Infraestrutura

A Embrapa Meio Ambiente está instalada em uma área de 130 hectares, sendo: 45 hectares destinados aos campos experimentais; 23 hectares de reservas florestais, 20 hectares de áreas de preservação permanente, 20 hectares cedidos em comodato, e os 23 hectares restantes, destinados às edificações e outras instalações. 

A área total construída é de 17.790 m2, sendo: 6.824 m2 de laboratórios, 490 m2 de campo experimental II, 11.100 m2 do prédio da administração, prédio com salas para pesquisadores, biblioteca, auditório, estação de tratamento de efluentes, quiosques, almoxarifado, cantina, garagem, oficina, casas de vegetação e telados, depósitos, entre outros.

Laboratórios

Os laboratórios contam com modernos equipamentos e um apropriado sistema de segurança para a manipulação de organismos geneticamente modificados e produtos químicos em geral. Parte dos resíduos químicos gerados é tratada e o restante é armazenado para posterior encaminhamento à incineração ou enviado para um destino adequado, obedecendo às normas ambientais, sem nenhum descarte de materiais poluentes na natureza.

Os laboratórios e suas principais finalidades são:

 

 

Laboratório de Biogeoquímica Ambiental – LBA

O LBA realiza análises químicas e ensaios em diferentes matrizes – entre elas água, solo, gases, vegetais e resíduos orgânicos – especialmente ligadas ao ciclo de nitrogênio e carbono (GEE, nitrato, amônio, carbono total e nitrogênio total), além de cátions e ânions em água. Como principais recursos, possui cromatógrafos gasosos, cromatógrafo iônico, analisador em fluxo, analisador elementar CN e TOC.

 

Laboratório de Ecossistemas Aquáticos – LEA

O LEA tem como missão dar suporte técnico a projetos de pesquisa nas áreas de biomonitoramento de ambientes aquáticos e aquicultura, realizando análises físicas e químicas em água, além de análises bioquímicas, enzimáticas e hematológicas em peixes. Atua na triagem e identificação de macroinvertebrados bentônicos, bioensaios ecotoxicológicos, avaliação de desempenho nutricional em peixes entre outros. Para atendimento dessa missão, o LEA dispõe de equipamentos compatíveis como microscópios e lupas, espectrofotômetro, centrífuga, equipamentos portáteis para análise de água em campo, além de estrutura para experimentos com peixes contendo aquários de vidro com recirculação de água internos ao laboratório e num galpão de apoio.

 

Laboratório de Ecotoxicologia e Biossegurança – LEB

O LEB realiza ensaios ecotoxicológicos com organismos aquáticos e terrestres para avaliar a toxicidade de substâncias químicas, produtos biológicos, nanopartículas e amostras ambientais em organismos não-alvo, visando a análise de risco ambiental de compostos e produtos. Atua também em análises enzimáticas, eficiência de remoção de agentes tóxicos por diversos processos e desenvolvimento de novos métodos de avaliação ecotoxicológica. Como principais recursos instrumentais podemos citar Danio Vision Observation Clamber, espectrofotômetro com leitora de microplacas, espectrofotômetro com UV-Visível, espectrofotômetro de fluorescência com leitora de microplaca e estereomicroscópio com câmera.

 

Laboratório de Entomologia e Fitopatologia – LEF

O LEF atua realizando ensaios, análises e atividades de apoio nas áreas de entomologia e fitopatologia conforme demandas de projetos de P&D. Atua também como apoio aos processos de quarentena do LQCL, com produção e manutenção de mudas, criação de insetos-praga, e técnicas moleculares para identificação de micro-organismos e insetos. Para isso, possui estrutura compatível, com salas climatizadas para criação de insetos, fitotrons, incubadoras, casas de vegetação, autoclaves, câmaras de fluxo laminar, centrífugas, ultrafreezer com backup de CO2 , microscópios e lupas, equipamentos para extração de DNA e PCR, entre outros da rotina básica de laboratórios similares.

 

Laboratório de Fertilidade e Física do Solo – LFS

O LFS realiza ensaios químicos inorgânicos por via úmida em diferentes matrizes, entre elas solo, tecido vegetal, sedimentos e águas, além de ensaios de fertilidade e física do solo (granulometria, umidade, curva de retenção de água, densidade, condutividade hidráulica, estabilidade de agregados). Como principais recursos instrumentais pode-se citar extratores de Richards, forno de digestão por micro-ondas e espectrômetro de emissão por plasma indutivamente acoplado com detecção ótica.

