Normas Ortográficas

Normas Ortográficas

Acentuação gráfica e trema

Acentuação gráfica

Seguem as modificações introduzidas pelo novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa em relação à acentuação gráfica.

Observe que, embora algumas palavras tenham perdido o sinal gráfico (acento agudo, acento circunflexo ou trema), sua pronúncia permanece como antes.

Para as regras detalhadas de acentuação gráfica, recomenda-se consultar gramáticas e o texto completo do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

1) Não se acentuam graficamente os ditongos abertos representados por ei e oi da sílaba tônica das palavras paroxítonas.

Exemplos:

Antes      Depois
apóio apoio
aracnóide aracnoide
assembléia assembleia
asteróide asteroide
Coréia Coreia
estréia estreia
européia europeia
fitonematóide fitonematoide
heróico heroico
idéia ideia
jibóia jiboia
jóia joia
nematóide nematoide
odisséia odisseia
paleozóico paleozoico
paranóia paranoia
parasitóide parasitoide
platéia plateia
uréia ureia

 

Observações:
O acento agudo permanece, no entanto:

a) Nas paroxítonas terminadas em ditongo ou em -r.

Exemplos:

aracnóideo

esferóideo

tireóideo

xifóideo

destróier

Méier

b) Em vocábulos oxítonos ou monossílabos tônicos.              

Exemplos:

dói (verbo)

herói

papéis

réis

rói (verbo)

2) Não serão acentuadas as vogais tônicas i e u das palavras paroxítonas, quando essas vogais estiverem precedidas de ditongo decrescente.

Exemplos:

Antes      Depois
baiúca baiuca
bocaiúva bocaiuva
boiúno boiuno
cauíla cauila
feiúra feiura
maoísta maoista
taoísmo taoismo

 

Observações:
a) A palavra paroxítona guaíba não perde o acento agudo porque a vogal tônica i está precedida de ditongo crescente.

b) São acentuadas as palavras oxítonas em que as vogais tônicas i e u, sozinhas na sílaba ou seguidas de s, são precedidas de ditongo.

Exemplos:

Piauí
teiú
teiús
tuiuiú
tuiuiús

Mas, se a consoante final for diferente de s, tais vogais não serão acentuadas.

Exemplo:

cauim
cauins

c) A acentuação mantém-se, obrigatoriamente, nas palavras proparoxítonas.

Exemplo:

maiúsculo

d) Mantém-se o acento agudo no i e u tônicos de um hiato, desde que não formem sílaba com r, l, m, n, z ou não estejam seguidos de nh. Observe-se que, se a vogal estiver acompanhada de s na mesma sílaba, o acento se mantém.  

Exemplos:

atribuíram
baú
baús
construímos
contraí-la
distribuí-lo
egoísta
faísca
Itacaraí
juízes
Maísa
raízes
traí
traíste
uísque

MAS

amendoim
demiurgo
juiz
moinho
paul
rainha
raiz
ruim
ruins
tainha
ventoinha

e) Não levam acento o i ou u tônicos de um hiato se o hiato for constituído das vogais ii ou uu.

Exemplos:

macuuba
mandriice
ucuuba
vadiice
xiita

Observe-se, porém, que, nas palavras proparoxítonas, o acento se mantém.

Exemplos:

friíssimo
necessariíssimo
precariíssimo
seriíssimo

f) Não leva acento a vogal tônica dos ditongos iu e ui.

Exemplos:

caiu
pauis
retribuiu
tafuis


3) Deixa de ser usado o acento circunflexo na conjugação da 3ª pessoa do plural do presente do indicativo ou do subjuntivo dos verbos crer, dar, ler, ver e seus derivados.

Exemplos:

Antes      Depois
crêem creem
dêem deem
descrêem descreem
lêem leem
prevêem preveem
vêem      veem

 

4) Não se acentua graficamente a vogal tônica fechada do hiato oo em palavras paroxítonas, seguidas ou não de -s.

