que [= pelas quais] não venceremos.

  • Em interrogações diretas e indiretas. Nesse caso, a palavra razão/motivo estará subentendida.

Exemplos:

Por que [razão/motivo] você não compareceu?

Não sabemos por que [razão/motivo] você não compareceu.

Observação: Se ocorre no final da frase, usa-se por quê (separado e com acento).

Exemplo 1:

Ele faltou à reunião, por quê? [= Ela faltou à reunião, por que motivo/razão?]

 

Exemplo 2:
Ele está sempre mentindo e eu não sei por quê. [motivo/razão]

 

Exemplo 3:

— Nunca mais volto aqui.

Por quê? [= Por que razão/motivo?]

  • Como complemento das expressões eis, daí, não há. Nesses casos, equivale a motivo pelo qual ou razão pela qual.

Exemplos:

Eis por que resolvemos fazer a paralisação.

Não pude me preparar, daí por que desisti do concurso.

Não há por que chorar.

Escreve-se porquê (junto e com acento)

  • Quando se trata de substantivo. Nesse caso, vem precedido de artigo ou de outra palavra determinante.

Exemplos:

Não compreendemos o porquê da briga.

Não me venha com seus porquês.

Escreve-se porque (junto e sem acento)

  • Quando se trata de uma conjunção causal ou explicativa, que pode ser:

1) Subordinativa causal.

Exemplo:

Ela não veio, porque não quis.

2) Coordenativa explicativa, que equivale a pois.

Exemplo:

Saia depressa, porque o trem está partindo.

 

Sem-terra

Sem-terra é expressão (sinônimo de lavrador que não possui terra própria) usada como substantivo ou como adjetivo e que não admite flexão de número (permanece sempre no singular).

Exemplos:

Os sem-terra organizaram um protesto em frente à prefeitura.

O prefeito recebeu representantes dos trabalhadores sem-terra.

Exceção: No nome oficial do movimento, não consta hífen.

Exemplo:

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra apresentou reivindicações.

Observação: Outras expressões com sem- são igualmente invariáveis: sem-família, sem-casa, sem-teto, sem-pátria.


Sendo que

Sendo que não é expressão recomendável para unir orações. Em alguns casos, convém dispensá-la por ser inútil; em outros, é preferível substituí-la por uma conjunção ou por um pronome relativo.

Exemplos:

O pescador trouxe muitos peixes do rio; alguns deles ainda estavam vivos. (CERTO)

O pescador trouxe muitos peixes do rio; sendo que alguns deles ainda estavam vivos. (ERRADO)


O rio invadiu parte da cidade, e a violência das águas arrastou mais de uma casa. (CERTO)

O rio invadiu parte da cidade, sendo que a violência das águas arrastou mais de uma casa. (ERRADO)

 

Quinze espécies de árvores foram vendidas, das quais cinco eram de origem brasileira. (CERTO)

Quinze espécies de árvores foram vendidas, sendo que cinco eram de origem brasileira. (ERRADO)


Tampouco / Tão pouco

Tampouco significa também não.

Exemplos:

Não trabalhou, tampouco foi punido por sua ausência.

Ela não gostou do filme, e eu tampouco.

Tão pouco significa muito pouco ou algo diminuto, escasso, curto.

Exemplos:

Em tão pouco tempo, fez tanto!

Dedicou-se tão pouco à filha que ela o esqueceu.

Ganham tão pouco que mal podem viver.


Todo / Todo o / Todos os

Todo, toda (sem artigo) significam cada, qualquer.

Exemplos:

Trabalha todo dia.

Toda nação tem problemas sociais.

Todo o, toda a (com artigo) equivalem a inteiro, inteira.

Exemplos:

Trabalhou todo o dia.

Toda a nação lutava pela soberania.

Todos, todas exigem sempre os, as em frases como:

Exemplos:

Todos os que reivindicaram mudanças foram atendidos.

Todos os estudantes foram aprovados.


Traz / Trás

Traz é a forma conjugada do verbo trazer.

Exemplos:

O filme lhe traz boas lembranças.

Ele traz sempre uma mensagem de otimismo.

Trás só se emprega depois de preposição e pode exercer a função de locução adverbial (para trás), locução prepositiva (por trás de) ou locução adjetiva (de trás = traseiro/a).

Exemplos:

Ela olhou para trás e se arrependeu do que fez.

Pressenti alguma intenção oculta por trás de suas palavras.

As crianças devem viajar no banco de trás.

Emprego correto de algumas expressões

Errado Certo
De menor
Ele é de menor, de maior.
Maior
Ele é menor (ou maior) de idade.
Germinada
Este condomínio é de casas germinadas.
Geminada
Este condomínio é de casas geminadas.
Geminada
As sementes foram geminadas em Latossolo.
Germinada
As sementes foram germinadas em Latossolo.
Haver
O problema não tem nada haver com você.
Que ver / A ver
O problema não tem nada que ver com você
OU
O problema não tem nada a ver com você.
Homogenidade
Foi testada a homogenidade das amostras.
Homogeneidade
Foi testada a homogeneidade das amostras.
Melhor
O atleta melhor preparado conquistou a medalha de ouro.
Mais bem
O atleta mais bem preparado conquistou a medalha de ouro.

O conteúdo desta página foi atualizado em 21/08/2018.