Linha do tempo da Ciência do Solo no Brasil

Clique no + para abrir os conteúdos das décadas de cada século

Séc. XIX

Início da Ciência do Solo nos trópicos

  • 1808

    Inaugurado, em 13 de junho de 1808, o Jardim Botânico do Rio de Janeiro (RJ), por decisão do então príncipe regente português D. João. No local foram instalados uma fábrica de pólvora e um jardim para aclimatação e pesquisas de espécies vegetais originárias de outras partes do mundo, inicialmente trazidas de outras províncias e colônias portuguesas. Em resumo, aclimatar uma espécie de planta significava, primeiramente, aperfeiçoar o transporte das mudas e sementes, muitas vezes trazidas de outros continentes em viagens que duravam meses; depois, construir viveiros para semeá-las; e, finalmente, transplantar os vegetais para o solo em diferentes áreas e observar a necessidade de incidência de sol, sombra e água de cada um deles. Como essas experiências eram baseadas na literatura produzida sobretudo na Europa, eram necessárias investigações acerca da adaptação das plantas ao clima e solo brasileiros. Nos séculos anteriores, já tinham sido instalados no Brasil o Jardim Botânico de Recife (PE), em 1654, após o jugo holandês; e o Jardim Botânico em Belém (PA), em 1798. Saiba mais

  • 1859

    O Imperador D. Pedro II, após viagem ao Nordeste do País, decide iniciar a política de criação de alguns Imperiais Institutos de Agricultura. O imperador tinha o intuito de solucionar problemas de mão-de-obra, capital e atraso tecnológico no que se referia à produção agrícola brasileira, que se via em crise em virtude da retração do mercado internacional e da consequente diminuição do preço pago pelo açúcar nacional. Começam a ser estruturados estudos sobre os solos brasileiros. O decreto nº 2.516, de 22/12/1859, cria o Instituto Pernambucano de Agricultura.

  • 1860

    Criação do Imperial Instituto Fluminense de Agricultura na então província do Rio de Janeiro, pelo decreto nº 2.607, de 30/06/1860, sob jurisdição do ministério do império e colocado sob a proteção do imperador. O órgão torna-se responsável pela administração do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, de 1861 a 1890. Meses antes, o decreto nº 2.521, de 20/01/1860, havia sido criado o Instituto de Agricultura Sergipano.

  • 1861

    O decreto nº 2816, de 14/08/1861, cria o Instituto Rio-Grandense de Agricultura.

  • 1875

    Cria a Imperial Escola Agrícola da Bahia, por meio do decreto nº 5.957, de 23/06/1875 .

  • 1887

    O Imperador D. Pedro II funda a Estação Agronômica de Campinas que, posteriormente, seria denominado Instituto Agronômico de Campinas (IAC).

  • 1890

    Criação da Sessão Agronômica no Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

Séc. XX

Conhecendo os solos brasileiros

  • 1910

    Criação do Laboratório de Química Agrícola, no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, responsável pela análise e estudo das terras e das rochas, dos diversos adubos e corretivos, e da aplicabilidade das plantas e frutos cultivados na indústria rural.

  • 1911

    Em São Paulo ocorre o “Primeiro Congresso de Ensino Agrícola”, noticiado pelo jornal O Estado de S. Paulo. Entre as matérias discutidas constavam, nas suas grafias originais: “Noções de Agrogeologia” - origem e constituição dos solos, húmus, propriedades physicas e chimicas; classificação da terra arável; os solos em suas relações com o clima e a terra roxa de São Paulo.

  • 1914

    Criação da Estação Central de Química Agrícola, no Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

  • 1916

    Criação do Laboratório de Fiscalização e Defesa da Manteiga, no Centro do Rio de Janeiro (RJ). Era uma estação de análise de laticínios, sobretudo da manteiga industrial consumida no Brasil.

