Web Content Display

Tabela

As tabelas são elaboradas com o propósito de sistematizar informações (numéricas e em forma de texto), que devem ser apresentadas de forma clara e precisa, para facilitar a leitura e a compreensão dos dados. O conjunto formado pelos elementos da tabela deve ser autoexplicativo, sem exigir que o leitor recorra ao texto para sua compreensão. Na Embrapa, usa-se a palavra "tabela" tanto para indicar tabelas propriamente ditas quanto quadros.

Exemplos:

Chamada de tabela no texto

  • As tabelas devem ser citadas no texto e devem ser numeradas em ordem sequencial.
  • As tabelas podem ser citadas no próprio curso do texto ou entre parênteses. Independentemente de sua posição, deve-se grafar "Tabela", quando acompanhada de sua numeração, sempre com letra inicial maiúscula.

Exemplo:

Segundo Martinez Higuera (1989), os dados da Tabela 5 podem ser usados para o cálculo da largura de cada barreira e das suas distâncias. Nair (1989d) cita algumas espécies usadas no Nepal. Dessas, algumas foram selecionadas por sua possibilidade de uso no Brasil (Tabela 6).

  • Em chamada de mais de uma tabela, basta referir o termo "Tabelas" uma única vez.

Exemplo:

Como se pode ver nas Tabelas 7 e 8, o País vem aumentando as exportações de produtos agroindustriais.

  • Em obra coletiva, a numeração das tabelas deve ser reiniciada a cada capítulo.
  • Em obra individual ou em coautoria, mesmo quando dividida em capítulos, as tabelas devem ser numeradas sequencialmente na obra.

Elementos da tabela

A tabela é composta dos seguintes elementos:

  • Essenciais: título, cabeçalho e corpo (células, colunas e linhas).
  • Complementar: rodapé (notas de tabela e fonte).

Título

  • O título deve ser precedido dos seguintes elementos, grafados em negrito: palavra "Tabela", seguida do respectivo número, em algarismo arábico, e de ponto.
  • O texto do título deve estar sem negrito e em letra minúscula (à exceção da letra inicial da primeira palavra) e fechado com ponto-final.

Exemplo:

Tabela 1. Estimativas da contribuição da fixação biológica do nitrogênio (FBN) em algumas leguminosas de importância agrícola da subfamília Papilionoideae.

  • O título deve ser simples e conciso. Dele devem constar, quando for o caso, o local e a data de realização do experimento.

Não se deve usar zero à esquerda no título da tabela.

Exemplos:

Tabela 01. (ERRADO)

Tabela 1. (CERTO)

Cabeçalho, gravata ou garganta

  • O cabeçalho deve ser escrito em negrito e no singular (usar plural apenas quando não for possível singularizar). Grafar somente a primeira palavra com inicial maiúscula.
  • No cabeçalho, os nomes das colunas devem ser grafados por extenso; se isso não for possível, explicar o significado das abreviaturas no título ou em nota de rodapé.
  • Quando o cabeçalho contiver informações sobre uma grandeza física, o símbolo da unidade de medida usada deverá estar entre parênteses.

Exemplo:

Corpo

  • Os textos contidos nas células devem ser iniciados com letra maiúscula e encerrados sem ponto. Se a célula contiver mais de uma frase ou orações internas, todas serão encerradas com ponto.
  • Siglas e abreviaturas grafadas no corpo da tabela devem ser desmembradas no título ou em nota da tabela, mesmo que já tenham sido desmembradas no corpo do texto.
  • Nomes científicos também devem ser apresentados por extenso (ou seja, na forma não abreviada) na primeira aparição em cada tabela.

Atenção deve ser dada ao uso de ponto e de vírgula. O ponto é usado para separar milhar e a vírgula é usada para separar a parte inteira da parte decimal dos números. Em textos em português, não será aceito o padrão de língua inglesa (nesta última, vírgula separa milhar, e ponto separa parte decimal).

Exemplos:
Cem mil em português = 100.000
Cem mil em inglês = 100,000


Três décimos em português = 0,30
Três décimos em inglês = 0.30

No corpo da tabela, os algarimos arábicos não devem ser antecedidos de zero.

Exemplo:

Ao longo de 05 anos... (ERRADO)

Ao longo de 5 anos... (CERTO).

Grafia de datas em tabelas

Em célula referente a datas completas, isto é, com indicação de dia, mês e ano, a data deve ser grafada apenas com algarismos arábicos, separados por barra.

Em célula referente a datas com indicação exclusiva de mês, deve-se grafar o nome do mês por extenso. Se não for possível (por exemplo, por falta de espaço), deve-se adotar a forma abreviada (exceto para “maio”, que deve ser sempre escrito por extenso). Consulte a lista de abreviaturas.

Em célula referente a datas com mês e ano, deve-se grafar o nome do mês por extenso seguido de barra e de numeral indicativo do ano. Se não for possível grafar o nome por extenso por falta de espaço, deve-se adotar a forma abreviada (exceto para “maio”, que deve ser sempre escrito por extenso). Consulte a lista de abreviaturas.

Grafia de intervalos de tempo

Período, em anos – Deve-se adotar uma das seguintes alternativas:

Exemplos:

De 1990 a 2000

1990 a 2000

1990–2000 (com travessão e sem espaço)

No caso de indicação de safra ou ano agrícola, deve-se usar barra.

Período, em meses e anos – Deve-se adotar uma das seguintes alternativas:

Exemplos:

Setembro de 2013 a fevereiro de 2014 (por extenso)

Setembro/2013 a fevereiro/2014 (com o nome dos meses escrito por extenso seguido de barra e dos anos em algarismos arábicos)

Set./2013 a fev./2014 (com o nome dos meses escrito de forma abreviada seguido de barra e dos anos em algarismos arábicos)

9/2013 a 2/2014 (com meses e anos em algarismos arábicos, separados por barra)

Quantidades, medidas, etc. – Deve-se adotar uma das seguintes alternativas:

Exemplos:

De 5% a 200%

5% a 200%

5%–200% (com travessão e sem espaço).

