Desenvolvimento de um ensaio imunossorvente ligado a enzima (ELISA) homólogo para hormônio luteinizante (LH) de tambaqui ( Colossoma macropomum)

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

imagem

Foto: CHRISTOFOLETTI, Jefferson

A aquicultura de caracídeos (peixes de água doce) migradores, entre eles o tambaqui ( Colossoma macropomum), é uma atividade em expansão no Brasil. Este crescimento, ainda que significativo, é moroso devido a gargalos tecnológicos nas diversas etapas do ciclo produtivo, incluindo a produção de alevinos. A reprodução dos peixes redondos está suficientemente dominada para permitir o cultivo destas espécies, embora seja baseada em conhecimento empírico. Um dos entraves é a falta de conhecimento sobre quais mudanças hormonais acontecem durante a puberdade destas espécies. Isto se deve, principalmente, à indisponibilidade de métodos para quantificar os hormônios envolvidos nestes eventos reprodutivos, especialmente as gonadotrofinas, hormônios chave no controle da reprodução de animais vertebrados. Outro grande problema da piscicultura brasileira no controle da reprodução de espécies migradoras é a dependência de suplementação gonadotrófica com macerados de hipófise oriundos principalmente de carpa comum ( Cyprinus carpio). Este produto informal não possui forma de controle, seja sanitário, de composição ou de vida de prateleira, representando um risco à atividade. A informalidade do principal insumo para produção de alevinos de espécies migratórias também se deve, entre outros fatores, à carência de métodos disponíveis para, pelo menos, quantificar o conteúdo de gonadotrofinas nas hipófises fixadas em acetona, atualmente usadas para hipofisação de reprodutores. O presente estudo se propõe ao desenvolvimento de um ensaio imunossorvente ligado a enzima (ELISA) específico e homólogo para quantificar LH (hormônio luteinizante) de tambaqui. O ELISA desenvolvido será validado com extratos oriundos de hipófises frescas e desidratadas de tambaqui. O ensaio também será avaliado em extratos preparados com glândulas de caranha/pirapitinga ( Piaractus brachypomus), outra espécie regional de caracídeo com exploração aquícola, e em extratos hipofisários de carpa comum, que é a espécie doadora das hipófises rotineiramente usadas na reprodução de espécies nativas em cultivo.

Situação: concluído Data de Início: 06/2014 Data de Finalização: 06/2018

Unidade Lider: Embrapa Pesca e Aquicultura

Líder de projeto: Carlos Jose Hoff de Souza

Contato: carlos.hoff-souza@embrapa.br

Galeria de imagens