  • 1918

    Criação do Instituto de Química, a partir da transformação do pequeno posto de análise laboratorial do Laboratório de Fiscalização de Defesa da Manteiga. Instituído pelo artigo 127 da lei nº 3.454, de 06/01/1918, o órgão assumia as funções do serviço de fiscalização da manteiga e teria também como missão a fiscalização de adubos, inseticidas e fungicidas, o estudo de forragens e análises que interessassem à agricultura e à pecuária brasileiras e também o ensino da Química. Mário Saraiva, doutor em medicina pela Faculdade de Medicina da Bahia, foi o responsável pela criação do Instituto, que instalou-se no prédio onde funciona atualmente a Embrapa Solos, na Rua Jardim Botânico, nº 1.024, no bairro carioca então denominado Gávea. O instituto atuava em consonância com a Escola Nacional de Agronomia, em Seropédica (RJ), no Km 47 da rodovia Rio de Janeiro-São Paulo, mais tarde renomeada Universidade Rural, Universidade Federal Rural do Brasil e Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (atual UFFRJ), baluarte no desenvolvimento da Ciência do Solo brasileira.

  • 1933

    O Instituto de Química passa a integrar a Diretoria Geral de Pesquisas Científicas, criada na nova organização do Ministério da Agricultura, a partir do decreto nº 22.338, de 11/01/1933. Além de novo regulamento, foram criadas as seções de Química, Mineralogia e Gênese dos Solos, Alimentação Vegetal e Pesquisas, Agentes Corretivos e Defensivos da Lavoura e, ainda, uma seção especial de estudo de plantas medicinais. Nesta fase, as atividades voltavam-se, principalmente, para o controle dos gêneros de exportação e para a fiscalização de inseticidas e fungicidas importados.

  • 1934

    A Diretoria Geral de Pesquisas Científicas teve vida curta, sendo extinta pelo decreto nº 23.979, de 08/03/1934, que determinou a subordinação do Instituto ao Departamento Nacional de Produção Vegetal, modificando sua denominação para Instituto de Química Agrícola. Neste ano há também o estabelecimento dos cursos de Geografia e História da Universidade de São de Paulo (USP), além do início da Associação de Geógrafos Brasileiros.

  • 1935

    Fundada a Seção de Solos do IAC, tendo sido convidado o Paul Vageler, alemão de nascimento, para dirigir as pesquisas, cujo objetivo era, entre outros: “a tentativa de identificação das diferentes unidades de solos”.

  • 1936

    Realizados os primeiros levantamentos de solos no Brasil, utilizando as notações de horizontes A, B e C, feitas por Teodureto de Camargo e Paul Vageler. Em 29 de maio de 1936, é regulamentado o Instituto Nacional de Estatística (INE), embora o decreto nº 24.609, que o institui, date de 6 de julho de 1934.

  • 1937

    O decreto nº 1.527 cria o Conselho Brasileiro de Geografia (CBG), que foi integrado ao INE para catalogar os dados geográficos do País. Posteriormente, tornou-se o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Assista a video sobre a história do IBGE

  • 1941

    Publicação das características de 22 tipos ou classes de solos do estado de São Paulo, mantendo nomes de uso corrente dos agricultores (“Massapê”, “Salmourão”, “Terra Roxa” etc.)

  • 1947

    Criação da Comissão de Solo no Serviço Nacional de Pesquisas Agronômicas do Ministério da Agricultura (SNPS), dando início aos levantamentos sistemáticos do território nacional. Realização da I Reunião Brasileira de Ciência do Solo, no Rio de Janeiro, com apresentações de pesquisas nacionais em Geologia e em Solos. Neste evento, foi instituída a Sociedade Brasileira de Ciência do Solo (SBCS), presidida por Álvaro Barcelos Fagundes.

  • 1949

    Realização da II Reunião Brasileira de Ciência do Solo, em Campinas (SP). Já se mencionavam os “levantamentos pedológicos” em Estações Experimentais do IAC - Capão Bonito (SP), Monte Alegre (SP) e Ribeirão Preto (SP).

  • 1951

    Realização da III Reunião da SBCS, em Recife (PE), com a formalização de uma terminologia nacional, substituindo “levantamento agrológico” ou a generalização “estudo sobre solos”.

  • 1958

    - Publicação do “Manual brasileiro para levantamentos conservacionistas”, a partir de trabalho coordenado por João Quintiliano de Avelar Marques.

