Soja orgânica

Cresce a cada dia o consumo de produtos orgânicos na sociedade. Atualmente, são produzidos desde tomates à carne orgânica. A soja é um desses produtos que vem conquistando consumidores europeus e, mais recentemente, brasileiros.
 
Cultivada livre de produtos químicos como herbicidas, fungicidas e inseticidas, a soja orgânica também é um bom investimento para pequenos produtores. Além disso, de modo geral, o custo de produção é menor do que no sistema convencional. Para a agricultura familiar, o cultivo de soja para consumo humano torna-se mais uma alternativa de renda.
 

Acesse aqui a Lei que rege sobre a agricultura orgânica no Brasil

 

Se você está interessado em produzir soja ou qualquer outro produto orgânico procure inicialmente uma instituição de certificação orgânica. Procure conhecer detalhadamente o sistema de produção para iniciar o processo de conversão, que leva em média dois anos.
 
A certificação orgânica é baseada em fatores econômicos, ambientais e sociais, de acordo com parâmetros regionalizados. As empresas certificadoras exigem que os produtores cumpram a legislação trabalhista e ofereçam condições dignas de trabalho. Também são considerados o relacionamento com empregados, a preservação do ambiente e o retorno financeiro na comercialização de produtos.

Cultivares de soja para sistemas de base ecológica
 
Nos sistemas de base ecológica pode ser usada qualquer cultivar de soja, desde que não seja transgênica. Na escolha da cultivar deve-se levar em conta o objetivo da produção e as condições da propriedade para essa produção, observando o ciclo da cultivar, a cor do hilo e a reação a doenças. Cultivares de ciclo precoce são indicadas para facilitar o manejo da ferrugem asiática e dos percevejos. A cor do hilo é importante no caso de produção voltada para alimentação humana, nesse caso deve-se preferir cultivares que possuam hilo claro (amarelo ou marrom-claro). Não se tem notícia de materiais crioulos de soja, mas há cultivares comerciais com resistência a algumas doenças e essas devem ser preferidas. A Embrapa Soja desenvolveu cultivares especiais para alimentação humana. Elas possuem o hilo claro e o sabor suave.
 
Fixação biológica de nitrogênio (FBN) – uso de inoculantes
 
Muitas plantas da família das leguminosas (fruto tipo legume ou vagem) são capazes de se associar a bactérias benéficas ("rizóbios") para receber o nitrogênio que precisam. Essas bactérias podem ser introduzidas no cultivo pelo uso de inoculante na semente, que é o produto que carrega essas bactérias. Essas bactérias formam nódulos nas raízes das plantas, onde captam o nitrogênio do ar e o transformam numa forma assimilável pela planta. A inoculação deve ser feita todo ano tomando alguns cuidados: realizar a inoculação à sombra e protegida do calor excessivo; semear logo após a inoculação; se o inoculante for turfoso umedecer a semente com solução açucarada a 10% para melhorar a aderência (300 mL/50 kg de sementes); aplicar cobalto e molibdênio via foliar. Também há inoculante para milho e trigo, mas nesse caso, a bactéria (Azospirillum) auxilia na promoção do crescimento das plantas por outros mecanismos.
 
Armadilha para captura de percevejos em soja
 
Uma estratégia que pode auxiliar no manejo dos percevejos em soja é o uso de armadilhas com urina bovina.  Essas armadilhas são confeccionadas utilizando garrafas plásticas tipo pet de 2 litros com aberturas no terço mediano da garrafa. Essas aberturas podem ser feitas mais acima para aumentar o intervalo de reabastecimento das armadilhas. É utilizada uma solução de urina bovina + sal de cozinha, nas proporções de 3 L de urina e 500 g de sal, dissolvidos em 7 litros de água. É indicado que as armadilhas sejam vistoriadas periodicamente para a retirada dos insetos já capturados e reposição da solução, que deve estar 2 cm abaixo das aberturas da garrafa,  evitando a fuga de novos percevejos atraídos e capturados.  As armadilhas devem ser colocadas desde o início do cultivo da soja, preferencialmente nas bordaduras, penduradas em estacas ou no chão, de 50 m em 50 m.

Para ser considerado orgânico, o alimento deve conter um selo de garantia emitido por uma empresa certificadora. Esse selo indica que o produto foi cultivado dentro dos mais rigorosos critérios de controle de qualidade. Um produto certificado permite identificar a região onde foi produzido, quais os produtores envolvidos na produção e saber se foram seguidas as diretrizes internacionais de certificação orgânica. Normalmente, o custo da certificação é pago pelo próprio produtor.
 
Ao optar pelo sistema orgânico, o produtor deve procurar orientação junto à assistência técnica especializada ou à própria entidade certificadora. Produto certificado é garantia de qualidade para o consumidor e garantia de remuneração diferenciada para o produtor.
 
Certificadoras
 
Associação de Agricultura Orgânica - Site
Com sede em São Paulo, foi fundada em maio de 1989 por um grupo de engenheiros agrônomos, produtores, jornalistas e pesquisadores que já praticavam a agricultura orgânica. Organiza feira do produtor e está começando a trabalhar com certificação.
 
Instituto Biodinâmico - Site
Principal certificador brasileiro e o único credenciado internacionalmente pela Federação Internacional dos Movimentos de Agricultura Orgânica (Internacional Federation of Organic Agriculture Movements - IFPOAM) e pelo DAP na Alemanha (entidade que credencia as entidades certificadoras que operam com o sistema ISO 65).
 
Instituto de Tecnologia do Paraná (TECPAR) - Site
Rua Prof Algacyr Munhoz Mader, 3775
CEP 81350-010
Curitiba (PR)
(41) 3316 3000
 
 
Assistência técnica e comercialização no Paraná
 
Agrorgânica Ltda - certificado pelo IBD
Rodovia PR 510 - Estrada para Balsa Nova nº 2550 - Jardim Itaqui
Campo Largo (PR)
CEP: 83604-140
(41) 3292 6934
(41) 3399 1146
 
Gebana Brasil
Avenida Rio Grande do Sul, 1520 - CEP: 85760-000
Capanema (PR)
(46) 3552 1614
(46) 8802 7954
 
Naturalle Agromercantil Ltda - Site
Certificada pelo IBD
Praça Mal. Floriano Peixoto, 42 - sala 41 - Ed. Cathedral Center - Centro - Ponta Grossa / Paraná - CEP 84010-680
 
Emater Paraná - Site
Agricultores paranaenses que se interessarem pela agricultura orgânica podem obter algumas informações sobre o sistema de cultivo com seus técnicos.