Web Content Display

Manuais, sistemas, base de dados e bibliotecas eletrônicas da Embrapa


Manual para Referenciação de Recursos da Informação

Manual da Marca Embrapa

Cadastro Geral de Publicações da Embrapa (CGPE)

Produção Científica Embrapa

Base de Dados da Pesquisa Agropecuária

Sistema Embrapa de Bibliotecas (SEB)

 

Sociedades de interesse editorial


Câmara Brasileira do Livro (CBL). Entidade independente, sem fins lucrativos, que tem a missão de estimular a leitura no País, promover a indústria e o comércio do livro e defender os interesses de seus associados. Reúne editores, livreiros, distribuidores e crediaristas, e desenvolve uma série de atividades e eventos, para difundir a produção editorial brasileira. No site, encontram-se informações sobre assistência jurídica aos associados, carta de exclusividade, catalogação na publicação, serviço de dúvidas frequentes, prêmios e concursos e como associar-se.


Associação Brasileira de Direitos Reprográficos (ABDR). Sociedade civil, criada por autores e editores, com o objetivo social de arrecadar os direitos reprográficos (direito autoral sobre a cópia reprográfica de obras intelectuais protegidas pela Lei 9.610/1998) das obras de autoria e publicação de seus associados. No site estão disponíveis informações sobre: direito autoral e legislação, além da seção de perguntas e respostas.

 

Normas técnicas


International Organization for Standardization (ISO). Organização independente, não governamental, que desenvolve e publica padrões internacionais resultantes do trabalho de grupos de especialistas das mais diversas áreas do conhecimento, para assegurar segurança, confiabilidade e qualidade de produtos.


Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Órgão responsável pela normalização técnica no Brasil. Desenvolve programas de certificação em diversas áreas, conforme os modelos internacionais aceitos e estabelecidos no âmbito do Committee of Conformity Assessment (Casco), que faz parte da International Organization for Standardization (ISO).

A ABNT é também representante exclusiva, no Brasil, das seguintes entidades internacionais: International Organization for Standardization (ISO), International Electrotechnical Commission (IEC), Comissão Panamericana de Normas Técnicas (Copant) e Associação Mercosul de Normalização (AMN).

O site permite consulta para a aquisição das normas em formato impresso (papel) e digital e tem uma seção com os conceitos de normalização, além de outros serviços.


Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Órgão que tem, entre suas diversas atribuições: executar as políticas nacionais de metrologia e qualidade; verificar a observância das normas técnicas e legais no que se refere às unidades de medida, métodos de medição, medidas materializadas, instrumentos de medição e produtos pré-medidos; manter e conservar os padrões das unidades de medida. O site disponibiliza informações sobre publicações de conteúdo metrológico e da qualidade, seja em meio eletrônico, seja em publicações impressas.

 

Direitos autorais e patentes


Ministério da Cultura (Minc). Ministério que desenvolve ações específicas para o reconhecimento da importância da cultura para a construção da identidade nacional. Nesse sentido, desenvolve políticas de fomento e incentivo às diversas formas de expressão da cultura nacional nas áreas de letras, artes, folclore, bem como preserva o patrimônio histórico, arqueológico, artístico e nacional. Publica uma relação de normas internacionais, leis e decretos que regulam os direitos autorais sobre obras literárias e artísticas.


Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Órgão da administração direta que tem como competências os seguintes assuntos: política nacional de pesquisa científica, tecnológica e inovação; planejamento, coordenação, supervisão e controle das atividades de ciência e tecnologia; política de desenvolvimento de informática e automação; política nacional de biossegurança; política espacial; política nuclear; controle da exportação de bens e serviços sensíveis.


Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi). Autarquia federal vinculada ao Ministério de Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) responsável pelo aperfeiçoamento, pela disseminação e pela gestão do sistema brasileiro de concessão e garantia de direitos de propriedade intelectual para a indústria. Entre os serviços do Inpi, estão os registros de marcas, desenhos industriais, indicações geográficas, programas de computador e topografias de circuitos; as concessões de patentes; e as averbações dos contratos de franquia e das distintas modalidades de transferência de tecnologia.

