Responsabilidade Socioambiental

 

Por ser uma Empresa pública, criada com o propósito de reduzir o custo dos alimentos, fibras e energia para o consumidor brasileiro e, ao mesmo tempo, elevar a renda e o emprego dos produtores rurais e outros agentes vinculados ao setor produtivo do país, respeitando as condições sociais, econômicas e ambientais, a Embrapa, com suas 47 unidades, se enquadra no conceito de Empresa com responsabilidade socioambiental.

E essa responsabilidade ambiental é demonstrada na prática, pois há mais de 40 anos a Empresa apresenta soluções que beneficiam a sociedade, tornando-se parceira e co-responsável pelo desenvolvimento social e preservação ambiental em consonância com seus colaboradores, prestadores de serviço, fornecedores, comunidades e governos.

Sediada em Juiz de Fora (MG), a Embrapa Gado de Leite segue à risca essa linha de ação, mantendo em suas atividades diversas ações de cunho socioambiental. No último Balanço Social, a Embrapa Gado de Leite apresentou um conjunto de ações com desdobramentos social ou ambiental para seu público interno e para as comunidades onde a Unidade está inserida (Juiz de Fora-MG, Coronel Pacheco-MG e Valença-RJ) .

São atividades que promovem elevação de escolaridade para trabalhadores de campo; ampliação do conhecimento com bolsas de estágio para estudantes de graduação e pós graduação; treinamento e capacitação para técnicos, produtores e demais profissionais do setor agropecuário com foco em transferência de tecnologia; campanhas filantrópicas; apoio comunitário com cessão de suas instalações para atividades educacionais e culturais e também disponibilização de seus laboratórios em benefício do setor produtivo

Os projetos de pesquisa em andamento na Embrapa Gado de Leite seguem as normas brasileiras e as diretrizes da Embrapa de controle de risco de elementos contaminantes e preservação ambiental.  A Unidade também conta com uma Comissão Interna de Conservação de Energia (Cice), responsável por estudos que auxiliam a Chefia do centro de pesquisa na tomada de decisões administrativas com vistas ao uso racional de energia elétrica, água e demais recursos naturais. Entre outras atribuições, o trabalho da comissão incide em orientações para a compra de equipamentos mais eficientes sob tal aspecto, monitoramento do consumo de energia e realização de campanhas que buscam comportamento preservacionista de seus trabalhadores.