Grupo de Pesquisa

In situ conservation and management
of genetic resources

Pesquisa

Planejamento

O Planejamento Sistemático da Conservação é a ferramenta de integração das diversas estratégias e ações de conservação e manejo de ecossistemas naturais e antrópicos para auxiliar os diferentes atores, das populações locais aos gestores da conservação, na tomada de decisão em conservação.

O planejamento inclui não só os objetivos da conservação, como a biodiversidade ou recursos biológicos, mas o processo como um todo. No processo de planejamento consideramos os custos e as oportunidades da conservação; a identificação, consulta e sensibilização das partes interessadas; a revisão das políticas públicas, jurídicas, institucionais e sócio-econômicas de oportunidades e restrições para a conservação; a identificação de metas e estratégias para a conservação e a sua implementação; a coleta e avaliação de dados espacialmente explícitos sobre a biodiversidade e os fatores que determinam sua ocorrência e ameaçam sua persistência; a formulação de metas para a biodiversidade e outros recursos naturais responsáveis pela manutenção da biodiversidade; a revisão da eficácia das áreas de conservação já existentes; a identificação e seleção de áreas adicionais de conservação; a identificação de medidas de conservação e manejo a serem adotadas em áreas selecionadas e o monitoramento de áreas para promover a biodiversidade e outros valores naturais associados.

Uso e Manejo

Paisagens sustentáveis integram os sistemas de produção e de conservação. É necessário identificar e monitorar as estratégias de manejo de populações nativas implementadas por agricultores e comunidades tradicionais com o objetivo de estimar os impactos positivos e negativos com relação à sustentabilidade ecológica e social das alternativas de manejo. Essas informações subsidiam o manejo adaptativo da biodiversidade e de paisagens. 

Restauração

A restauração ecológica e a restauração de paisagens buscam devolver a biodiversidade, os serviços ambientais e os fluxos biológicos na paisagem. Considerada em sentido amplo, a restauração ecológica se aplica também à implementação de usos do solo que intensifiquem a as relações ecológicas, reduzindo insumos externos e incorporando a biodiversidade nas áreas de produção. Diante dos incentivos da legislação e das políticas públicas, as pesquisas sobre restauração ecológica estão se desenvolvendo rapidamente. Melhorias na eficiência dos métodos, incorporação de informações sobre a regeneração natural das espécies, sobre os filtros dos ecossistemas e sobre práticas agroecológicas são os motores da pesquisa neste tema. O GP in situ desenvolve e valida métodos de restauração ecológica, monitora programas de restauração de larga escala realizados por empresas e governo, e sistematiza e contribui com práticas de restauração e de integração da agricultura com a biodiversidade, realizadas por agricultores.

Avaliação e Promoção de Formas Locais de Conservação

A promoção das formas de conservação local estão alicerçadas nos saberes tradicionais e na capacidade de inovação das comunidades e dos agricultores, repercurtindo as vozes desses protagonistas da conservação in situ dentro do sistema de pesquisa por nós gerido.

As formas locais de conservação, além de manterem um elevado conjunto de diversidade de espécies e variedades, permitem também a preservação de informações associadas a estes materiais genéticos, tais como cultura das populações, ritos, mitos, artesanatos, construções, preparação de alimentos, entre outros. Promovendo a conservação local, garante-se ainda que as espécies alvo da conservação continuem seu processo evolutivo, adaptando-se tanto às mudanças de pressão de seleção do homem, como a do meio ambiente onde se encontram, num processo dinâmico, o que fortalece a resiliência dos sistemas agrícolas e a segurança alimentar e nutricional das comunidades locais envolvidas com essa conservação.

Reintrodução e Enriquecimento de Recursos Genéticos

A Embrapa mantem um grande acervo de amostras de recursos genéticos, conservados em seus bancos de germoplasma e coleções. Parte deste acervo são amostras coletadas junto a povos e comunidades tradicionais. Nos últimos anos tem crescido a demanda de muitas comunidades em busca de recuperação de materiais por elas perdidos ao longo de sua história, e de novos produtos que ainda não fazem parte de seu portifólio de utilização, quer seja para uso alimentar ou para vestuário, construção, medicinal, entre outros, a fim de enriquecimento de seus recursos disponíveis, incluindo, em alguns casos, para geração de renda. Neste contexto estes estudos visam atender esta demanda dos agricultores, em especial de povos e comunidades tradicionais, com o objetivo de fazer a ligação ou conexão entre as demandas das comunidades e os bancos de germolplasma e coleções mantidas pela Embrapa, a fim de selecionar as demandas; identificar os acessos adequados à demanda das comunidades; e oferecer ou proporcionar condições para que este material seja disponibilizado e incorporado às comunidades, observando as questões culturais e ambientais para minimizar possíveis impactos. 

Objetivos: Apoio a povos e comunidades tradicionais para a reintrodução ou enriquecimento de recursos genéticos mantidos em bancos de germoplasma

Caracterização de Recursos Biológicos

A caracterização tem por objetivo a agregação de valor a Recursos Biológicos conservados in situ por meio da caracterização taxonômica, genética, química, nutricional, econômica e cultural.