 

Bibliotecas, centros e institutos de informação


Biblioteca Nacional – Brasil. Órgão responsável pela execução da política governamental de captação, guarda, preservação e difusão da produção intelectual do País. Orienta e protege os autores de obras intelectuais, por intermédio do Escritório de Direitos Autorais; preserva a informação veiculada pelos periódicos, por meio do Plano Nacional de Microfilmagem de Periódicos Brasileiros; inventaria e preserva os livros raros existentes no Brasil, mediante o Plano Nacional de Obras Raras; coordena o Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas; e promove o autor e o livro brasileiros no País e no exterior.

Desde 1978, representa, no Brasil, o International Standard Book Number (ISBN). O ISBN – criado em 1967 e oficializado como norma internacional em 1972 – é um sistema que identifica numericamente os livros segundo o título, o autor, o país e a editora, individualizando-os inclusive por edição. É controlado pela International ISBN Agency, que orienta e delega poderes às agências nacionais.


Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict). Instituto que promove o desenvolvimento do setor de informação, capaz de contribuir para o avanço da ciência e para a competitividade da tecnologia brasileira. Entre os diversos serviços, está a disponibilização de bases e bancos de dados bibliográficos. No menu principal, item Informação para Pesquisa, subitem Centro Brasileiro do ISSN, encontram-se informações e orientações sobre o International Standard Serial Number (ISSN).


Library of Congress – Estados Unidos. Uma das maiores bibliotecas do mundo, que serve à pesquisa do Congresso Norte-Americano e dispõe de vasto material de consulta (livros, gravações, fotografias, mapas e manuscritos), além de disponibilizar informações sobre direitos autorais nos Estados Unidos e abreviaturas de títulos de periódicos que constam da base de dados Handbook of Latin American Studies.

 

Bases de dados bibliográficas


Repositório Acesso Livre à Informação Científica da Embrapa (Alice). Repositório que destina-se a reunir, organizar, armazenar, preservar e disseminar, na íntegra, informações científicas produzidas por pesquisadores da Embrapa e editadas em capítulos de livros, artigos em periódicos indexados, artigos em anais de congressos, teses e dissertações, notas técnicas, entre outros.


Bases de Dados da Pesquisa Agropecuária (BDPA). Base que contém informação técnico-científica produzida e colecionada pelas bibliotecas das Unidades da Embrapa, localizadas em todo o território nacional.


Sistema Aberto e Integrado de Informação em Agricultura (Sabiia). Mecanismo de busca automatizado que coleta e centraliza metadados de provedores de dados científicos de acesso aberto, previamente selecionados. Essa interface reúne informações sobre agricultura e áreas afins, possibilitando o acesso ao texto integral de milhares de publicações científicas disponíveis em diversas instituições nacionais e internacionais. O Sabiia permite o acesso a documentos como livros, capítulos de livros, artigos em periódicos, folhetos, teses, anais e proceedings de eventos, entre outros.


Sistema Integrado de Biblioteca da USP (Dedalus). Contém informações sobre os acervos (livros, publicações seriadas, produção e teses) das bibliotecas da Universidade de São Paulo (USP).


Portal de Periódicos Capes/MEC. Biblioteca virtual que reúne e disponibiliza a instituições de ensino e pesquisa no Brasil o melhor da produção científica internacional. Ele conta com um acervo de mais de 37 mil títulos com texto completo, 126 bases referenciais, 11 bases dedicadas exclusivamente a patentes, além de livros, enciclopédias e obras de referência, normas técnicas, estatísticas e conteúdo audiovisual.

A busca aos materiais pode ser feita por assunto, periódico, livro e base (que pode ser área científica ou título da base de dados, entre as quais estão Web of Science, Derwent, Scopus, Cab Abstracts, Springer, Wiley, Nature e Royal Society).

Para instruções sobre o acesso, consulte o item “Quem participa” no menu “Institucional”.