    - Levantamento de reconhecimento dos solos do Estado do Rio de Janeiro e Distrito Federal: (contribuição à Carta de Solos do Brasil), pelo Serviço Nacional de Pesquisas Agronômicas. Acesse a publicação

    - Acesse também a Carta dos Solos do estado do RJ

  • 1960

    - Levantamento de reconhecimento dos solos do Estado de São Paulo: (contribuição à Carta de Solos do Brasil), pelo Serviço Nacional de Pesquisas Agronômicas.

    - Acesse o boletim

  • 1962

    - Criação da Divisão de Pedologia e Fertilidade (DNPEA)

    - Levantamento de reconhecimento dos solos da região sob influência do Reservatório de Furnas: (contribuição à Carta de Solos). Serviço Nacional de Pesquisas Agronômicas. Acesse a publicação

  • 1966

    Primeiro Boletim Técnico da Divisão de Pedologia e Fertilidade do Solo: Delineamento esquemático dos solos do Brasil. Acesse a publicação

  • 1968

    Equipe de Pedologia e Fertilidade do Solo apresenta no XI Congresso Brasileiro de Ciência do Solo a Análise granulométrica como novo método para determinar a fração argila. Acesse a publicação

  • 1969

    - Surgem os primeiros compêndios de pedologia com enfoque brasileiro.

    - Criação do Instituto de Pesquisa e Experimentação Agropecuária da Amazônia Ocidental (IPEAAOc)

    - Equipe de Pedologia e Fertilidade do Solo publica primeiros boletins técnicos com reconhecimento dos solos: “Descrição das características morfológicas, físicas, químicas e mineralógicas de alguns perfis de solos sob vegetação de cerrado - Contribuição da EPFS ao Segundo Simpósio sobre o Cerrado”. Acesse a publicação

    - Levantamento exploratório dos solos da região sob influência da Cia. Vale do Rio Doce. Acesse a publicação

    - Levantamento de reconhecimento dos solos do Noroeste do Estado do Paraná: (informe preliminar). Acesse a publicação

    - Acesse também publicação relativa ao Noroeste do PR

    - Criação da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM). Saiba mais

  • 1971

    - Criação da Escola de Agronomia da Amazônia.

    - O plantio direto é testado no Brasil pela primeira vez, cuja intenção foi como prática capaz de reduzir a erosão hídrica do solo.

    - Publicação do boletim técnico da Equipe de Pedologia e Fertilidade do Solo Levantamento de reconhecimento dos solos do Nordeste do Estado do Paraná: (informe preliminar). Curitiba: Divisão de Pesquisa Pedológica. Acesse a publicação

    - Levantamento de reconhecimento dos solos do Sul do Estado de Mato Grosso. Acesse a publicação e baixe o documento sobre o levantamento

    - Aptidão agrícola dos solos do Sul do Estado de Mato Grosso. Acesse a publicação

    - Levantamento exploratório-reconhecimento de solos do Estado do Rio Grande do Norte. Acesse a publicação e baixe também o Mapa exploratório

  • 1972

    - Levantamento exploratório e reconhecimento de solos do Estado da Paraiba e Interpretação para uso agrícola dos solos da Paraíba. Acesse a publicação

    - Acesse também o Mapa de aptidão

    - Estudo expedito de solos no Estado do Ceará para fins de classificação, correlação e verificação de mapeamento. Acesse a publicação

    - Estudo expedito de solos nas partes norte e central do Piauí, oeste de Pernambuco e noroeste do Ceará para fins de classificação e correlação. Acesse a publicação

  • 1973

    - Aptidão agrícola dos solos do Estado do Rio Grande do Norte: (interpretação do levantamento exploratório -reconhecimento de solos). Acesse a publicação

    - Baixe também o Mapa de aptidão 1 e o Mapa de aptidão 2

    - Levantamento exploratório - reconhecimento de solos do Estado de Pernambuco. Mapa color. Escala 1:600.000.

