Pular para o conteúdo

Como plantar alho | voltar ao início


Autores: Francisco Vilela Resende, Lenita Lima Haber e Jadir Borges Pinheiro 

Embalagens e comercialização

Para ser comercializado no atacado para o mercado interno, o alho deve ser acondicionado em caixas de madeira com testeiras oitavadas ou sacos de polipropileno, ambos com capacidade para 10 Kg de bulbos. Os produtores maiores, que trabalham de forma mais profissional e empresarial, já utilizam caixas de papelão pela facilidade de manuseio, armazenamento e transporte (Figura 14).
 
Figura14. Sacos de ráfia, caixas de papelão e réstias para comercialização de alho. Fotos: Francisco Vilela Resende (1); José Luiz Pereira (2,3).
 
No varejo, a comercialização é feita em sacos plásticos ou bandejas de isopor com capacidade para 100, 200, 500 ou 1000 gramas. A comercialização em réstias de 25 ou 50 bulbos ainda é muito comum em algumas regiões do Brasil (Figura 12 C). O Brasil possui duas safras de alho por ano. A maior safra é a das regiões Sudeste, Centro Oeste e Nordeste que inicia nos meses de março/abril com as colheitas começando final de Julho até Outubro. Esta safra é responsável por abastecer o mercado brasileiro no segundo semestre juntamente com os alhos importados da China. A safra da região Sul começa em junho/julho e a colheita ocorre nos meses de Dezembro e Janeiro. O primeiro semestre é considerado um período de entressafra no Brasil e normalmente é abastecido com alhos produzidos na região Sul e importados da Argentina, embora nos últimos anos tenha-se constatado significativa presença de alho importado da China, também no primeiro semestre. Com o uso de anti-brotantes e conservação em câmaras frigoríficas a baixas temperaturas (0 ± 0,5°C), o alho chinês passou a ocupar o mercado brasileiro o ano inteiro.