Scientific Electronic Library Online (SciELO). Biblioteca eletrônica que disponibiliza uma coleção selecionada de periódicos científicos brasileiros. O site está apresentado em português, inglês e espanhol.

 

Ciências agrárias e áreas afins


Códigos de nomenclatura científica

Algas, fungos e plantas

International Code of Nomenclature of Algae, Fungi, and Plants (IAPT) – Melbourne Code. Código que descreve as regras de nomenclatura relativas às espécies de algas, fungos, plantas (fósseis e não fósseis), conforme item 8 do Preâmbulo do Código.

Cultivares de plantas

International Code of Nomenclature for Cultivated Plants (ICNCP). Código que apresenta um sistema para a nomenclatura de cultivares de plantas.

Animais

International Code of Zoological Nomenclature. Código que fornece e regula um sistema uniforme de nomenclatura zoológica, para assegurar que todo animal tenha um nome científico único e universalmente aceito. A International Commission on Zoological Nomenclature (ICZN) tem como tarefa criar, publicar e periodicamente revisar o código, além de considerar e regular casos específicos de dúvidas quanto à nomenclatura.

Bactérias

Code of Nomenclature of Prokaryotes (antigo International Code of Nomenclature of Bacteria). Código cujas atualizações são publicadas pelo International Journal of Systematic and Evolutionary Microbiology (IJSEM). Algumas alterações ao código original foram publicadas online, em Alterations to the Bacteriological Code (1990 Revision), à página List of Prokaryotic Names with Standing in Nomenclature (http://www.bacterio.net/-code.html). No site, também se encontra uma base de dados autorizada dos nomes dos procariotas (ou procariontes).

O International Code of Nomenclature of Bacteria, edição do código original em revisão de 1990, está publicado online à página do National Center for Biotechnology Information (NCBI).

Vírus

International Committee on Taxonomy of Viruses (ICTV). Divisão da International Union of Microbiological Societies encarregada de desenvolver, definir e manter a taxonomia universal de vírus. O ICTV é também a base de dados autorizada de nomes de vírus, que pode ser consultada no item “Taxonomy” do menu principal da página.


Enzimas e de compostos químicos

Enzimas

Enzyme Nomenclature. Nomenclatura regulada pelo Nomenclature Committee of the International Union of Biochemistry and Molecular Biology (NC-IUBMB), em consulta à International Union for Pure and Applied Chemistry (IUPAC). A página contém informações gerais sobre a nomenclatura de enzimas, uma lista dos nomes recomendados e sugestões de links para outras bases de dados sobre enzimas.

Química pura e aplicada

International Union of Pure and Applied Chemistry (IUPAC). Órgão que regulamenta a nomenclatura química e disponibiliza textos e bases de dados de nomenclatura para consulta.


Nomenclatura genética

A nomenclatura genética é dada de acordo com o organismo em estudo. Assim, temos atualmente nomenclatura formalizada para algumas espécies abaixo relacionadas, com as respectivas páginas de acesso online:

Homo sapiens

HUGO Gene Nomenclature Committee (HGNC)
Mus musculus, Rattus novergicus
Gallus gallus
Caenorhabditis elegans
Drosophila melanogaster
Saccharomyces cerevisiae
Zea mays
Arabidopsis thaliana
Candida albicans
Dictyostelium discoideum
Xenopus laevis
Danio rerio

Bactérias

Bacterial Genetics Nomenclature. Para a nomenclatura genética de bactérias, há boas referências nas instruções aos autores do periódico Molecular and Cellular Biology, da American Society for Microbiology.

 

Bases de dados para pesquisa de nomes científicos

Algas

algaeBASE
World Register of Marine Species (WoRMS)
Shared Information of Genetic Resources (SHIGEN)
The Academy of Natural Sciences of Drexel University (Estados Unidos)
Global Biodiversity Information Facility (GBIF)
Protist Information Server
Natural History Museum (NHM) – Reino Unido
Protist Image Data

Bactérias

Bacterionet. Publicação da lista autorizada dos Prokaryotic Names with Standing in Nomenclature, sempre após a atualização pelo periódico International Journal of Systematic and Evolutionary Microbiology.