    - Acesse o Volume I

    - Acesse o Volume II

    - Acesse o Mapa de exploração

  • 1975

    - Levantamento exploratório - reconhecimento de solos do estado de Alagoas Acesse a publicação

    - Levantamento exploratório - reconhecimento de solos do estado de Sergipe Acesse a publicação

    - Mapa esquemático dos solos das regiões Norte, Meio-Norte e Centro-Oeste do Brasil: texto explicativo. Acesse a publicação e baixe também o Mapa esquemático

    - Em 28 de maio de 1975, a Divisão de Pedologia e Fertilidade do Solo, que havia sido criada em 1962, vinculada ao Departamento Nacional de Pesquisa Agropecuária (DNPEA), foi transformada em Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solos (SNLCS), já vinculado à Embrapa. O SNLCS deu continuidade ao trabalho de reconhecimento dos solos, iniciado ainda em 1947 pela Comissão de Solos.

  • 1976

    - Foi dado início ao Programa Nipo-Brasileiro de Cooperação para o Desenvolvimento Agrícola da Região do Cerrado (Prodecer), que levou o País à posição de segundo produtor mundial de soja.

    - Levantamento exploratório de reconhecimento de solos da margem direita do Rio São Francisco estado da Bahia. Acesse a publicação

    - Levantamento exploratório - reconhecimento de solos da margem esquerda do Rio São Francisco estado da Bahia. Acesse a publicação

    - Aptidão agrícola dos solos de três áreas prioritárias situadas na Rodovia Transamazônica. Acesse publicação

    - Aptidão agrícola dos solos do oeste do estado do Paraná. Acesse a publicação

    - Aptidão agrícola dos solos do sudoeste do estado do Paraná. Acesse a publicação

  • 1977

    - Primeiro trabalho publicado na área na Revista Brasileira de Ciência do Solo (Eltz et al., 1977) comparava as perdas de solo e água em diferentes sistemas de manejo, onde se incluía o plantio direto.

    - Levantamento de reconhecimento dos solos do litoral do estado do Paraná. Acesse a publicação

  • 1978

    - Realizado o 2º Encontro Solo Nacional de Pesquisa Sobre Conservação do Solo em Passo Fundo (RS).

    - I Reunião de Classificação, Correlação e Interpretação de Aptidão Agrícola de Solos (RJ) (classes de solos, descrição morfológica, métodos de análise de solo e interpretação para uso agrícola e irrigação)

    - Levantamento de reconhecimento dos solos do Distrito Federal. Acesse a publicação

    - Levantamento de reconhecimento dos solos do estado do Espírito Santo. Acesse a publicação

  • 1979

    - Publicação da Súmula da X Reunião Técnica de Levantamento de Solos. Acesse a publicação

    - Lançamento do primeira edição do Manual de Métodos de Análises de Solos, que se tornou, desde então, referência para laboratórios brasileiros. Acesse a publicação

    - Levantamento exploratório - reconhecimento de solos do norte de Minas Gerais. Acesse publicação sobre o assunto

  • 1980

    - Realizado o 3º Encontro Solo Nacional de Pesquisa Sobre Conservação do Solo em Recife (PE).

    - Levantamento exploratório-reconhecimento de alta intensidade e aptidão agrícola dos solos da área compreendida entre os km 81 e 152 da Rodovia Santarém-Cuiabá e o Rio Curuá-Uma. Acesse publicação sobre o assunto

  • 1981

    - A Fundação Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) sistematiza de forma pioneira, uma circular técnica sobre o Plantio Direto no Estado do Paraná (Circular nº 23 - IAPAR, 1981)

    - Lançamento do Mapa de Solos do Brasil na escala de 1:5.000.000. Acesse aqui

  • 1982

    - Sucederam-se as reuniões conjuntas denominadas Encontros Nacionais de Pesquisa e Congressos Brasileiros de Conservação do Solo, tendo sido realizado o 4º Encontro/Congresso em 1982, em Campinas (SP).

    - Conclui-se o estudo conduzido pela Organização dos Estados Americanos (OEA) sobre a bacia do Rio Araguaia-Tocantins, antecedendo a incorporação dessa imensa área na produção de soja na década de 1990.

    - Realização da II Reunião de Classificação e Correlação de Solos.

