Nomenclatura científica

Nomes científicos e comuns

Nomes comuns de pragas e doenças

Pragas

Praga é qualquer espécie, raça ou biótipo de vegetais, animais ou agentes patogênicos, nocivos aos vegetais ou aos produtos vegetais (International..., 2005). No entanto, é preciso esclarecer que nenhum ser é, em si, uma praga; ele se torna uma praga em determinada circunstância para uma determinada cultura.

  • O nome comum de pragas deve ser grafado com inicial minúscula, sem itálico e sempre com hífen (tendo ou não elemento de ligação) e deve sempre estar acompanhado do respectivo nome científico em sua primeira menção no texto.

Exemplos:
Como principal praga que causa danos à cultura do gergelim, a lagarta-enroladeira (Antigastra catalaunalis Duponchel, 1833) exige controle sistemático em grandes lavouras ou em áreas tradicionais de cultivo.

 

A mosca-das-frutas (Anastrepha fraterculus Wiedemann, 1830) é de cor amarelada, corpo amarelo mais escuro e asas transparentes, com manchas escuras de desenho característico.    

 

Doenças

  • O nome comum de doenças deve ser grafado com inicial minúscula e sem itálico. Quando não há elemento de ligação, o nome deve ser grafado com hífen.

Exemplos:
A mancha-angular do feijoeiro-comum é uma das principais doenças fúngicas desta leguminosa e encontra-se presente em todas as regiões produtoras.

 

Em lavouras atacadas por podridão-branca, inicialmente se observa o amarelecimento, seguido da morte de plantas.

O nome de algumas doenças não leva hífen, como:

Exceções:
Leucose linfoide
Leucose enzoótica bovina
Febre tifoide
Febre amarela
Gripe suína
Gripe aviária
Encefalite japonesa

  • Quando elemento de ligação (preposição, conjunção, etc.), o nome deve ser grafado sem hífen.

Exemplos:
A virose mosaico do tomateiro infecta diversas plantas.

 

Entre as doenças consideradas mais importantes, pode-se citar a mela das sementes da braquiária, causada pelo fungo Claviceps sulcata.

Naquela época, a morte em reboleira era considerada a principal doença da soja.

Observação 1: Os nomes comuns de algumas doenças podem incluir a referência ao gênero do seu causador. Nesses casos, deve-se usar a forma latina (com inicial maiúscula e em itálico).

Exemplos:
mancha de Ramularia
gomose de Phytophthora
murcha de Fusarium

  • Por vezes, nomes de sintomas e de doenças são iguais (um dá origem ao outro). No texto, é preciso atenção para não confundi-los.

Exemplo:
[mancha-foliar: nome de doença]
A helmintosporiose, também conhecida como mancha-foliar, ocorre principalmente em viveiros, sob condições de alta umidade e pouco arejamento.

 

[mancha foliar: sintoma]
O fungo causador da cercosporiose provoca mancha foliar de aspecto aveludado, além de lesão em pecíolos e hastes.

  • Nomes de doenças com o termo mal geralmente têm hífen, exceto quando há um elemento de ligação.

Exemplos:

mal-caduco (= epilepsia)

mal-francês (=sífilis)

mal de Alzheimer

Para nomes de doenças com mal, convém relembrar o que consta na aba Hífen deste Manual.
  • Às vezes, a doença e a praga têm o mesmo nome; é preciso atentar para não confundi-las.

Exemplos:
vassoura-de-bruxa (praga: fungo causador da doença)
vassoura de bruxa (nome da doença)

O conteúdo desta página foi atualizado em 21/08/2018.

Página anterior