Common Access to Biological Resources and Information (Cabri). Base de dados que agrupa vários catálogos de vários centros europeus de recursos biológicos. Pelo acesso a essas bases, podem ser consultados nomes científicos de bactérias, fungos e plasmídeos.

Deutsche Sammlung von Mikroorganismen und Zellkulturen (DSMZ). Base que pode ser consultada em inglês ou alemão. Nela podem ser encontrados os nomes de algas, bactérias, fungos, leveduras e plasmídeos. A base se refere a uma grande coleção de culturas e é interessante para consultas de nomenclatura.

Fungos

Index Fungorum. Base de dados coordenada e apoiada pela parceria Index Fungorum (formada pelas seguintes instituições: Royal Botanic Gardens Kew – Mycobiology section, Landcare Research-NZ e Chinese Academy of Science – Institute of Microbiology). Apresenta nomes de fungos (inclusive leveduras, líquens, análogos fúngicos cromistas, análogos fúngicos de protozoas e formas fósseis) em todas as classificações.

Vírus

International Committee on Taxonomy of Virus (ICTV). Base de dados oficial que lista os nomes, os gêneros e as famílias de vírus. Acrescenta, ainda, os nomes de vírus não completamente identificados.

Animais, plantas e microrganismos

AnimalBase. Serviço fornecido pelo Zoological Institute of the University of Göttingen, Alemanha. Fornece também acesso livre a trabalhos zoológicos e a listas de gêneros e espécies verificadas manualmente.

Encyclopedia of Life (EoL). Base de dados que apresenta dados da biodiversidade extraídos de várias fontes autorizadas (livros, periódicos, bases de dados, coleções de espécimes, etc.), além de colaborar com outras grandes bases.

Global Biodiversity Information Facility (GBIF). Base de dados que contém nomes de espécies de praticamente todos os reinos, com ficha de descrição e informações sobre autores, locais de ocorrência e links do mundo todo. A base apresenta dados em consórcio com bases autorizadas.

Integrated Taxonomic Information System (ITIS). Base que permite acesso a informações sobre nomenclatura científica de animais, plantas e microrganismos do mundo todo, além de oferecer acesso aos nomes comuns (em várias línguas) de boa parte dos organismos.

speciesLink. Sistema distribuído de informação que integra, em tempo real, dados primários de coleções científicas brasileiras. O sistema foi desenvolvido com o apoio das instituições: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Global Biodiversity Information Facility (GBIF), JRS Biodiversity Foundation e Centro de Referência em Informação Ambiental (Cria).

Tree of Life Web Project (ToL). Base de dados que compila informações sobre biodiversidade focadas nos ramos filogenéticos.

Insetos

Museum of Comparative Zoology (MCZ) – Harvard University. Base de dados que contém nomenclatura de tipos primários de insetos.

Insect Images. Base de imagens de insetos organizada pela University of Georgia (Estados Unidos), em associação com a Entomological Society of America e outras instituições.

Smithsonian National Museum of Natural History.

Pherobase. Base que dispõe de informações sobre semioquímicos e é interessante para consulta de nomenclatura científica entomológica. Traz os nomes científicos dos insetos pelos nomes de ordem, família, gênero e espécie, além de trazer os nomes comuns em várias línguas.

Field Museum. Museu com uma ampla base de dados sobre insetos, em especial sobre aracnídeos e miriápodes.

Nematódeos

Nematode Collection Database – United States Department of Agriculture (Usda).

Plant and Insect Parasitic Nematodes

Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia – Unidade de Nematologia. Banco de dados sobre nematódeos da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia que apresenta uma lista de nematódeos encontrados em plantas no Brasil, mapeados a partir de publicações de pesquisa. Conta, ainda, com bibliografia e sugestões de páginas para busca sobre nematologia.

