Projetos

Caracterização da população de Septoria lycopersici em tomate no Distrito Federal

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

imagem

Foto: LANZETTA, Paulo

Apesar da alta produtividade da cultura do tomate em diversas regiões produtoras no Brasil e, principalmente, no Distrito Federal e seu entorno, a mancha-de-septória ou septoriose, causada por Septoria lycopersici, é uma das doenças mais importantes que causa perdas severas de produção. No entanto, não há estudos se os surtos epidêmicos dessa doença estão associados com mais de uma espécie de fungo. Além disso, não há informação da estrutura genética da população do fungo associada com o tomateiro. O conhecimento da quantidade e a distribuição da variabilidade genética dentro e entre subpopulações, como consequência das interações dos processos evolutivos, são importantes para definir e otimizar métodos de controle de doenças de plantas. Atualmente, o principal método de controle da mancha-de-septória é a aplicação preventiva de fungicidas protetores, sistêmicos e mesostêmicos na parte aérea da planta. Como o controle químico intensivo pode favorecer a seleção de isolados resistentes, é necessário avaliar a sensibilidade do fungo a fungicidas. Dessa forma, os objetivos nesse projeto são: (i) conduzir estudos de caracterização da população de S. lycopersici e identificar possíveis espécies associadas à mancha-de-septória em tomateiro; (ii) avaliar a agressividade de isolados de septória em tomateiro e outras espécies de solanáceas; (iii) analisar a diversidade molecular e os efeitos dos processos evolutivos na população de S. lycopersici; e (iv) analisar a sensibilidade de isolados de septória a fungicidas. O estudo de caracterização de isolados de septória será fundamental para verificar se há mais de uma espécie associada com mancha-de-septória no Brasil. Além disso, será possível inferir se há alta variabilidade de S. lycopersici associada com os surtos epidêmicos da doença no tomateiro e verificar outras plantas hospedeiras do fungo. Resultados das análises da variabilidade molecular da população serão utilizadas para otimizar os métodos de controle dessa doença. Uma das principais contribuições será o uso das informações obtidas no programa de melhoramento da Embrapa Hortaliças para identificar fontes de resistência a S. lycopersici e incorporá-los em cultivares ou híbridos elite. Nesse contexto, o emprego de variedades resistentes e/ou tolerantes pode funcionar como uma poderosa ferramenta dentro de uma estratégia global de manejo integrado que inclui aplicação de fungicidas, controle biológico, rotação e sucessão de culturas não hospedeiras do patógeno, bem como outras práticas culturais para reduzir os danos causados pela mancha-de-septória no Distrito Federal e em outras regiões brasileiras.

Ecossistema: Região dos Cerrados

Situação: concluído Data de Início: 01/2016 Data de Finalização: 12/2018

Unidade Lider: Embrapa Hortaliças

Líder de projeto: Valdir Lourenço Junior

Contato: valdir.lourenco@embrapa.br

Galeria de imagens