Notícias

01/09/22 |

Workshop Embrapa Florestas/Apre trata a diversificação da produção e aumento da rentabilidade em sistemas ILPF

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Foto: Katia Pichelli

Katia Pichelli -

No intuito de incrementar a renda, o produtor rural vai em busca de atividades diferentes daquelas que já pratica. A integração de árvores com cultivos agrícolas e pastagens com gado pode gerar muitos serviços ambientais, produtos e bens de consumo. A Integração Lavoura-Pecuária-Floresta foi um dos assuntos do 3º Painel, “Como produzir florestas para atender ao mercado de toras”, no 9º Workshop Embrapa Florestas/Apre, no dia 04 de agosto, abordado pelo pesquisador da Embrapa Florestas Vanderley Porfírio-da-Silva.

O pesquisador falou sobre a importância de que a expansão florestal esteja alinhada ao perfil da produção regional:  “Por exemplo, se a região é pecuária, o fomento florestal deve levar em conta tal característica e implementar sistemas de produção de madeira que considerem tal aspecto. Então, surge a oportunidade para a ILPF”, disse o pesquisador. Porfírio afirmou ainda que é desejável que este sistema colabore para mais qualificação dos produtos e para a eficiência no uso dos recursos regionais.

De acordo com Porfírio, a busca pela diversificação pode ser considerada uma estratégia para momentos de crise, no entanto, pode vir a se tornar o novo paradigma de produção. “A ILPF é a priorização de boas práticas que já estão disponíveis e podem ganhar escala. Ela traz a perspectiva da diversificação e junto a da rentabilidade, e pode ser entendida como uma inovação porque modifica os atributos da produção agropecuária, com impacto na forma como ela é percebida pela sociedade. Requer mudanças na forma de produzir e introduz um novo paradigma ao modelo de negócio vigente na agropecuária”, afirmou Porfírio.

 

Neutralizando carbono

Entre os benefícios trazidos com o sistema integrado pecuária-lavoura-floresta, Vanderley Porfírio-da-Silva citou a neutralização das emissões de carbono pela pecuária, proporcionada pelo sequestro causado pelas árvores. “Uma área em Figueira, no Paraná, mostrou ter o potencial de ter neutralizado 5 unidades/ animal por hectare/ano, em madeira colhida, em média”. Além disso, Porfírio destacou o valor dos serviços ambientais trazidos com a integração. “É necessário que os produtores, empresas e técnicos busquem maior conhecimento, tecnológico e de mercado, dos produtos e serviços ambientais que esta forma de uso da terra pode proporcionar”, enfatizou o pesquisador.

 

Sobre o Workshop

O 9º Workshop foi uma realização da APRE e da Embrapa Florestas, com patrocínio de Becomex, Lavoro/Florestal, Remsoft e Trimble; e apoio de Abimci, Associação Catarinense de Empresas Florestais (ACR), Associação Gaúcha de Empresas Florestais (Ageflor), Sistema Fiep, Fundação de Pesquisas Florestais do Paraná (Fupef), Indústria Brasileira de Árvores (Ibá), Universidade Federal do Paraná (UFPR), Unicentro Paraná e Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

 

Manuela Bergamim (MTb 1951-ES)
Embrapa Florestas

Contatos para a imprensa

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

ilpfapre-2022workshop-embrapa-apre