    - Publicação do Mapa de Aptidão Agrícola das Terras da área piloto no município de Barreirinha (AM). Acesse publicação sobre o assunto

    - Levantamento de reconhecimento de média intensidade dos solos e avaliação da aptidão agrícola das terras da área do Pólo Amapá. Acesse publicação

    - Levantamento de reconhecimento de média intensidade dos solos e avaliação da aptidão agrícola das terras em 100.000 hectares da gleba machadinho, no município de Ariquemes (RO). Acesse publicação

    - Levantamento de reconhecimento de alta intensidade dos solos e avaliação da aptidão agrícola das terras de área ao longo da BR-174 na região do Rio Anauá, no município de Caracaraí – T.F. de Roraima. Acesse a publicação

  • 1983

    - Levantamento exploratório dos solos que ocorrem ao longo da rodovia Manaus - Porto Velho Acesse publicação sobre o assunto

  • 1984

    - Realizado o 5º Congressos Brasileiros de Conservação do Solo em Porto Alegre (RS).

    - Realização da III Reunião de Classificação e Correlação de Solos. Acesse publicação sobre o assunto

  • 1985

    - A pesquisa sobre a origem das chuvas na Amazônia, afirmando que 50% são provenientes do vapor d’água do oceano Atlântico e outra metade da transpiração da floresta, foi a grande novidade científica do ano.

  • 1986

    - Realizado o 6º Congressos Brasileiros de Conservação do Solo, em Campo Grande (MS).

    - Participação de delegações brasileiras no VIII International Soil Classification Workshop

    - Levantamento de reconhecimento dos solos e avaliação da aptidão agrícola das terras de uma área de colonização no município de Urucará, estado do Amazonas. Acesse publicação sobre o assunto

  • 1987

    - Criada a Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac) como órgão responsável pela política florestal e da implantação das Reservas Extrativistas.

  • 1988

    - Realizado o 7º Congressos Brasileiros de Conservação do Solo, em João Pessoa (PB)

    - Critérios para distinção de classes de solos e de fases de unidades de mapeamento: normas em uso pelo SNLCS. Acesse publicação sobre o assunto

    - Aptidão agrícola das terras do estado de Goiás. Acesse publicação

  • 1990

    - Realizado o 8º Congresso Brasileiros de Conservação do Solo, em Londrina (PR).

    - Fundação do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), da Rede Brasileira Agroflorestal (Rebraf).

  • 1991

    - Delineamento macroagroecológico do Brasil. Acesse publicação e também o mapa

  • 1992

    - Realização da 9ª edição da Reunião Brasileira de Manejo e Conservação do Solo e da Água, em Jaboticabal (SP).

  • 1993

    - É criado o Ministério do Meio Ambiente e da Amazônia Legal

    - Criação do Centro Nacional de Pesquisa dos Solos (CNPS), a Embrapa Solos. Passa a integrar a estrutura da Embrapa como Centro Temático com atuação nacional, com pesquisa e desenvolvimento em pedologia, meio ambiente e uso do solo, integrando várias disciplinas.

  • 1994

    - Realização da 10ª Reunião Brasileira de Manejo e Conservação do Solo e da Água, em Florianópolis (SC).

    - Realização da IV Reunião de Classificação e Correlação de Solos.

  • 1995

    - A criação do Fundo Estadual de Ciência e Tecnologia (Funtec) representou um grande avanço para as instituições de pesquisa no Pará.

    - Sistema de avaliação da aptidão agrícola das terras. Acesse publicação sobre o assunto

  • 1996

    - Realização da 11ª Reunião Brasileira de Manejo e Conservação do Solo e da Água, em Águas de Lindóia (SP).

    - Publicação do Manual de Descrição e Coleta de Solos no Campo. Obra à venda

  • 1997

    - Publicação da 2ª edição do Manual de Métodos de Análises de Solos. Acesse aqui

    - A sede da SBCS é transferida do IAC em Campinas (SP) para Viçosa (MG), com localização no campus da Universidade Federal de Viçosa.

