A araucária está em extinção?

Entre as espécies florestais nativas brasileira a araucária é, certamente, uma das mais emblemáticas para a população em geral. Na verdade, também é para os pesquisadores, legisladores e profissionais florestais. Em função de seu uso indiscriminado, no passado, desde a segunda metade do século XX, está incluída nas listas de espécies ameaçadas de extinção, que é renovada periodicamente (veja a lista e suas classificações aqui).

É importante que se perceba a diferença entre a araucária nativa, em seu habitat natural (a "Floresta Ombrófila Mista") e os plantios com a espécie, que já foram incentivados no passado e que hoje passam por um olhar renovado no que se refere à produtividade da espécie, tanto para madeira como para alimentação (pinhões).

O raciocínio é simples: a ideia é que produtores rurais e demais interessados sintam-se estimulados a cada vez mais plantar araucária e possam manejá-la, de acordo com critérios técnicos e dentro do permitido pela legislação, que hoje é bastante restritiva.

Alguns trabalhos realizados pela Embrapa com araucária seguem no sentido de estimular novos plantios e a possibilidade de uso e geração de renda com a espécie. A chamada “conservação pelo uso”. Para isso, pesquisa novos conhecimentos para a araucária voltar a participar do cenário econômico, de forma sustentável. A ideia não é incentivar o corte das araucárias existentes. Pelo contrário: precisamos preservar o que existe e incentivar novos plantios com qualidade técnica.

As florestas naturais têm papel importante no equilíbrio da vida terrestre e sua manutenção, no caso das Florestas com Araucárias, é exigência legal.

Assim, a sociedade só se beneficiará com a continuidade e ampliação de florestas nativas e com as florestas plantadas com a espécie, contribuindo para o desenvolvimento sustentável.

 

Pode cortar araucária?
De forma simplificada, por ser uma espécie ameaçada de extinção, as araucárias nativas não podem ser cortadas. Já as araucárias plantadas e que possuem plano de manejo registrado e aprovado junto aos órgãos competentes, seguindo rigorosas recomendações e definições técnicas, podem. Deve-se procurar os órgãos competentes para mais informações.

 

Plantar araucária é uma boa alternativa para o produtor?
Sim, desde que feita de acordo com critérios técnicos e adequando-se à legislação vigente.
O produtor pode se beneficiar de diversas formas: produção de pinhão, produção de madeira, sequestro de carbono (com pagamento por serviços ambientais), paisagismo, entre outros.

 

Posso consumir pinhão sem culpa?
É um alimento cada vez mais demandado, com alto potencial para a saúde. Veja aqui o valor nutricional do pinhão.

No entanto, deve-se consumir pinhão de pinhas maduras, com a formação finalizada. Ou seja, das pinhas que já caíram das árvores e, por isso, já completaram seu ciclo de formação. Pinhões verdes, colhidos prematuramente, além de não fazerem bem à saúde, prejudicam a propagação da araucária.

Outra questão a ser levada em consideração é que as árvores existentes estão ficando velhas e, com isso, produzem cada vez menos pinhão. Já houve, inclusive, interesse para exportação, mas não há produção suficiente para esta demanda. Por isso o plantio de novas araucárias deve ser incentivado.  

 

O que é o pinhão precoce?
É uma tecnologia de enxertia desenvolvida pela Embrapa Florestas em parceira com a Universidade Federal do Paraná (UFPR) em que as árvores começam a produzir pinhão em menos tempo. Normalmente, uma araucária começa a produzir pinhão com 12 a 15 anos de idade. Com esta técnica, começa a produzir com 6 a 8 anos. Saiba mais aqui.

 

O que é o projeto Estradas com Araucárias?
É um projeto coordenado pela Embrapa Florestas, junto com diversos parceiros, que estimula o plantio de araucárias na divisa de propriedades rurais com estradas, seguindo critérios técnicos. Os produtores recebem um valor, anualmente, considerado um “Pagamento por Serviço Ambiental”, de uma empresa patrocinadora, pois as araucárias ajudam a sequestrar carbono e, com isso, a mitigar os efeitos dos gases de efeito estufa. Futuramente, os produtores terão renda com o pinhão.
Veja mais aqui "Parceria preserva araucárias fazendo plantios em estradas" e em "OTD e Embrapa Florestas firmam parceria para o Estradas com Araucárias”.

 

 

Como diferenciar uma araucária macho de uma fêmea?
Muita gente pensa que a diferença está no formato da copa da árvore, mas isso é um mito. A única diferença é que as árvores fêmeas têm pinhas e as macho têm estróbilos. E isso só é possível identificar a partir de 12 a 15 anos da idade.
Já no processo de enxertia, é possível saber o sexo da planta desde a sua concepção.

 

Com quantos anos uma araucária começa a produzir pinhão?
Com 12 a 15 anos.
Já no caso de árvores enxertadas pela técnica de “pinhão precoce”, com 6 a 8 anos.

 

O formato da copa da araucária significa o sexo que ela tem?
Não. Isso é um mito.
O formato da copa tem a ver com a idade da árvore.

 

Plantar araucária é contribuir para a conservação da biodiversidade!

A araucária é o único lar do grimpeiro (Leptasthetura setaria), a ave símbolo de Curitiba.

O pinhão faz parte da alimentação de muitas aves e mamíferos, como a gralha-azul (Cyanocorax caeruleus) - ave símbolo do Paraná -, a  gralha-picaça ou gralha-amarela (Cyanocorax chrysops), os porcos-do-mato (cateto, queixada), o serelepe (Guerlinguetus ingrami), a cutia (Dasyprocta azarae) e o macaco-prego (Sapajus nigritus).

 

Vídeos | ver mais


 

Projetos

A Araucária é uma espécie florestal nativa do Brasil e foi, por muito tempo, importante no desenvolvimento econômico da Região Sul, mas, atualmente, e ...

O projeto tem como objetivo dar continuidade ao programa de melhoramento genético da araucária, espécie florestal nativa, com o desenvolvimento de tec ...

Este projeto tem como objetivo determinar os nichos ecológicos das populações caracterizadas geneticamente de araucária e erva-mate, com base nas cond ...

A Embrapa Florestas possui uma extensa rede de germoplasma de espécies florestais, tanto exóticas quanto nativas. Dentre as exóticas, destacam-se banc ...