09/08/11 |   Agricultura familiar

Prosa Rural - Cultivares de pimenta mais resistentes e produtivas

Informe múltiplos e-mails separados por vírgula.

Agosto/2011 - 2ª semana - Regiões Norte, Centro-Oeste/Sudeste e Sul

O cultivo de pimentas é um negócio que cresce de importância e envolve diversos segmentos, desde pequenos produtores até multinacionais. Para se ter uma ideia, as pimentas são atualmente a segunda hortaliça mais exportada no Brasil, atrás apenas do melão, contribuindo com 13,5% do valor total das nossas exportações de hortaliças.

Durante o Prosa Rural desta semana, o pesquisador da Embrapa Hortaliças (Brasília – DF), Francisco Reifschneider fala sobre o mercado de pimentas no Brasil, além de trazer algumas informações sobre três das mais recentes variedades dessa hortaliça lançadas pela Embrapa: a pimenta BRS Mari, uma cultivar do dedo-de-moça, a BRS Moema, uma pimenta do tipo biquinho, e a BRS Seriema, do tipo bode.

Esses materiais, com melhores características agronômicas, foram desenvolvidos para atender um mercado em expansão e cada vez mais exigente. A pimenta BRS Mari tem como principal característica o elevado conteúdo de capsaicina – a substância que confere o ardor nas pimentas –, em comparação a outras cultivares de pimenta do mesmo tipo. A cultivar Mari também se destaca pela alta produtividade, excelente uniformidade de planta e qualidade de fruto. A nova cultivar de pimenta dedo-de-moça pode ser utilizada na produção de conservas e de pimenta calabresa (pimenta seca em flocos).

A BRS Moema também tem como características marcantes a alta produtividade, uniformidade de plantas e frutos. O diferencial dessa cultivar do tipo biquinho é a ausência de picância (pungência). Já a   BRS Seriema é uma variedade pertencente ao grupo varietal popularmente conhecido como "bode", e é indicada para processamento em forma de conservas e para consumo in natura, uma vez que seus frutos são aromáticos, pequenos e saborosos.

Segundo Francisco Reifschneider, os produtores de pimenta devem comprar sementes em companhias credenciadas, o que garante a qualidade e a sanidade do material adquirido. "É muito comum, ainda, no Brasil, que o produtor utilize sua própria semente, o que não é recomendado", destaca. "É uma prática que não vale a pena porque algumas doenças são transmitidas por semente, passando da planta para a semente e dessa para a planta nova", detalha.

O programa traz ainda o depoimento de Danilo de Pinho, de Goiânia, em Goiás, que trabalha com derivados, como pimentas em conserva e molhos. Danilo colaborou no desenvolvimento das pesquisas da Embrapa Hortaliças e passou a usar a variedade BRS Mari em seus produtos.  "Essa cultivar é uma pimenta que tem muita polpa, um ardor bem perto da malagueta e a coloração bem vermelha. Então, o molho ficou com uma característica muito boa", conta.

Saiba mais sobre variedades de pimenta mais resistentes e produtivas ouvindo o Prosa Rural - o programa de rádio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O programa conta com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

 

Região Centro-Oeste/Sudeste

Região Sul

 

Marcos Esteves (4505/14/45v/DF)
Embrapa Hortaliças

Contatos para a imprensa

Telefone: (61) 3385-9109

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Encontre mais notícias sobre:

2011