Perguntas e respostas

Água é o elemento natural, desvinculado de qualquer uso. Recurso hídrico, por sua vez, é toda água proveniente da superfície ou subsuperfície da Terra, e que pode ser empregada em um determinado uso ou atividade, podendo também passar a ser um bem econômico. Todo recurso hídrico é água, mas nem toda água é recurso hídrico.

A magnitude das perdas de água por evaporação do solo ou de grandes superfícies de água (rios e reservatórios) e pela transpiração das plantas é maior que a precipitação pluvial, levando à ocorrência de deficit hídrico. A precipitação média anual é de 750 mm, podendo não ultrapassar 400 mm em algumas áreas, enquanto que a evapotranspiração potencial média pode atingir 2500 mm por ano.

É justamente a agricultura. De fato, em todo o mundo, a agricultura responde por 70% da vazão de retirada pelos setores agrícola, industrial e urbano, podendo chegar a 90% em alguns países emergentes, com rápido crescimento da economia. Mas deve-se ressaltar que o uso da água na agricultura pela prática da irrigação pode trazer ao produtor um aumento de produtividade e uma maior chance de obtenção da produção, além dos benefícios econômicos e sociais da atividade agrícola. 

De acordo com o Plano Nacional de Recursos Hídricos, são 4 as que estão presentes nessa área da região Nordeste: Parnaíba (Piauí, Maranhão e Ceará), Atlântico Nordeste Oriental (Piauí, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Alagoas), São Francisco (Pernambuco, Bahia, Alagoas e Sergipe) e Atlântico Leste (Sergipe e Bahia).

Existem vínculos muito fortes e complexos entre oferta de água, geração de energia e produção de alimentos. Com o aumento da demanda por bens e serviços dependentes da utilização dos recursos hídricos, conflitos pelo uso da água devem se tornar cada vez mais frequentes em diferentes regiões do mundo. Desse modo, e considerando que a agricultura apresenta a maior demanda por água em relação aos usos industriais e urbanos, é necessário uma constante discussão sobre a gestão dos recursos hídricos, para se evitar, ou ao menos minimizar, problemas de desabastecimento. Além disso, no caso do Brasil, a agricultura é responsável por cerca de 25 a 30% do Produto Interno Bruto (PIB).  

Apesar de ser o setor que mais consome água, a agricultura irrigada tende a crescer no futuro, levando-se em conta as mudanças climáticas, as possibilidades de secas intensas e cada vez mais extensas, o que implica ter controle sobre variáveis que independem do produtor. O A importância desse setor também pode ser expressa pela aprovação da Política Nacional de Irrigação (Lei 12.787/2013). No contexto mundial, o Brasil é um dos principais atores do chamado Desafio 2050, proposto pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO-ONU), que basicamente traduz-se na necessidade de produzir alimentos para 9 bilhões de pessoas até 2050. A agricultura irrigada terá que dar a sua contribuição. 

O Semiárido possui apresenta características edafo-climáticas e sócio-econômicas que requerem tecnologias específicas de utilização e conservação dos recursos hídricos. Além do quadro de escassez, a utilização incorreta dos recursos hídricos aumenta a fragilidade da região ao processo de desertificação. O impacto de possíveis mudanças climáticas pode ainda interferir negativamente em processos produtivos, na saúde e na qualidade de vida das pessoas dessa a região, pela redução da disponibilidade hídrica.

A demanda da sociedade por informações, tecnologias e ações do setor agropecuário brasileiro em relação aos recursos hídricos aumentou consideravelmente nos últimos anos. São exemplos dessa realidade questões como a real demanda de água do setor agropecuário para o desenvolvimento de suas atividades em diferentes regiões e bacias hidrográficas, a aplicação de tecnologias que aumentem a eficiência do uso da água na produção agropecuária, e que minimizem o risco de contaminação dos recursos hídricos por sedimentos, agroquímicos ou dejetos animais. Essas informações, associadas ao conhecimento acerca da disponibilidade de recursos hídricos nas diferentes bacias hidrográficas do País, são ferramentas fundamentais para a gestão do uso da água em áreas rurais e para o planejamento dos rumos da agricultura brasileira.