Global Biodiversity Information Facility (GBIF). Site que apresenta a Cabi Bioscience Nematode Collection, que permite acesso a um vasto banco de dados, com a possibilidade de filtros por locais de ocorrência.

Peixes

FishBase. Base de dados global de informações sobre peixes. Pode ser acessada em várias línguas, inclusive em português.

Répteis

The Reptile Database. Base de dados que apresenta a taxonomia dos répteis.

Plantas

International Plant Names Index (IPNI). Base de dados de nomenclatura de plantas associada à informação bibliográfica desenvolvida em colaboração com Royal Botanic Gardens, Kew, Harvard University Herbaria e Australian National Herbarium. Permite buscas por nomes de plantas, autores de nomes de plantas e publicações (livros ou periódicos onde os nomes foram divulgados).

Tropicos. Reunião das bases de dados autorizadas do Missouri Botanical Gardens. Seu sistema tem mais 1,2 milhão de nomes científicos e 4 milhões de registros de espécimes.

Multilingual Multiscript Plant Name Database (MMPND). Base que traz, no item “List of names [...] for the botanically minded”, os nomes científicos de plantas e seus respectivos nomes comuns em várias línguas. Apresenta também algumas listas separadas por língua sobre fungos, variedades de bambu, coníferas e palmeiras.

Plants Database – United States Department of Agriculture (Usda). Base que permite acesso a informações padronizadas sobre plantas que ocorrem nos Estados Unidos e seus territórios. Tem também um vasto banco de imagens de plantas.

Herbário Virtual (IAN) – Embrapa Amazônia Oriental. Herbário com mais de 190 mil exsicatas e cujos acervos científicos vêm sendo catalogados há mais de 60 anos; constituem valiosa fonte de documentação e informação sobre a Amazônia, fornecendo, dessa forma, subsídios para o conhecimento da biodiversidade, o manejo da vegetação e a conservação da natureza.

Herbário CEN – Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia. Herbário cuja coleção inclui principalmente plantas do bioma Cerrado e número crescente de plantas da Caatinga e da Amazônia. Representa também plantas de uso econômico, inclusive gramíneas e leguminosas forrageiras, mandioca, amendoim, abacaxi, inhame, plantas oleaginosas, ornamentais, medicinais e florestais e parentes silvestres de plantas cultivadas.

The Plant List. Base que surgiu da colaboração entre o Royal Botanic Gardens, Kew e o Missouri Botanical Garden, a partir da combinação de múltiplos conjuntos de dados mantidos por essas instituições e outros colaboradores. The Plant List apresenta registros de todas as espécies de plantas conhecidas. Lançada em 2013, a base tem o objetivo de ser abrangente quanto a espécies de plantas vasculares (flores, coníferas, samambaias e seus parentes) e quanto a espécies de briófitas (musgos e hepáticas).

Global Biodiversity Information Facility (GBIF)

Integrated Taxonomic Information System (ITIS)

speciesLink

Tree of Life Web Project (ToL)

National Center for Biotechnology Information (NCBI). Base de dados que fornece acesso a várias bases de dados de informação sobre taxonomia dos organismos, genética, química e literatura científica.

Cultivares de plantas

No Brasil – Registro Nacional de Cultivares (RNC) – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Lista que traz o registro oficial das cultivares comerciais de plantas no Brasil.

Em outros países – consultar as autoridades responsáveis pela proteção de cultivares no diretório da International Union for the Protection of New Varieties of Plants (UPOV).

Doenças de plantas

Nomes de Pragas – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Tabelas com informações sobre espécies válidas, sinonímias, usos cancelados, tipos de formulação e nomes de culturas, para melhor composição de bulas de agrotóxicos e afins.

Agência de Informação Embrapa (Ageitec). Apresentação das pragas que afetam os cultivos relatados nas árvores do conhecimento. Basta acessar o nome da cultura e ali se encontrará o relato das pragas e doenças que a afetam.

