História

Em 1975, 2 anos após a criação da Embrapa, uma equipe de profissionais ficou responsável pela implantação do Centro Nacional de Pesquisa de Gado de Corte, na cidade de Campo Grande, na época, município do Estado de Mato Grosso. A escolha da cidade foi defendida por especialistas do ramo por possuir condições favoráveis à produção de bovinos de corte.
 
Em 28 de abril de 1977 foi oficialmente inaugurada a Unidade de Pesquisa, um acontecimento que contou com a presença do então presidente da República, General Ernesto Geisel. No mesmo ano a cidade de Campo Grande tornou-se capital do Estado do Mato Grosso do Sul.
O trabalho de montar o Centro de Pesquisa, o quadro de pessoal e promover o avanço tecnológico da pecuária de corte brasileira foi liderado pelo engenheiro-agrônomo, José Mendes Barcellos.
Sua primeira missão foi adaptar as instalações herdadas do Exército, onde funcionavam a Coudelaria e o Regimento de Cavalaria, para funcionamento da Unidade.
 
Duas bases físicas passaram a pertencer à Embrapa. Uma onde está situada a sede, com 3.081 hectares, a 15 km do centro da cidade e outra base física a 40 km do centro, de 1.612 hectares, conhecida como Fazenda Modelo. Da área total, 37% estão registradas como área de reserva legal.
 
Na época da criação da Unidade, a produtividade da bovinocultura de corte brasileira, além de baixa, não apresentava crescimento e não atendia aos mercados interno e externo. Para mudar o quadro da época foi necessário investir em pesquisa e promover o desenvolvimento da produção nacional. Tecnologias foram lançadas e contribuíram para incrementar o crescimento do rebanho e aumentar a produção de carne por animal e por hectare. A Embrapa, que estuda sistemas de produção, já pesquisou e lançou uma série de variedades de forrageiras, realiza pesquisas nas áreas de sanidade e nutrição do rebanho, melhoramento, reprodução e manejo animal e é responsável pelo crescimento do setor em âmbito nacional.
 
As contribuições da Embrapa Gado de Corte no fortalecimento da pecuária nacional são visíveis. O Brasil é hoje o maior produtor e exportador de carne bovina. Os mais de 200 projetos e subprojetos em andamento visam a aumentar ainda mais a produção, qualidade, rentabilidade e eficiência dos sistemas produtivos da bovinocultura de corte. É premissa da instituição atender à demanda do mercado que exige alimentos seguros e de boa qualidade.
 
Hoje em cada fazenda há um pouco do trabalho da Embrapa Gado de Corte.
 
A unidade mantém cooperação técnica com todo o Sistema Nacional de Pesquisa Agropecuária e com instituições da Europa, América do Norte, Japão, Austrália e, especialmente, com aquelas de países da América do Sul. 
 
Mantém, ainda, integração, na área de ensino, com instituições de formação superior e escolas agrotécnicas, interagindo também com organizações e entidades diretamente ligadas a produtores rurais. 
 
Campos experimentais, laboratórios, casas de vegetação, biblioteca, centro de informática e benfeitorias de apoio constituem um complexo com área total construída de 20.702,79 m2 onde atua uma equipe interdisciplinar de aproximadamente 193 funcionários, dos quais cerca de 44 são pesquisadores com nível de mestrado e doutorado. 
 
A missão da Embrapa Gado de Corte definida em seu IV Plano Diretor é viabilizar soluções tecnológicas sustentáveis para a cadeia produtiva da pecuária de corte em benefício da sociedade brasileira.