Pular para o conteúdo

Transferência de Tecnologia

A área de Transferência de Tecnologia (TT) da Embrapa Pesca e Aquicultura vem realizando, nos últimos anos, diversas atividades que buscam conectar as ações e os resultados de pesquisa da Embrapa em pesca, aquicultura e sistemas agrícolas com o setor produtivo, instituições governamentais e o público em geral.

Para isso, a chefia adjunta de Transferência de Tecnologia da Unidade conta com uma equipe multidisciplinar que coordena projetos direcionados a prospecção de demandas, avaliação de impactos da adoção de tecnologias, estudos de mercado, análises socioeconômicas, capacitação de agentes multiplicadores de tecnologia, implantação de unidades de referência tecnológica, participação em feiras agropecuárias e eventos técnico-científicos.

A equipe técnica está organizada em dois setores e conta atualmente, entre pesquisadores e analistas, com três zootecnistas, dois engenheiros agrônomos, dois economistas, um gestor de cooperativas, uma médica veterinária, uma engenheira de aquicultura e um administrador de empresas, além de bolsistas que estudam em áreas correlatas.

O Setor de Implementação da Programação de Transferência (Sipt) é o responsável pelo planejamento e pela execução da agenda de ações de transferência de tecnologia da Unidade junto aos seus públicos. Já o Setor de Prospecção e Avaliação Tecnológica (Spat) atua com a avaliação ex-ante e ex-post dos impactos das tecnologias, prospecção de demandas, estudos de mercado e de cenários futuros.

Além desses setores, a área de TT é responsável pelo Comitê Local de Propriedade Intelectual (CLPI), que assessora a Unidade em questões como proteção de cultivares, direitos autorais, indicações geográficas e demais aspectos legais.

As ações de transferência de tecnologia são desenvolvidas em parceria com agentes públicos e privados dos diversos segmentos: acadêmico, produtivo, fomento, Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), Organizações Não Governamentais (ONGs), entidades representativas, entre outros.