  • 1998

    - Realização da 12ª Reunião Brasileira de Manejo e Conservação do Solo e da Água, em Fortaleza (CE).

    - Realização da V Reunião de Classificação e Correlação de Solos - taxonomia dos solos do Nordeste (PE, PB, RN, BA). Acesse publicação sobre o assunto

  • 1999

    - Levantamento de reconhecimento de média intensidade dos solos da região dos tabuleiros costeiros e da baixada litorânea do estado de Sergipe. Acesse publicação sobre o assunto

    - Lançamento da 1ª edição do Sistema Brasileiro de Classificação de Solos.

  • 2000

    - Realização da 13ª Reunião Brasileira de Manejo e Conservação do Solo e da Água, em Ilhéus (BA).

    - VI Reunião de Classificação e Correlação de Solos - Classificação de solos da Região Sul (RS, PR e SC).

Séc. XXI

Ampliando os horizontes

  • 2004

    - Mapeamento de Solos e Aptidão Agrícola das Terras do Estado de Minas Gerais. Acesse publicação sobre o assunto

    - Solos do estado de Santa Catarina. Acesse publicação

  • 2005

    - Lançamento da 1ª edição do Sistema Brasileiro de Classificação de Terras para Irrigação.

    - Luiz Bezerra de Oliveira publica o livro “Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, um olhar sobre sua história”. O livro registra a memória da criação da SBCS e a realização de todos os seus eventos até o XXX CBCS, em Recife (PE), em 2005. Baixe a obra

  • 2006

    - Realização da VII Reunião de Classificação e Correlação de Solos - solos do Quadrilátero Ferrífero (MG).

    - Lançamento da 2ª edição do Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Saiba mais

  • 2007

    - Lançamento do Zoneamento Agroecológico do Estado de Pernambuco (ZAPE). Saiba mais

  • 2008

    - Realização da VIII Reunião de Classificação e Correlação de Solos, em Santa Catarina.

  • 2009

    - Lançamento do GeoPortal Digital - Servidor de Mapas. Saiba mais

    - Lançamento do Zoneamento Agroecológico da cana-de-açúcar: expandir a produção, preservar a vida, garantir o futuro. Acesse publicação sobre o assunto

  • 2010

    - Zoneamento Agroecológico, produção e manejo, para a cultura, da palma de óleo na Amazônia (Zon Dendê). Saiba mais

    - Realização da IX Reunião de Classificação e Correlação de Solos, no Acre. Acesse publicação

  • 2011

    - Criação da Rede Solos Frágeis. Leia mais

    - Publicação da 2ª edição revista do Manual de Métodos de Análise de Solo. Acesse aqui

    - Publicação da 2ª edição do Sistema Brasileiro de Classificação de Terras para Irrigação - Enfoque na Região Semiárida. Saiba mais

  • 2012

    - Lançamento da versão atualizada do Mapa de Solos do Brasil. Saiba mais

    - Programas de pagamento por serviços ambientais no Brasil. Leia mais

    - Realização da X Reunião de Classificação e Correlação de Solos, no Pantanal. Acesse publicação sobre o assunto

    - Rio +20 na Embrapa Solos: Unidade abriga a exposição "Tecnologias, Serviços e Produtos Sustentáveis"; lançamento da Revista XXI - Ciência para a Vida; debate sobre educação ambiental e a Reunião do Grupo de Biodiversidade do Solo. Saiba mais

  • 2013

    - Lançamento da 3ª edição do Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Saiba mais

    - Zoneamento Agroecológico do Estado do Mato Grosso do Sul (ZAMS) - Fases I e II Leia mais

    - Lançamento do Manual de calagem e adubação do Estado do Rio de Janeiro. Acesse publicação sobre o assunto

    - A SBCS passa a ter mesma estrutura científica que a IUSS (The International Union of Soil Sciences), organizada com sócios em núcleos regionais ou estaduais, divisões e comissões especializadas. Dessa aproximação internacional, também resultou a proposição feita pela SBCS à IUSS em 2010 para que a o Brasil sediasse o Congresso Mundial de Ciência do Solo em 2018, fato este que recebeu ampla aprovação do Conselho Diretor daquela entidade e categoriza a SBCS a fazer parte do seleto grupo de entidades com cacife para organizar um evento dessas proporções.