Exemplos:

Antes    Depois
enjôos enjoos
magôo magoo
perdôo perdoo
vôo voo
zôo      zoo

5) Deixam de ser acentuadas as seguintes palavras homógrafas:

Exemplos:

Antes Depois
pára (verbo)
para (preposição)
para (verboInclui-se nesta regra a forma para- (do verbo parar) quando entra num composto separado por hífen: para-brisa(s), para-choque(s), para-lama(s). e preposição)
péla (substantivo e verbo)
pela (preposição)
pera (substantivo e preposição)
pélo (verbo)
pêlo (substantivo)
pelo (preposição)
pela (substantivo, verbo e preposição)
pêra (substantivo)
péra (substantivo)
pera (preposição)
pelo (verbo, substantivo e preposição)
pólo (substantivo)
pôlo (substantivo)
polo (preposição)
polo (substantivo e preposição)


Observações:


a) Exceção 1: Acentua-se a forma verbal pôde (passado) para diferenciá-la da forma pode (presente).

b) Exceção 2: Permanece o acento diferencial em pôr (verbo) para diferenciar de por (preposição).

c) Nada muda na acentuação dos verbos ter e vir. Eles continuam com o acento circunflexo no plural (eles têm, eles vêm).

d) Também nada muda no caso dos verbos derivados de ter e vir, que conservam o acento agudo na 3ª pessoa do singular (ele detém, ele intervém) e o acento circunflexo na 3ª pessoa do plural (eles detêm, eles intervêm).                  

e) É facultativa a acentuação de fôrma (substantivo) para distinguir de forma (substantivo ou verbo no presente ou imperativo).

f) Permanecem sem acento gráfico distintivo palavras homógrafas mas heterofônicas:                               

Exemplos:
acerto (ê) e acerto (é)
cerca (ê) e cerca (é)
colher (ê) e colher (é)
cor (ô) e cor (ó)
piloto (ô) e piloto (ó)

6) Deixam de ser acentuadas as formas verbais que têm acento tônico na raiz, com o u tônico precedido das letras g e q e seguido de e ou i.

Exemplos:

Antes      Depois
apazigúe apazigue
argúem arguem
averigúe averigue
obliqúe oblique
redargúi redargui

   

7) Alguns verbos terminados em -guar, -quar e -quir, como aguar (e derivados), apaziguar, averiguar, enxaguar, obliquar e delinquir, passam a aceitar dupla grafia:

a) Se forem pronunciados com a ou i tônicos, essas formas devem ser acentuadas graficamente.

Exemplos:

Presente do Indicativo Presente do Subjuntivo
Eu enxáguo Eu enxágue
Tu enxáguas Tu enxágues
Ele enxágua Ele enxágue
Eles enxáguam      Eles enxáguem
   
Eu delínquo Eu delínqua
Tu delínques Tu delínquas
Ele delínque Ele delínqua
Eles delínquem    Eles delínquam

 

b) Se forem pronunciados com u tônico, elas não são acentuadas.

Exemplos:

Presente do Indicativo Presente do Subjuntivo
Eu enxaguo Eu enxague
Tu enxaguas Tu enxagues
Ele enxagua Ele enxague
Eles enxaguam Eles enxaguem
   
Eu delinquo Eu delinqua
Tu delinques Tu delinquas
Ele delinque Ele delinqua
Eles delinquem   Eles delinquam

    
Observação: No Brasil, a primeira pronúncia (com a e i nas sílabas tônicas) é a mais comum.

Uso do trema

Não se usa mais o trema, sinal colocado sobre a letra u para indicar que ela deve ser pronunciada nos grupos gue, gui, que e qui.

 

Exemplos:

Antes      Depois
aqüífero aquífero
eqüino equino
freqüência frequência
lingüeta lingueta
lingüística linguística
pingüim pinguim
seqüestro      sequestro

 

O trema permanece apenas nos vocábulos estrangeiros (geralmente nomes próprios) que tenham o sinal na escrita de origem, bem como em seus derivados aportuguesados.

Exemplos:

A palavra über, de origem alemã, indica excesso ou superioridade.     

O naturalista Fritz Müller descobriu outra forma de mimetismo de borboletas, denominada mimetismo mülleriano.

O conteúdo desta página foi atualizado em 21/08/2018.