Skip to Content

Web Content Display

Web Content Display

Estratégias e direcionamentos de pesquisa

A proposta do “Simpósio sobre Perda de Abelhas no Brasil” nasceu a partir da reverberação das discussões sobre o declínio da população dos agentes polinizadores em diversos fóruns nacionais e internacionais ligados à conservação das abelhas, e seus efeitos sobre questões ambientais e produção de alimentos. Durante três dias o público presente, formado por pesquisadores, docentes, estudantes, técnicos e demais interessados, puderam discutir as principais causas de perdas de enxames de abelhas no território nacional, suas consequências, estratégias e direcionamentos de pesquisa para mitigar as perdas das colônias e os efeitos do declínio de polinizadores.

Web Content Display

Transmitimos ao vivo pela rede mundial de computadores garantindo a todos os interessados o acesso às informações e participação nas discussões por meio de ferramenta de chat. Esses vídeos, ainda disponíveis na internet, já somam mais de 11 mil visualizações! Clique aqui e confira!


Os documentos produto do Simpósio ainda estão em fase de conclusão e validação e, além dos indicativos de ações a serem priorizadas para reduzir a perda de populações de abelhas, trarão também manifestos dos presentes externando suas preocupações, e que serão direcionados a órgãos e instituições com afinidade às temáticas, para ciência e providências.

 

Web Content Display

Só com os registros de 300 ocorrências no Brasil, feitos por meio do aplicativo Bee Alert – Alerta de Abelhas –, de março de 2014 a agosto deste ano, foi estimada a perda de 20 mil colmeias e a morte de mais de 1 bilhão de abelhas. Acredita-se que 90% da perda desses insetos  tenha relação direta com a ação dos pesticidas nas lavouras.
A estatística assustadora foi apresentada pelo professor Lionel Segui Gonçalves, da Universidade de São Paulo ( USP), no segundo dia do Simpósio sobre Perdas de Abelhas no Brasil, realizado em outubro de 2017, em Teresina, o primeiro no País. As perdas das colônias, segundo os registros, foram mais intensas nos meses de janeiro (13,8%), março e junho (11,7%), novembro (10,5%) e agosto (10,1%). O problema atinge todas as espécies. Leia mais.

 

Web Content Display


Salvar

Listador de Video do Youtube

Video

Esta live faz parte da programação do evento Pint of Science no Piauí. Fábia de Mello Pereira, pesquisadora da Embrapa Meio-Norte, em Teresina (PI), apresentará orientações sobre como fazer um hotel de abelhas, uma ...   More...

From: Embrapa     Posted in: 09/09/2020     Views: 1085

Web Content Display

Salvar
Sal
Salvar