Orientação para captura, Estocagem e Transporte de caranguejo-Uçá

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Legat e Puchnick-Legat (2009) determinaram que o método tradicional de transporte na forma de “cordas” e “amarrados” provoca um alto nível de estresse aos caranguejos, refletido na perda de apêndices e na sobrevivência de apenas 50,2 ± 3,9 % dos animais capturados. A partir da metodologia desenvolvida pela Embrapa, as taxas de sobrevivência no transporte aumentaram para 97,3 ± 2,0 %. De acordo com esta metodologia, os caranguejos devem ser acondicionados soltos e transportados dentro de caixas plásticas, com espuma ou outro material embebido em água no fundo da caixa, entre e sobre os animais. Após o descarregamento, as caixas e o material devem ser lavados com jato de água de alta pressão para evitar a proliferação de microrganismos.

Prática agropecuária: Prática agropecuária Ano de Lançamento: 2007

Bioma: Mata Atlântica

Onde Encontrar:
http://www.embrapa.br
sac@embrapa.br