Rodapé

Notas de tabela

Em tabelas, frequentemente, é preciso recorrer ao uso de notas, que podem ser:

  • Nota numerada: Contém informações de caráter específico sobre partes da tabela, referentes ao título, coluna, linha ou célula em específico. Esclarece siglas e abreviaturas (mesmo as criadas quando, por limitação de espaço ou por opção de formatação, as informações não puderem ser inseridas por extenso no corpo da tabela). Devem ser numeradas consecutivamente, conforme a ordem de ocorrência na tabela, seguindo a ordem de leitura da esquerda para a direita a cada nova linha.
  • Nota de significância: Indica os resultados de testes de significância.
  • Nota geral: Registra observações ou comentários gerais, para conceituar ou esclarecer o conteúdo da tabela.
  • Nota de fonte bibliográfica: Esclarece a origem dos dados que constam da tabela, indicando o(s) autor(es) ou a instituição e a data. As fontes devem constar da lista de referências, e sua citação deve obedecer às mesmas normas usadas para citações no texto. Se a tabela for do próprio autor, não será necessário citar a fonte.

Chamada de nota de tabela

  • Quando a chamada da nota numerada é inserida no título, deve-se usar algarismo arábico sobrescrito, entre parênteses, à direita da palavra ou do termo a ser explicado, sem espaço.
  • Quando a chamada da nota numerada é inserida no cabeçalho, deve-se usar algarismo arábico sobrescrito, entre parênteses, à direita do termo a ser explicado, sem espaço.
  • Quando a chamada da nota numerada é inserida no corpo da tabela, deve-se usar algarismo arábico sobrescrito, entre parênteses, à direita da informação a que se faz referência, sem espaço.
  • Para indicação de significância, devem-se usar os símbolos “*”, “**” (significativo a 5% e a 1% de probabilidade, respectivamente) ou “ns” (não significativo), sobrescritos, sem parênteses, à direita do número a que fazem referência e sem espaço. Quando a célula for ocupada apenas com o símbolo de significância, ele não deverá estar sobrescrito.

Disposição de notas e fontes no rodapé da tabela

  • As notas e fonte devem figurar no rodapé da tabela, e não da página. Devem ser grafadas em corpo dois pontos abaixo do corpo utilizado no título da tabela, sem negrito. Em caso de título com corpo menor que 8, deve-se utilizar o mesmo corpo. Todas as notas devem terminar com ponto-final.
  • Deve-se respeitar a seguinte hierarquia na apresentação das notas:

1) Notas numeradas.
2) Notas de significância (ns, *, **).
3) Notas gerais.
4) Fonte.

  • Nota numerada: Deve-se iniciar com algarismo arábico sobrescrito, entre parênteses, à esquerda do termo a ser explicado, sem espaço.  As notas têm numeração própria e independente da numeração das demais notas do texto da publicação.
  • Nota de significância: Deve-se iniciar com os símbolos de significância (*, **, ns), sobrescritos e sem parênteses, à esquerda do termo a ser explicado, sem espaço.
  • Nota geral: Cada nota geral deve estar em linha própria (novo parágrafo).
  • Fonte: Deve-se iniciar com a palavra "Fonte", com inicial maiúscula, sem negrito e seguida de dois-pontos. Caso o material seja adaptado, acrescentar, após “Fonte:”, a expressão “Adaptado de” (sem negrito, com inicial maiúscula e no masculino singular) e, em seguida, a citação da obra utilizada.
A depender das opções de formatação, as notas numeradas podem ser apresentadas em linhas contínuas (encerradas com ponto final) ou separadas (uma nota por linha). Já as notas gerais, as notas de significância e a fonte permanecem sempre cada uma em linha própria. O importante é manter um padrão dentro de cada publicação.

Disposição e formatação das tabelas

  • A disposição das tabelas obedecerá ao projeto gráfico, devendo a tabela aparecer depois e o mais próximo possível de sua primeira chamada no texto.
  • Se a tabela for muito extensa e não couber em uma única página, ela continuará na página seguinte. Para isso, fecha-se a tabela com o fio e escreve-se, sem negrito, no canto inferior direito “Continua...”. Na página seguinte, inicia-se o título com a palavra “Tabela”, com o respectivo número e ponto (em negrito e sem repetir o título), em negrito, seguidos da palavra “Continuação.” (sem negrito e com ponto-final). Repete-se somente o cabeçalho.
  • Quando a tabela for extensa e ultrapassar a largura da mancha, ela poderá ser disposta horizontalmente na página (com leitura de baixo para cima). Na página ímpar, o título ficará do lado da margem interna. Na página par, o título ficará do lado da margem externa.
  • Dependendo do projeto gráfico, podem-se usar traços horizontais no corpo da tabela, desde que sejam reticulados e discretos, e/ou usar cor de fundo na tabela.
  • Não se podem usar traços verticais nas colunas, nem fechar as laterais.
  • Deve-se estabelecer diferença entre cabeçalho do corpo da tabela. Para tanto, sugere-se usar diferenciar o tom da cor-padrão da tabela e/ou fios para separar o cabeçalho do corpo.
  • O título, sempre posicionado acima da tabela, não deve ultrapassar a largura dela; se ocupar mais de uma linha, o texto deverá ser justificado.
  • Nas colunas em que há dados numéricos, as vírgulas decimais devem estar alinhadas.
  • As colunas devem localizar-se o mais próximo possível umas das outras, para facilitar a comparação dos dados.