Estudos Logísticos

A Embrapa Territorial utiliza sistemas de inteligência territorial estratégica (SITE) para desenvolver estudos para o setor privado e órgãos do governo, a exemplo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ministério do Desenvolvimento Social e Secretaria-Geral da Presidência da República. Aqui estão disponíveis os primeiros resultados de trabalhos feitos a partir do SITE da Macrologística Agropecuária Brasileira.

Problema: aproximadamente 70% dos fertilizantes utilizados em território nacional são importados.Essa dependência de nutrientes estrangeiros influencia diretamente no custo da produção, condicionando as safras agrícolas as variações das taxas cambiais e gerando, portanto, incertezas no planjemanento financeiro das propriedades rurais. A movimentação desses insumos, por outro lado, deve ser diretamente relacionada ao próprio escoamento da produção, visando otimizar rotas e tipos de transportes, reduzindo custos de circulação e potencializando a competitividade dos produtos agrícolas nacionais.

Objetivo: Avaliar os títulos minerários de uso agrícola no território nacional, os principais portos de importação de fertilizantes e o fluxo interno de importação e exportação entre os estados no contexto das bacias logisticas de exportação de grãos, visando, sobretuto, subsidiar a elaboração de estudos futuros de retrologísticos no Brasil.

Acesse

Problema: a dinâmica territorial dos produtos da agropecuária brasileira são um constante desafio para a adequação dos modais de escoamento destas produções.

Objetivo: quantificar, qualificar e cartografar os centros de gravidade das principais produções agropecuárias nacionais de forma a antever ações para aumento da competitividade do escoamento de nossos produtos para os mercados externo e interno.

Acesse

Problema: desconhecimento generalizado e ausência de padronização das bases de dados referentes à produção e exportação agropecuária

Objetivo: fundamentar a elaboração de estudos de monitoramento, gestão e inteligência territorial da macrologística agropecuária brasileira em diferentes recortes e granularidades espaciais.

Acesse

Problema: conceitos de corredores ou rotas logísticas são pouco aplicáveis às análises territoriais.

Objetivo: delimitar as bacias logísticas da agropecuária brasileira, em um sistema de informações geográficas (SIG), a partir da integração de informações dispersas em diversos bancos de dados não padronizados e não sistematizados disponibilizados pelos órgãos oficiais do Brasil.

Acesse

Problema: falta conhecimento e detalhamento territorial sobre o novo recorte de bacias logísticas.

Objetivo: quantificar e qualificar os municípios e suas respectivas produções agropecuárias e classificar as bacias logísticas quanto à capacidade de exportação.

Acesse

Problema: os cenários da movimentação de cargas nacionais não levam em conta as particularidades das projeções do agronegócio, tornando as estimativas de demandas de transporte pouco assertivas.

Objetivo: realizar os cruzamentos das projeções de grãos com as estimativas de aumento da capacidade dos portos, combinando as possíveis intervenções rodoviárias, ferroviárias e hidroviárias propostas para os próximos 10 anos.

Acesse

Problema: necessidade de correlacionar os cenários de movimentação de cargas nacionais com as perspectivas de evolução da capacidade dos portos, com foco no aumento da participação do chamado Arco Norte.

Objetivo: realizar cruzamentos das projeções de grãos com as estimativas de aumento da capacidade dos portos, com enfoque detalhado no Arco Norte.

Acesse

Problema: necessidade de conhecer a capacidade estática de armazenagem no território nacional e correlacionar com a distribuição da produção agrícola no País, a fim de identificar possíveis carências e oportunidades para realização de investimentos.

Objetivo: confrontar a distribuição da produção de milho e soja no Brasil com a análise da distribuição espacial dos armazéns nacionais e suas respectivas capacidades estáticas, considerando as diferenças de padronização existentes entre IBGE e Conab.

Acesse

Problema: necessidade de definir e caracterizar a movimentação anual total de cargas agropecuárias no Brasil, considerando origem e destino das cargas e de seus coprodutos.

Objetivo: identificar e mensurar a movimentação total de cargas agropecuárias no Brasil, discriminadas em fluxos internos e externos, e segmentadas por produtos, produtos processados e cadeias exportadoras.

Acesse

Problema: indefinição da demanda de fretes para movimentar as cargas agropecuárias no Brasil.

Objetivo: mensurar a exigência de fretes para movimentar o total de cargas agropecuárias no País bem como determinar o número de fretes necessários para atender a atual exportação de grãos.

Acesse

Problema: há carência de dados padronizados que correlacionem a produção e a logística das principais cadeias da agropecuária nacional.

Objetivo: quantificar, qualificar e cartografar as principais cadeias produtivas da agropecuária nacional, destacando os municípios e suas respectivas produções, em especial as cadeias da cana-de-açúcar, laranja, café, papel e celulose, algodão e carnes.

Acesse

Problema: falta conhecimento territorial da macrologística da exportação brasileira de grãos.

Objetivo: qualificar, quantificar e cartografar os caminhos atuais da safra de grãos (soja, milho, farelo, óleo, algodão) e sua proporcionalidade no contexto dos modais (ferroviário, hidroviário, rodoviário) utilizados  nos dez principais portos exportadores do País.

Acesse

Problema: cenários da expansão da safra de grãos, por vezes, não consideram as particularidades territoriais.

Objetivo: realizar aferições sobre a produção atual da safra de grãos e projetar o cenário futuro para dez anos, de forma a ampliar a exportação pelos portos do Arco Norte.

Acesse

Problema: priorização de obras para o setor agropecuário não consideram mudanças na infraestrutura atual e alteração dos vários modais para o crescimento e ampliação do escoamento de grãos para o Arco Norte do Brasil.

Objetivo: selecionar obras prioritárias que propiciem ganhos de competitividade para a logística da agropecuária nacional, classificando-as por modal e por prazo de execução, com ampliação do escoamento para o Arco Norte.

Acesse

Problema: concentração da exportação de milho e soja nos portos do Sul e Sudeste, que estão distantes dos grandes centros de produção, diminuindo a competitividade dos produtos brasileiros.

Objetivo: identificar obras necessárias para elevar a 40% a participação dos portos do Arco Norte na exportação de grãos até 2025.

Acesse

Problema: os produtos brasileiros são onerados anualmente em US$ 36 bilhões, gerando prejuízos e colocando o País em 55º lugar no ranking Logistics Index Performance. As perspectivas não são de melhora, uma vez que o investimento público federal em infraestrutura de transporte passou de 1,84% para 0,29% do PIB (de 1975 a 2012).

Objetivo: considerando os baixos investimentos em infraestrutura logística, indicar intervenções prioritárias na macrologística para aumentar a compettitividade da agropecuária.

Acesse

Problema: ausência de um sistema de inteligência territorial para análise da macrologística do Matopiba com capacidade para responder as atuais demandas da região e antecipar-se aos desafios da expansão agrícola.

Objetivo: identificar, mapear e caracterizar a atual logística rodo-ferroviária e portuária do Matopiba e desenvolver projeções futuras com base em obras previstas e perspectivas da produção agropecuária regional.

Acesse