 

Laboratório de Geotecnologia e Métodos Quantitativos – LGT

Desenvolvimento e gestão de  banco de relacionais e geográficos, utilizando ferramentas de Sistemas de Informações Geográficas (SIG), de Geoprocessamento e de Sensoriamento; Desenvolvimento de aplicativos para suporte a gestão e projetos de pesquisa destinados ao uso agrícola e ambiental; apoio a PD&I voltada a avaliação e quantificação de impactos socioambientais e econômicos de sistemas e tecnologias agropecuárias (com métodos como ACV, Ambitec e Excedente econômico); Suporte para a publicação de dados na plataforma Geoinfo e Biblioteca Geoespacial da Embrapa Meio Ambiente; análise espectrorradiométrica de alvos de interesse para a pesquisa agropecuária tropical, incluindo solos, tecidos vegetais e água; serviço de infraestrutura de TI para suporte a dados gerados e analisados no LGT

 

Laboratório de Microbiologia Ambiental Raquel Ghini – LMA

O Laboratório de Microbiologia Ambiental Raquel Ghini tem como missão realizar ensaios e análises com micro-organismos, suas interações ecológicas, seus derivados metabólicos para fins de pesquisa básica e desenvolvimento tecnológico com enfoque no meio ambiente, inclusive pós-colheita, bem como estudos de identificação filogenética de micro-organismos e metagenômica/genômica e metatranscriptômica/transcriptômica. Os ensaios podem ser realizados nos espaços que compõem o laboratório, como Microbiologia Geral (LMA), Laboratório de Extratos Orgânicos e Fermentações (LEO), Laboratório de Genômica (LGEN)  e  Pós colheita (LPC).

 

Laboratório de Resíduos e Contaminantes – LRC

O  Laboratório de resíduos e contaminantes  atua na área de desenvolvimento, implementação e realização de análises de rotina para a quantificação de resíduos de pesticidas,  drogas veterinárias e  contaminantes de interesse ambiental em diferentes matrizes.  Atua também  na separação  e identificação de  compostos em misturas complexas (extratos) por meio de cromatografia flash e espectrometria de massas de alta resolução. Como principais recursos instrumentais, podemos citar cromatógrafos gasosos (detetores por captura de elétrons -GC-µCD , ionização de chama -GC-FID), cromatógrafos líquidos (detetores de arranjo de diodos -DAD, fluorescência -FLD e UV VIS),  e  espectrometria de massas sequencial (UPLC-MS/MS, GC -MS/MS).

 

Campos Experimentais

SCE – Setor de Campos Experimentais

Apoia a experimentação em campo e casas de vegetação, realizando o planejamento, instalação, condução, avaliação, amostragem e processamento de materiais e informações.

Demais Estruturas

Coleção de Microrganismos de Importância Agrícola e Ambiental – CMAA

Preservar e fornecer microrganismos aeróbios, sendo bactérias, actinobactérias, leveduras, fungos e chromistas de origem nacional e internacional, pertencentes a níveis de risco biológico 1 ou 2, utilizando métodos que possibilitem manutenção da pureza e viabilidade. Oferecer serviços a clientes internos e externos.

 

Laboratório de Quarentena “Costa Lima” – LQCL

O Laboratório de Quarentena “Costa Lima” é credenciado pelo Mapa desde 1991 para realizar o processo de quarentena para a introdução de insetos, fungos e bactérias de interesse agrícola para fins de pesquisa científica no Brasil. O Processo de Quarentena consiste em realizar análises e ensaios para verificação da viabilidade, pureza e identidade do material a ser introduzindo. Para isso o LQCL possui uma estrutura de segurança para evitar o contato do material em quarentena com o exterior. Todas as condições de segurança e de procedimentos são estabelecidas per meio de Instruções Normativas do Mapa. Para atendimento à sua missão, o LQCL possui estrutura compatível com trabalhos envolvendo entomologia (salas de criação de insetos, casas de vegetação) e microbiologia (câmara de fluxo, incubadoras, autoclaves), além de um incinerador para descarte seguro dos resíduos gerados.