Projetos

Compostos bioativos e potencialidades do uso de sementes de melancia no tratamento da hipertensão arterial

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

A hipertensão arterial (HA) é considerada uma doença crônica não transmissível (DCNT) em prevalência crescente, podendo ser considerada um dos grandes problemas de saúde pública no Brasil. Essa doença corresponde a uma pressão arterial sistólica (PAS) maior ou igual a 140 mmHg e uma pressão arterial diastólica (PAD) maior ou igual a 90 mmHg, em indivíduos que não estão fazendo uso de medicação anti-hipertensiva. O tratamento do paciente hipertenso pode ser não-farmacológico associado ao tratamento farmacológico, dependendo da eficácia do primeiro. O tratamento por meio de fármacos é difundido há muito tempo. Entretanto, hoje existem alternativas de tratamento da hipertensão arterial a partir da administração de produtos naturais, por meio da fitoterapia. A melancia é pertencente à família Curcubitaceae e é fonte de compostos bioativos como ácidos graxos e L-citrulina, que podem ser associados à redução da hipertensão arterial. Assim, o projeto tem como objetivo principal quantificar os compostos bioativos e avaliar a potencialidade do uso de sementes de duas espécies de melancia no tratamento da hipertensão arterial. Espera-se como principal resultado o desenvolvimento de um produto aceito sensorialmente, com um teor de compostos antinutricionais reduzido ou nulo e com efeito hipotensor paras indivíduos com pré-hipertensão, ou hipertensão no estágio inicial, auxiliando assim no tratamento dessa DCNT.

Ecossistema: Região dos Cerrados

Situação: concluído Data de Início: 02/2013 Data de Finalização: 07/2016

Unidade Lider: Embrapa Hortaliças

Líder de projeto: Lucimeire Pilon

Contato: lucimeire.pilon@embrapa.br