  • 2014

    - Lançamento do Sistema de Informação de Solos Brasileiros (SISolos). Saiba mais

    - Avaliação da Aptidão Agrícola das Terras do Matopiba. Saiba mais

    - Lançamento do Mapa Digital de Carbono Orgânico dos Solo Brasileiros. Saiba mais

    - Projeto Solo Vivo consolida o Plantio Direto. Saiba mais

    - Sistema Brasileiro de Classificação de Solos, em sua 4ª edição, ganha versão digital. Saiba mais

    - Lançamento do Zoneamento Agroecológico do Estado de Alagoas (ZAAL), na escala 1:100.000. Leia mais

    - Tribunal de Contas da União apoia a criação do programa nacional de solos. Leia mais

  • 2015

    - Ano Internacional do Solo pela FAO, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura. Embrapa Solos produz edição especial do Dia de Campo na TV especial sobre o assunto Saiba mais

    - Inaugurado circuito de visitação da Embrapa Solos, que conta a história da Ciência do Solo. Leia mais

    - Realização da Conferência Governança do Solo, em Brasília. Leia mais

    - Publicação da Cartilha Solos do Nordeste. Saiba mais

    - Lançamento do livro Solos para todos – 200 perguntas e respostas sobre solo. Leia mais

    - Embrapa Solos representada o Brasil em Painel Mundial sobre o Solo. Leia mais

    - Realização da XI Reunião de Classificação e Correlação de Solos, em Roraima. Acesse publicação sobre o assunto

    - Lançamento do Atlas de Solos da América Latina e do Caribe, no Peru. Leia mais

  • 2016

    - Assinatura de convênio com a Secretaria de Agricultura da Paraíba para zoneamento pedoclimático Leia mais

    - Embrapa estrutura o Programa Nacional de Solos do Brasil, o PronaSolos. Leia matéria e acesse publicação

  • 2017

    - Realização da XII Reunião de Classificação e Correlação de Solos, em Rondônia. Acesse publicação sobre o assunto

    - Convênio de Cooperação Técnica para finalizar o Zoneamento Agroecológico (ZAE) do Mato Grosso do Sul. Leia mais

    - Lançamento do mapa de estoque de carbono orgânico do solo. Saiba mais

    - Assinatura do protocolo de intenção entre 20 instituições parceiras para início do PronaSolos. Leia mais

  • 2018

    - Lançamento da 3ª edição, revisada e ampliada, do Manual de Métodos de Análises de Solo. Saiba mais

    - Sistema Brasileiro de Classificação de Solos completa 20 anos. Leia mais

    - Oficialização do PronaSolos com a assinatura do decreto presidencial nº 9.414/18. Acesse o decreto

    - Lançamento da 5ª edição, revisada e ampliada, do Sistema Brasileiro de Classificação de Solos, que ganha versão digital gratuita. Leia mais

    - Lançamento da página temática sobre solos brasileiros no Portal da Embrapa. Navegue pela página

    - Coordenação e organização do III Simpósio Brasileiro de Solos Arenosos. Leia mais

    - Realização do XXI Congresso Mundial de Ciência do Solo, no Rio de Janeiro (RJ). Leia mais e também assista ao vídeo

  • 2019

    - Participação brasileira na aprovação do Código Internacional de Conduta para Uso Sustentável e Manejo de Fertilizantes. Leia mais

    - Zoneamento pedoclimático da área do Canal das Vertentes Litorâneas da Paraíba. Acesse publicação

    - Lançamento do Marco Referencial de Serviços Ecossistêmicos. Leia mais e também assista ao vídeo

  • 2020

    - Decreto presidencial estrutura governança do PronaSolos. Leia mais e também conheça as portarias 174 e 175

    - Embrapa Solos comemora 45 anos e lança página especial.

    - Membros dos Comitês Executivos e Estratégicos do PronaSolos são empossados. Leia matéria

    - PronaSolos entrega a maior plataforma tecnológica do País sobre os solos brasileiros. Leia matéria