Arranjo 1 - Monitoramento do desmatamento e da degradação florestal e serviços ecossistêmicos

Dentro deste arranjo, os projetos deverão focar três prioridades:

  • desenvolvimento, aprimoramento e capacitação em metodologias de levantamento e mapeamento do uso e cobertura da terra na Amazônia, por meio do processamento de imagens da superfície terrestre, como subsídio à gestão florestal;
  • desenvolvimento de metodologias de monitoramento da degradação e regeneração florestal, por meio do processamento de imagens da superfície terrestre, como subsídio à gestão florestal; e
  • desenvolvimento e transferência de tecnologias em metodologias para mensuração e monitoramento do estoque e da capacidade de armazenamento de carbono da biomassa da Floresta e outros usos da terra e de mensuração de outros serviços ecossistêmicos.

Arranjo 2 - Restauração, manejo florestal e extrativismo

Dentro deste arranjo, os projetos deverão focar seis prioridades:

  • Desenvolvimento e transferência de tecnologias de manejo florestal, com ênfase no manejo florestal comunitário e na agricultura familiar;
  • Avaliação e monitoramento do manejo de espécies madeireiras nativas da Amazônia;
  • Desenvolvimento e transferência de tecnologias para restauração florestal, incluindo manejo, produção e armazenamento de sementes e mudas e sistemas silviculturais para o bioma Amazônia;
  • Desenvolvimento e transferência de tecnologias de coleta, armazenamento, beneficiamento e agregação de valor de produtos da sociobiodiversidade;
  • Transferência de tecnologias e treinamento em boas práticas para a produção de produtos florestais não-madeireiros; e
  • Regularização ambiental e recuperação de Área de Preservação Permanente e Área de Reserva Legal.
     

Arranjo 3 - Tecnologias sustentáveis para a Amazônia

Dentro deste arranjo, os projetos deverão focar seis prioridades:

  • Fortalecimento da Rede de Transferência de Tecnologias de sistemas produtivos sustentáveis, em especial para os municípios da Operação Arco Verde na Amazônia Legal em apoio ao Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia (PPCDAM), por meio do apoio a Unidades de Referência Tecnológica, Unidades de Aprendizagem e outros espaços de interação, como elemento de suporte e transferência das tecnologias da Embrapa;
  • Desenvolvimento de produtos e agregação de valor a partir da sociobiodiversidade amazônica, inclusive de novas substâncias bioativas - fármacos, fitofármacos, medicamentos, produtos cosméticos, de controle biológico e outros de interesse da agricultura, das indústrias química e de alimentos;
  • Desenvolvimento e transferência de tecnologias relacionadas a sistemas de produção sustentáveis integrados e rotacionados;
  • Gestão de recursos hídricos em sistemas de produção integrados e rotacionados;
  • Desenvolvimento, validação e transferência de tecnologias para incremento de atividades geradoras de renda, com foco em sistemas de produção da agricultura familiar visando reduzir as pressões de desmatamento; e
  • Desenvolvimento de indicadores de sustentabilidade para sistemas produtivos.
     

Arranjo 4 - Aquicultura e pesca

Dentro deste arranjo, os projetos deverão focar quatro prioridades:

  • Desenvolvimento tecnológico voltado para a pesca e aquicultura sustentáveis;
  • Transferência de tecnologia em aquicultura de espécies nativas amazônicas;
  • Análise da viabilidade econômica e socioambiental de espécies nativas da Amazônia; e
  • Desenvolvimento de indicadores de sustentabilidade para sistemas produtivos relacionados à pesca e aquicultura.