O programa Paratec Vermes para a região da Caatinga abrange diferentes estratégias que são mais eficazes quando usadas em combinação. Este programa é recomendado para rebanhos manejados em pastagem nativa (Caatinga). Para rebanhos manejados em pastagem cultivada nessa região, será necessário utilizar programas adaptados para pastagens cultivadas e áreas de transição, que serão disponibilizados em breve. 

 

RESUMO DO PROGRAMA

 

1. Redução da contaminação

Ao sair nas fezes dos animais, os ovos dos parasitos se transformam em larvas na pastagem. Estima-se que 90% da população de vermes estejam se desenvolvendo na pastagem na forma de larvas constituindo no maior reservatório para a contaminação dos animais. Logo, medidas que auxiliem na redução da população de larvas no pasto consequentemente, reduzirão o contato e as taxas de infecção dos animais. Animais com menor taxa de infecção precisam de menos tratamentos.

  • Evite a superlotação do pasto (máximo 1 animal/ha).
  • Faça a limpeza regular das instalações, colocando o esterco nas esterqueiras ou compostagem. Veja aqui como fazer a limpeza das instalações.
  • Mantenha os cochos de água e alimentos sempre limpos e colocados fora da baia para evitar contaminação com as fezes dos animais.
  • Forneça água e alimentos de boa qualidade.
  • Reservar um piquete na propriedade com baixa contaminação para categorias mais sensíveis (matrizes gestantes ou em pico de lactação e animais jovens).
  • Você também pode preparar piquetes de baixo risco de vermes colocando bovinos por oito semanas para promover a limpeza do pasto. 
  • Reservar para feno ou silagem o capim oriundo dos piquetes mais contaminados e não depositar o esterco fresco dos animais diretamente nas pastagens (usar esterqueira).  
  • Separe os animais jovens dos adultos, tanto na baia como no piquete; no pasto os animais adultos pastejam antes dos jovens.


2. Manejo da resistência antihelmíntica e uso racional dos medicamentos

Os medicamentos contra a verminose ou vermífugos ainda são muito importantes para o controle, mas devem ser utilizados com cautela para evitar a perda da eficácia precoce – a resistência anti-helmíntica. Sendo assim, o uso racional deve ser feito atendendo alguns critérios. 

  • O primeiro passo é a escolha do medicamento, pois o uso de um vermífugo ineficaz pode agravar o problema da resistência. Para saber como e quando testar a eficácia de uma droga e como realizar a substituição, clique aqui
  • Todos os animais com sinais clínicos de verminose devem ser vermifugados imediatamente. Clique aqui para saber como utilizar os vermífugos corretamente.
  • Animais sem sinais clínicos devem ser avaliados quanto à necessidade de tratamento através de métodos seletivos. O mais indicado para a região do semiárido é o método FAMACHA©.
  • Animais comprados devem ser tratados antes de incorporá-lo ao rebanho.
  • Não vermifugue as fêmeas no terço inicial da prenhez (primeiros 45 dias) para evitar problemas com a cria.
  • Vermifugue as fêmeas 30 dias antes do parto.
  • Vermifugue os animais que vão entrar na estação de monta.
  • Não mudar os animais de pasto imediatamente após a vermifugação.
  • Após a vermifugação deixe os animais presos no chiqueiro ou no aprisco, por pelo menos 12 horas (faça as vermifugações sempre no final da tarde).
  • Animais jovens serão tratados somente após o contato com o pasto, geralmente após a terceira semana de pastejo; a necessidade de tratamento nessa categoria também deve ser avaliada utilizando o método FAMACHA©.
  • Leia a bula do vermífugo e siga as instruções do fabricante quanto ao período de descarte do leite e tempo para o abate.
  • Tente reduzir ao máximo a frequência de vermifugações.
  • Não se recomenda mais vermifugar e trocar de pasto.
  • Não troque o vermífugo, exceto se sua eficácia tenha sido reduzida para menos de 80%. Ao suspeitar de perda da eficácia (ou a cada 2-3 anos), faça o teste de eficácia do vermífugo e realize a troca do vermífugo.

 

3. Selecione animais para a resistência aos vermes

Os animais variam em susceptibilidade aos parasitos podendo ser mais ou menos sensíveis dependendo da sua genética (raças) e idade (imunidade) tornando possível a seleção dos mais resistentes do seu rebanho.

Existem diferentes formas de selecionar os animais mais resistentes, uma delas é utlizar o controle das vermifugações proporcionado pelo método FAMACHA©, que auxilia o descarte orientado dos animais mais sensíveis, permanecendo no rebanho os mais resistentes.

 

4. Alimente os animais para resistência aos vermes 

Animais com suporte nutricional respondem melhor às infecções, enquanto animais subnutridos se tornarão mais susceptíveis a verminose.

Mantenha a alimentação dos animais adequada, fornecendo suplemento proteico e mineral sempre que possível, pois isso ajudará na resposta contra parasitos e no desempenho produtivo do rebanho.

Existem profissionais e instituições que prestam serviço de assessoramento nutricional. Clique aqui para saber mais.

Este programa o ajudará a melhorar a produtividade e o bem estar do seu rebanho através de:

  • menos doença e mortes por vermes
  • menos tratamentos
  • melhor produtividade
  • maior vida útil dos medicamentos

 

Clique aqui para saber mais sobre cursos e eventos do Paratec.

 

Agradecimentos

Autores:
Marcel Teixeira, Luiz da Silva Vieira e Eduardo Luiz de Oliveira (Embrapa Caprinos e Ovinos).

Agradecimentos:
O Paratec agradece a contribuição dos técnicos, assistentes, parasitologistas, veterinários, extensionistas, consultores e organizações que desenvolveram os programas de controle originais de onde o programa Paratec Vermes para o bioma Caatinga foi baseado, em particular, a Embrapa Caprinos e Ovinos.

Publicado em:
Novembro de 2017

Aviso Legal:

Cada “Programa regional Paratec Vermes” foi desenvolvido a partir de pesquisas e experiências locais de sucesso no controle da verminose em propriedades localizadas no semiárido. O Paratec informa que seu programa não é exclusivo no controle da verminose nesta região, e programas mais refinados podem ser elaborados com o auxílio de um profissional treinado que irá utilizar informações e conhecimentos específicos sobre sua propriedade e rebanho.

O acesso e a utilização da página da Internet estão sujeitos às seguintes condições:

O Paratec não assume qualquer responsabilidade pela utilização dos "Programas regionais Paratec Vermes", ou sobre a exatidão ou integridade de qualquer informação relacionada. O Paratec renuncia a toda a responsabilidade (incluindo, sem limitação, responsabilidade e negligência) por todas as despesas, custos, perdas e danos que você possa incorrer como resultado de que as informações sejam imprecisas ou incompletas de qualquer forma por qualquer motivo.

Salvo se explicitamente expresso em contrário, é proibida a reprodução, cópia, utilização, distribuição, comercialização, comunicação pública ou qualquer outra atividade que possa ser efetuada do conteúdo sem a autorização expressa por escrito do responsável da página da Internet.

O responsável pela página da Internet reserva-se o direito de atualizar os conteúdos destas páginas da Internet quando o desejar e também de eliminá-los e de limitar ou impedir o acesso, de forma temporária ou definitiva.

O responsável da página da Internet não está obrigado a controlar as informações e as opiniões que os utilizadores transmitam nem a utilização que estes façam das informações e conteúdos recolhidos na página da Internet.