Common Names of Plant Diseases. Base compilada pelo Committee on Standardization of Common Names for Plant Diseases da American Phytopathological Society.

Databases – European and Mediterranean Plant Protection Organization (EPPO). Base de dados online que tem como objetivo abrigar toda a informação sobre doenças e pragas produzidas por essa organização de proteção vegetal.

Enzimas

Nomenclature Committee of the International Union of Biochemistry and Molecular Biology (NC-IUBMB). Base de dados que está disponível à página do Departamento de Química do Queen Mary College, University of London.

Expert Protein Analysis System (ExPAsy). Portal dedicado à análise de proteínas. Dispõe de várias bases, entre elas a de nomenclatura de enzimas.

Protein Knowledgebase (UniProtkb) – Universal Protein Resource (Uniprot). Ampla base de dados sobre proteínas em que, além da classificação de enzimas, também se encontram a taxonomia das espécies e as sequências de proteínas.

Protein Data Bank (PDB). Banco de dados (atualizado semanalmente e de acesso gratuito) que é o único repositório mundial de informação sobre estruturas 3D de macromoléculas, que incluem as proteínas e os ácidos nucleicos. Essas são as moléculas da vida, que são encontradas em todos os organismos, inclusive em bactérias, leveduras, plantas, moscas, outros animais e humanos. A compreensão da forma de uma molécula leva à dedução do papel de uma estrutura na saúde humana, na doença e no desenvolvimento de drogas. As estruturas do arquivo abrangem desde pequenas proteínas e bits de DNA a complexas “máquinas” moleculares, como o ribossoma.

Substâncias químicas

International Union of Pure and Applied Chemistry (IUPAC). Site que disponibiliza várias bases de dados de interesse da química.

ChemSpider – Royal Society of Chemistry. Base de dados de estruturas químicas que fornece acesso a mais de 35 milhões de estruturas, propriedades e informações a elas relacionadas. Essa base integra e liga compostos de cerca de 500 fontes de dados.

 

Dicionários linguísticos online


Português

Houaiss online – acesso restrito. Consulte os serviços da Biblioteca Sede da Embrapa para informações quanto ao acesso.

Michaelis – Moderno Dicionário da Língua Portuguesa. Dicionário que apresenta definições de palavras e informações gratuitas sobre regras gramaticais, nomes coletivos, expressões em latim e em outras línguas. Possui um sistema de busca rápida ou detalhada para consultar os dicionários em vários idiomas.

Dicionário Universal da Língua Portuguesa. Dicionário que, além de definições, gramática e abreviaturas, apresenta opções para consultas em português europeu e português brasileiro, além de um corretor ortográfico para palavras conforme o Acordo Ortográfico de 1990. O sistema de busca restringe a pesquisa que se deseja efetuar a um conjunto mais seleto de verbetes. As pesquisas e as consultas são gratuitas.

Academia Brasileira de Letras (ABL). Site da Academia Brasileira de Letras que oferece, além do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (Volp), o serviço de atendimento "ABL Responde" e o acesso a artigos sobre língua portuguesa e literatura.

Dicionário de Divisão Silábica – Instituto de Linguística Teórica e Computacional (Iltec).


Inglês

Merriam-Webster On-line Dictionary. Dicionário que, além das definições das palavras e do tesauro, indica outras fontes de acesso gratuito, como o Visual Dictionary Online, além de possuir recursos de áudio para pronúncia. Nesse site, o acesso é gratuito.

Merriam-Webster Unabridged Dictionary. Dicionário abrangente que traz a etimologia dos termos, termos eruditos, termos científicos, dicionário inglês-espanhol, separação de sílabas, guia de estilo de escrita em inglês, etc. Consulte os serviços da Biblioteca Sede da Embrapa para obter informações quanto ao acesso para funcionários da Embrapa.

Cambridge Online – Inglês-Português. Dicionário oferecido pela Cambridge University Press.

MacMillan Dictionary. Dicionário que traz os termos em inglês britânico e americano. Disponibiliza, ainda, a pronúncia dos termos e um tesauro que relaciona as palavras buscadas.

