•  

    O Paratec consiste em um plano nacional de combate às parasitoses animais, que abrange um conjunto de quatro programas direcionados ao controle de vermes, moscas, carrapatos, sarnas e piolhos. O objetivo é que cada programa Paratec contemple um conjunto de estratégias de manejo por região, com informações detalhadas para ajudar no gerenciamento das principais parasitoses dos animais domésticos. Por isso, o Paratec conta com a participação de pesquisadores e veterinários de todo o Brasil.

    No momento, está disponível o Paratec Vermes, que visa fornecer os conhecimentos e técnicas necessários para gerenciar efetivamente a verminose e a resistência às drogas. As recomendações são destinadas a produtores rurais, veterinários, zootecnistas, técnicos em geral e consultores de venda de produtos veterinários.

Web Content Display Web Content Display

  •  

    Cada região possui características próprias que podem demandar estratégias de manejo específicas. Por isso, o Paratec considera a necessidade de programas regionais, desenvolvidos a partir de resultados de pesquisa locais, cuja experiência demonstre ser relevante e bem sucedida para a maioria das propriedades dessas regiões.

    Cada programa regional deve incluir estratégias de manejo relevantes, com práticas para redução da contaminação nas pastagens, seleção animal para a resistência ou tolerância aos vermes, uso correto dos medicamentos, quando realizar testes de laboratório e como gerenciar a resistência anti-helmíntica.

    Além disso, é possível o desenvolvimento de estratégias personalizadas, sendo necessária, nesse caso, a presença de um consultor técnico para avaliar as condições específicas do rebanho de uma determinada propriedade.

    Acesse os programas disponíveis por bioma até o momento, conheça as recomendações e tenha as informações necessárias para gerenciar o risco de parasitoses de forma efetiva e sustentável.

  • Caatinga

    Para a região da Caatinga, as estratégias são mais eficazes quando usadas em combinação. Este programa é recomendado para rebanhos manejados em pastagem nativa. Para rebanhos manejados em pastagem cultivada nesta região, será necessário utilizar programas a serem adaptados para pastagens cultivadas e áreas de transição.
  • Cerrado

    Na região do Cerrado, o manejo da verminose nos ovinos precisa ser separado por categorias devido às diferenças de suscetibilidade dos animais aos parasitas. Por isso, o programa de controle de verminose para essa região indica o uso de ferramentas em momentos estratégicos e conforme a categoria dos animais.
  • Mata Atlântica

    A região de clima temperado de Mata Atlântica possui dois programas, específicos para dois estados: São Paulo e Paraná. Os programas abrangem diversas estratégias que, quando utilizadas de maneira conjunta, são mais eficazes. 
  • Equipe e parceiros

    Além de contar com uma equipe técnica de especialistas, o Paratec também conta com uma diversidade de parceiros, que contribuem com o desenvolvimento e a recomendação das melhores estratégias de manejo.

    Atualmente, a Embrapa tem desenvolvido ações no âmbito do Paratec por meio do Projeto Supera São Francisco, uma parceria com o Instituto Federal do Sertão Pernambucano e com o Projeto Dom Helder Câmara (PDHC). O PDHC é desenvolvido pela Secretaria de Governança Fundiária, Desenvolvimento Territorial e Socioambiental, do Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura familiar (MDA) e co-financiado pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida).

  • Cursos e eventos

    Caso tenha interesse em cursos e demais eventos sobre o Paratec, entre em contato com a equipe responsável na Embrapa Caprinos e Ovinos pelo e-mail cnpc.sipt@embrapa.br.
  • Mais informações

    Consulte mais informações sobre controle de verminose: acesse notícias, vídeos e publicações sobre o tema.