Ações estruturantes e inovação para o fortalecimento das cadeias produtivas da Aquicultura no Brasil

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Os objetivos do projeto são gerar e transferir tecnologias que promovam o desenvolvimento da aquicultura brasileira, com foco primordial na inovação, contribuindo para o incremento da produção e proporcionando aumento da competitividade e da sustentabilidade da cadeia nacional do pescado.

Além da formação de uma complexa rede de pesquisadores, o BRS Aqua é um marco em termos de investimentos, pessoas envolvidas e abrangência para a área de aquicultura. O principal agente financiador é o Fundo Tecnológico do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Funtec, BNDES) e o projeto conta também com recursos financeiros da Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca (Seap) e da própria Embrapa. O gerenciamento desses recursos cabe, respectivamente, à Fundação Eliseu Alves (FEA), ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e ao Sistema Embrapa de Gestão (SEG).

Por sua complexidade, o projeto foi organizado em oito projetos componentes, sendo cinco eminentemente técnicos e três considerados transversais. Os projetos componentes técnicos são: reprodução e melhoramento genético; nutrição e alimentação; sanidade; tecnologia do pescado; e manejo produtivo e gestão ambiental. Já os projetos componentes transversais são: economia; transferência de tecnologia; e gestão.

Para potencializar os resultados, o BRS Aqua concentra suas ações de pesquisa e transferência de tecnologia em quatro espécies: tilápia (Oreochromis niloticus); tambaqui (Colossoma macropomum); camarão marinho (Litopennaeus vannamei); e bijupirá (Rachycentron canadum). Os desafios principais são refinar tecnologias para tilápia e camarão marinho, gerar pacote tecnológico para tambaqui e criar infraestrutura para ações efetivas de pesquisa com o bijupirá.

Dentre os impactos esperados, estima-se a elevação do patamar tecnológico dos sistemas de produção em aquicultura pela transferência e pela incorporação de novas tecnologias a fim de permitir a adoção de pacotes tecnológicos e a capacitação de profissionais, via bolsa de fomento tecnológico e extensão inovadora, para atuação em iniciativas públicas e privadas do setor.

A coordenação do projeto em rede cabe à Embrapa Pesca e Aquicultura e dele fazem parte mais de 240 empregados de 22 unidades da empresa, além de mais de 60 parceiros, entre públicos e privados.

Situação: concluído Data de Início: 08/2017 Data de Finalização: 07/2021

Unidade Lider: Embrapa Pesca e Aquicultura

Lider do Projeto: Lícia Maria Lundstedt

Contato: licia.lundstedt@embrapa.br