História da classificação de solos no Brasil

Breve histórico da classificação de solos no Brasil

No Brasil, a classificação de solos teve início no final do século dezenove. A partir do conceito estabelecido por Dokuchaev, foi possível classificar o solo de forma indivualizada. O conhecimento e identificação de horizontes e/ou camadas componentes do solo e o aprimoramento dos critérios diagnósticos empregados na sua identificação são resultado da experiência acumulada ao longo dos anos em vários países.

Já o Sistema Brasileiro de classificação de Solos, teve início no final da década de 70, e com o esforço conjunto de diversas instituições, no final da década de 90 já havia sido publicada a 4ª aproximação, em 1997 e a 1a Edição do sistema (SiBCS), em 1999.

As edições do SiBCS têm como base várias publicações tais como Soil Taxonomy, WRB/FAO, Référentiel pédologique français e Référentiel pédologique, dentre outras.

Atualmente o SiBCS está em sua 3ª edição impressa e em sua 4a Edição em e-book. O desenvolvimento e a validação do SiBCS contam com ações entre universidades e instituições públicas e privadas que vêm trabalhando no tema.