Publicações

Avaliação da qualidade de biopesticidas à base de Bacillus thuringiensis produzidos em sistema "on farm".

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

imagem

Autoria: LANA, U. G. de P.; TAVARES, A. N. G.; AGUIAR, F. M.; GOMES, E. A.; VALICENTE, F. H.

Resumo: Entre os produtos biológicos registrados para o controle de insetos no Brasil, destacam-se formulações contendo a bactéria Bacillus thuringiensis, caracterizada por produzir cristais proteicos com capacidade inseticida específica. Esta bactéria pode ser cultivada em meio sólido, líquido e semissólido, sendo possível sua produção em meios de cultura alternativos, utilizando resíduos da indústria e materiais de baixo custo. Para isso, o laboratório e o sistema de fermentação devem ser esterilizados, e o processo deve ser realizado sob condições controladas, permitindo a produção de bioinseticidas de qualidade que podem ser utilizados por diferentes extratos de produtores rurais. Nos últimos anos, diversos produtores rurais têm fabricado em suas fazendas biopesticidas à base de B. thuringiensis para aplicação direta nas lavouras, prática conhecida como produção ?on farm? ou ?Bt caseiro?. O objetivo deste trabalho foi avaliar as características e o nível de contaminação de biopesticidas à base de B. thuringiensis produzidos em sistema ?on farm? no Estado de Goiás. Amostras de biopesticidas foram avaliadas quanto às características visuais e plaqueadas em meio de cultura sólido, sendo as colônias analisadas por microscopia de contraste de fase e as espécies identificadas pelo sequenciamento da região 16S rDNA. As amostras de biopesticidas produzidas em sistema ?on farm? variaram de coloração levemente parda e transparente contendo material insolúvel no fundo, até amostras de coloração marrom escura e turva, indicando ausência de qualquer tipo de controle e padronização na fabricação dos bioprodutos. O plaqueamento das amostras em meio de cultura sólido mostrou a presença de vários tipos de colônias com diferentes tamanhos, a maioria sem qualquer semelhança com a morfologia das colônias de B. thuringiensis, indicando a presença de microrganismos contaminantes. Quase todas as colônias analisadas (97,5%) não foram identificadas como B. thuringiensis, indicando que os contaminantes foram mais agressivos no crescimento nas condições de cultivo utilizadas pelos produtores rurais. As espécies Enterococcus faecium e E. faecalis foram as mais prevalentes e têm sido frequentemente relatadas como resistentes a múltiplos antibióticos e causadoras de infecções como bacteremia, septicemia, infecções do trato urinário, infecções de feridas, meningites e endocardites em humanos. Assim, as amostras de biopesticida à base de B. thuringiensis produzidas em sistema ?on farm? em propriedades rurais de Goiás apresentam elevado índice de contaminação por diferentes espécies de bactérias patogênicas. O produto mostra-se inadequado para uso como biopesticida, com potencial risco para humanos e animais.

Ano de publicação: 2019

Tipo de publicação: Folhetos