Flora Apícola

As abelhas coletam basicamente néctar e pólen das flores, para sua alimentação; coletam também resinas das plantas para elaboração da própolis, produto utilizado para proteção da colônia. Por isso, um dos primeiros conselhos às pessoas que querem investir na criação de abelhas, é a observação da flora no local onde serão instalados os apiários ou meliponários.

A quantidade e a qualidade dos recursos florais dependem das espécies vegetais naturais ou cultivadas presentes no local, das condições climáticas e fertilidade do solo. Dessa forma, as características da flora visitada pelas abelhas, conhecida como flora apícola, variam de região para região e naturalmente sofrem mudanças ao longo do ano.

O conhecimento das plantas visitadas pelas abelhas, seus períodos de florescimento e os recursos ofertados são informações importantes para que os criadores entendam o relacionamento entre a flora apícola e suas colônias e possam identificar períodos de abundância e escassez de alimentos.
Além disso, os produtores devem ser estimulados a promover a conservação e o incremento do pasto apícola, fundamental para o sucesso da atividade.

Nesse sentido, a Embrapa tem buscado realizar levantamentos sistemáticos em diferentes biomas onde a Apicultura é praticada, buscando informações sobre as espécies de plantas visitadas pelas abelhas, os recursos por elas ofertados (néctar, pólen, resina) e seus períodos de florescimento, de forma a construir calendários de florescimento para cada região estudada. Essas informações visam orientar os criadores de abelhas sobre locais de instalação de apiários e meliponários e épocas de escassez de alimentos no campo para que possam tomar medidas adequadas para a manutenção de suas colônias.

 

Espécies apícolas - Região Nordeste

Nome científico: Croton sonderianus Muell. Arg.

Família: Euphorbiaceae

Nomes comuns: marmeleiro, marmeleiro escuro,

 

Características: o marmeleiro é uma espécie de porte arbóreo-arbustivo que floresce no início do período chuvoso, no Nordeste. É uma planta de grande importância como fornecedora de néctar para as abelhas, especialmente na caatinga.  O mel proveniente de suas flores tem coloração, sabor e aroma muito apreciados, o que favorece sua comercialização.

 

SalvarSalvarSalvar

Nome científico: Pityrocarpa moniliformis (Benth.) Luckow & R.W.Jobson

Família: Fabaceae

Nomes comuns: angico-de-bezerro, catanduva, rama-de-bezerro, carrasco.

 

Características: o angico-de-bezerro é uma árvore de porte médio, de ocorrência natural no Nordeste, especialmente em regiões de caatinga. Essa espécie floresce geralmente entre os meses de dezembro a abril (estação chuvosa) e é bastante visitada por abelhas para coleta de néctar e pólen. É considerada uma espécie importante da flora apícola do Nordeste por contribuir significativamente para a formação do mel da região.

SalvarSalvarSalvar

Nome científico: Combretum leprosum Mart.

Família: Combretaceae

Nomes comuns: mofumbo, cipoaba, carne-de-vaca.

 

Características: o mofumbo é um arbusto ou árvore de pequeno porte que ocorre nos biomas caatinga, cerrado, mata atlântica e Amazônia. Seu florescimento ocorre no período chuvoso e suas flores amareladas e perfumadas são muito atrativas para as abelhas que as visitam principalmente para coleta de néctar.

SalvarSalvarSalvar

Nome científico: Mimosa caesalpiniifolia Bentham

Família: Fabaceae

Nomes comuns: sabiá, unha-de-gato, angiquinho-sabiá, sansão do campo

 

Características: o sabiá é uma árvore nativa da região Nordeste, de pequeno porte e crescimento rápido. Sua floração ocorre durante a estação chuvosa. É considerada uma excelente planta apícola fornecedora de néctar e pólen, de grande importância para a produção de mel de Apis mellifera e de abelhas nativas como tiúba Melipona fasciculata, a jandaíra Melipona subnitida e a uruçu Melipona scutellaris Latreille.

SalvarSalvarSalvar

Nome científico: Ipomoea bahiensis Willd. ex Roem. Schult.

Família: Convolvulaceae

Nomes comuns: jetirana, campainha, corda-de-viola.

 

Características: é uma espécie rasteira ou trepadeira, que ocorre nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste, comum em áreas de pastagens, campos abertos e cercas, considerada planta invasora em áreas agrícolas. Apresenta flores grandes, de cor lilás, muito visitadas por abelhas Apis mellifera e abelhas solitárias para coleta de néctar e pólen. Machos de abelhas solitárias também a utilizam como abrigo durante a noite. 

SalvarSalvarSalvar

Nome científico: Mesosphaerum suaveolens (L.) Kuntze

Família: Lamiaceae

Nomes comuns: bamburral, mentrusto, cheirosa, erva-canudo, chá-de-frança, betônia.

 

Características: o bamburral é uma planta subarbustiva, anual, aromática, que ocorre do México até sul do Brasil, geralmente em formações campestres. É considerada planta invasora em áreas agrícolas, muito frequente em pastagens. O bamburral é bastante visitado por abelhas Apis mellifera e abelhas nativas sociais e solitárias para coleta de néctar e pólen, sendo considerada uma espécie importante da flora apícola, especialmente na região Nordeste do Brasil.

SalvarSalvarSalvar

Destaques Flora Apícola