Oxford Dictionaries. Dicionário que disponibiliza os termos de inglês britânico e americano, além de um dicionário inglês-espanhol. Há acessos para inglês em correspondência com outras línguas, porém, é necessário pagar pela assinatura.

WordReference. Site que oferece dicionários de sinônimos e dicionários bilíngues em português, inglês, francês, espanhol e italiano.


Espanhol

Real Academia Española. Dicionário organizado pela Real Academia Española e, atualmente, revisto pela Asociación de Academias de Lengua Española. O portal também dá acesso ao Diccionario Panhispánico de Dudas e à Ortografía de la Lengua Española. Traz, ainda, artigos de discussões sobre questões linguísticas.

WordReference. Site que oferece dicionários de sinônimos e dicionários bilíngues em português, inglês, francês, espanhol e italiano.

El Mundo – Diccionarios. Jornal espanhol que disponibiliza dicionários de sinônimos, antônimos, espanhol-inglês, espanhol-francês e um dicionário de medicina.

Dicionário de sinônimos e antônimos em espanhol. Dicionário oferecido pelo jornal “El País” e pela editora Santillana.

Silabeador TIP – Separar sílabas en español.


Francês

Dictionnaire Multifonctions MEDIADICO. Dicionário (disponível no menu ao pé da página) de definições, sinônimos, conjugações  estilo e de acesso a um dicionário francês-inglês. Na mesma página do dicionário, há acesso para esclarecimentos de dúvidas sobre a língua francesa.

Larousse. Dicionário que apresenta os termos em francês com definições, sinônimos, expressões e conjugação de verbos. Disponibiliza, ainda, dicionários francês-inglês, francês-espanhol, francês-italiano, francês-alemão, francês-chinês e francês-árabe, além de sua enciclopédia, página de culinária francesa e culinária internacional.


Alemão

Das Digitale Wörterbuch der deutschen Sprache (DWDS). Dicionário vernáculo que traz integrados um dicionário etimológico, um tesauro e uma janela com a análise do termo. O dicionário DWDS é apresentado pela Berlin-brandenburgischeAkademie der Wissenschaften.

Leo. Dicionário de alemão com equivalentes em português, espanhol, italiano, inglês, francês, chinês, russo e polonês. Serviço online gratuito apresentado pela Fakultät für Informatik da Technischen Universität München

Beolingus. Dicionário que traz uma lista de termos em alemão com equivalentes em português (44 mil), espanhol (120 mil) e inglês (650 mil).


Tesauros em inglês

Free online thesaurus. Tesauro de acesso livre e diretamente associado ao dicionário de inglês Macmillan.

Your Dictionary – thesaurus


Dicionários de especialidades

Termiumplus. Base terminológica e linguística organizada pelo escritório de tradução do governo do Canadá. Os termos são imediatamente apresentados em três línguas – francês, inglês e espanhol. A página pode ser lida em português.

InterActive Terminology for Europe (IATE). Dicionário que é uma base de dados terminológic em várias línguas, disponibilizada pela União Europeia, que congrega todas as bases terminológicas dos serviços de tradução dessa entidade.

EuroTermBank. Base terminológica que está focada na harmonização e na consolidação de trabalho terminológico dos novos estados-membros da União Europeia.

National Agricultural Library (NAL). Tesauro que traz termos técnicos relativos a várias áreas das ciências agrárias, com buscas alfabéticas ou por assunto.

Dictionary of Units of Measurement. Dicionário escrito por Russ Rowlett, diretor do Center for Mathematics and Science Education, da University of North Carolina at Chapel Hill (Estados Unidos). O dicionário traz uma coleção de unidades de medidas )desde as históricas até as modernas), códigos de países de acordo com a International Organization for Standardization (isso) e links relacionados às questões de unidades métricas e conversões de medidas. Seu acesso é livre.


Colaboração: Nilce Teresinha Puga Nass e Dani Leonor Antunes Corrêa.