A broca-da-erva-mate (besouro corintiano) é uma praga que pode prejudicar bastante o desenvolvimento do erval, e fevereiro é um dos meses importantes para controlar esta praga.

A melhor forma de combater a broca é com o uso do inseticida biológico Bovemax®, fruto de pesquisa científica desenvolvida em parceria entre a Embrapa Florestas e a empresa Novozymes. O Bovemax® é o único produto desenvolvido exclusivamente para erva-mate e com registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento".

Fevereiro e novembro são os meses de aplicação e, por isso, os produtores devem estar atentos.

 

Onde encontrar o Bovemax®?

O produto é fabricado pela Novozymes e distribuído pela Agribrasil (41 - 3082-9002 - Stephanie).

 

1. Se você é produtor rural:

Atualmente, a Agropec Implementos Agrícola de Cruz Machado/PR é uma revenda credenciada com produto disponível recebe encomendas do produto para distribuição (valor do produto + frete). 

Mas atenção: para que o produto chegue a tempo para aplicação ainda em fevereiro, o pedido deve ser feito o quanto antes!

 

Contatos: 

Agropec: (42) 99927-7458 / (42) 3554-2005

 

 

2. Se você é empresa de produtos agropecuários ou associação de produtores e tem interesse em revender o Bovemax®:

É necessário fazer contato com a Agribrasil.

Contato: (41) 3082-9002 / 98825-9658 - Stephanie.

 

Atenção!!!!

Quanto mais empresas credenciadas para venda, mais barato poderá ficar o custo do frete bem como o acesso ao produto.

Converse com seu sindicato, sua associação ou mesmo o órgão de extensão que atende sua região para ajudar a articular novos locais como pontos de venda do Bovemax.

 

 

 

Perguntas e respostas

01. Qual a principal praga da erva-mate?


A broca-da-erva-mate (Hedypathes betulinus) é a principal praga da erva-mate. A erveira é danificada pelas larvas do besouro, que constroem galerias no tronco, impedindo a circulação normal da seiva, prejudicando o desenvolvimento e podendo acarretar a morte das plantas. Sua incidência é registrada em toda a região de ocorrência da erva-mate.

O adulto é um besouro que mede, aproximadamente, 2,5 cm de comprimento, com o corpo de coloração geral preta, recoberto por pelos brancos.
Durante o processo de broqueamento, a larva vai compactando atrás de si a serragem, que lhe serve de proteção, e, quando expelida para fora da planta, denuncia a presença da praga. Os adultos vivem muito tempo e estão presentes, em maior número, entre os meses de outubro e maio.


 

02. Existe alguma forma de controle da broca-da-erva-mate?

Sim!

  • O controle mais eficiente da praga é realizado com o inseticida biológico BoveMax EC®
  • O produto é específico para broca-da-erva-mate e tem como ingrediente ativo esporos do fungo Beauveria bassiana. Este fungo provoca a morte dos insetos, a qual ocorre quando o besouro entra em contato com a superfície da planta onde foi aplicado o produto.
  • A penetração dos esporos do fungo ocorre principalmente nos pontos frágeis do corpo do inseto, causando a sua morte em aproximadamente 20 dias.
  • Após este período, o fungo cobre o corpo do inseto, causando uma aparência esbranquiçada e nesta fase eles passam a transmitir o fungo para insetos sadios, incrementando o controle do inseto.

Pode-se realizar um controle alternativo, mais caro e medianamente eficiente, que consiste na catação manual dos adultos. Esta atividade deve ser realizada no período de maior ocorrência dos adultos no campo, entre os meses de dezembro a abril e, preferencialmente, no período das 10h às 16h.


 

03. Qual é a época ideal para a aplicação do BoveMax EC®?

A aplicação do Bovemax EC® na época correta é fundamental para o sucesso do controle da broca-da-erva-mate. O produto deve ser aplicado duas vezes por ano: uma no mês de fevereiro e outra no mês de novembro.
Recomenda-se aplicar nas horas mais frescas do dia; preferencialmente no final da tarde; não aplicar em dias chuvosos ou com probabilidade de chuva.
Após a aplicação, evitar a prática de limpeza mecânica ou química entre as linhas do erval, deixando uma cobertura verde, para propiciar condições ideais para o desenvolvimento e persistência do fungo.
Quando da realização da poda, manter de 25 a 30% de folhas em cada planta para favorecer a ação do fungo e contribuir para a eficiência do controle.