Histórico

O acervo é especializado em assuntos relativos aos principais vegetais pesquisados pela Unidade que são mandioca e frutas tropicais, mais precisamente citros, acerola, mamão, abacaxi, maracujá, banana e manga, abrangendo também assuntos relacionados às pesquisas como botânica, genética, bioquímica, estatística, etc. Por estas características constitui-se numa referência internacional dentro da sua área temática.

Além de obras especializadas nacionais e estrangeiras o acervo conta com uma coleção completa da Flora Brasiliensis, de Karl Friedrich Philipp von Martius, com 20.773 páginas, 6.246 desenhos de plantas e descrição de 22.767 espécies brasileiras, iniciada em 1840 com a publicação do seu primeiro exemplar e concluída em 1906 após sua morte, além de outras obras datadas da segunda metade do século XIX. Contem aproximadamente 90.000 itens entre folhetos, separatas, teses, livros, coleções de periódicos nacionais e estrangeiros, CDs-ROM e outros.
Oferece serviços de empréstimo domiciliar, aos usuários cadastrados na Biblioteca, salvo para as Coleções de Memória Técnica da Unidade e a Coleção de Obras Raras que, dado ao caráter especial, possuem acesso restrito.

Archimar Bittencourt Baleeiro: o homenageado

Nascido em 22.03.1924, em Salvador, Bahia, o Dr. Archimar Bittencourt Baleeiro concluiu, em 1948, o curso de Engenharia Agronômica na Escola Agronômica da Bahia. Contratado pelo Governo da Bahia para a Secretaria de Agricultura, Indústria e Comércio em 1949, passou para o Instituto Agronômico do Leste, IAL, em 1950 e, em 1952, assumiu a chefia da Estação Experimental de São Gonçalo dos Campos, BA. Em 1960 foi nomeado para o cargo de professor catedrático da Escola Agronômica da Bahia e, em 1961, para o cargo de diretor do IAL. Passou, em 1968 a responder pela Diretoria Estadual do Ministério da Agricultura na Bahia (DEMA-Ba) cumulativamente com  o cargo de diretor do Instituto de  Pesquisas Agropecuárias do Leste (Ipeal) com sede em Cruz das Almas, BA. De 1975 a 1977 foi chefe da representação da Embrapa no Estado da Bahia, de agosto de 1977 a julho de 1985 exerceu a Chefia do Instituto Brasileiro do Café, retornando a Embrapa Mandioca e Fruticultura. Aposentou-se em 1987 e faleceu em 29.02.2004.