23/04/14 |   Biodiversidade  Florestas e silvicultura

Prosa Rural - Como aumentar a vida útil do palmito de pupunha

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Abril/2014 - 4ª semana - Região Norte e Região Sul

A pupunheira, espécie originária da Amazônia, tem grande potencial para produção de palmito em áreas abandonadas pelos diferentes usos da terra. Por isso, representa importante alternativa agroecológica para diversificação da fonte de renda na pequena propriedade rural. O palmito retirado da pupunha também possui características que o diferenciam dos demais: é mais macio e é resistente à oxidação (escurecimento). Por isso, tolera um tempo maior de armazenamento, pode ser comercializado e consumido fresco, com o mínimo de processamento e sem perda de qualidade.

O Prosa Rural desta semana vai apresentar duas diferentes formas de armazenamento do palmito de pupunha, que ajudam a aumentar a vida útil do produto e permitem a sua venda com um alto valor agregado. Trata-se do palmito minimamente processado in natura e o processamento mínimo com uma embalagem comestível, desenvolvida pela Embrapa Agroindústria de Alimentos (Guaratiba/RJ).

O objetivo dessas duas técnicas é proporcionar ao consumidor um produto muito parecido com o fresco, de vida útil prolongada e, ao mesmo tempo, garantir a segurança para o consumo, com um mínimo de perda da qualidade nutritiva e sensorial. O processamento mínimo aplicado ao palmito de pupunha refere-se às operações de transformação da matéria-prima (talo), resultando em um produto sem a perda da condição de frescor e que inclui procedimento de higienização.

E para falar deste assunto, o programa convidou os pesquisadores Álvaro Figueredo, da Embrapa Florestas (Colombo), e Antônio Soares Gomes, da Embrapa Agroindústria de Alimentos (Guaratiba/RJ).

De acordo com o pesquisador Álvaro Figueiredo, da Embrapa Florestas, uma das principais vantagens do processamento mínimo para o produtor é poder comercializar diretamente o seu produto em feiras ou supermercados, sem a necessidade de colocá-lo em vidros. Com isso, o produtor agrega valor ao produto e consegue comercializá-lo por um preço três vezes maior do original.

O pesquisador Antônio Soares Gomes, vai falar para os ouvintes do Prosa fala sobre as etapas do processamento mínimo, que aumenta a vida útil do produto, e da embalagem filmogênica,  uma película natural comestível que ajuda na preservação do palmito de pupunha por mais tempo e que o próprio produtor mesmo pode desenvolver na sua propriedade.

Saiba mais sobre o aumento da vida útil do palmito de pupunha, ouvindo o Prosa Rural desta semana. O Prosa Rural é o programa de rádio da Embrapa!

 

Região Norte

Região Sul

 

Maria Paraguaçu Cardoso (Reg. nº 347/Conrerp)
Embrapa Florestas

Contatos para a imprensa

Telefone: (41) 3675-5772

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

2014

Conteúdo relacionado

Soluções tecnológicas Ver mais

Serviço: Treinamento, capacitação